fbpx

Hospital de Amor firma parceria com a Associação de Câncer de Boca e Garganta

Melissa Ribeiro é presidente da ACBG e também venceu um câncer de laringe.

O Hospital de Amor recebeu a visita da equipe da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) e selou uma parceria que irá beneficiar diversos pacientes da instituição que realizam tratamento de cânceres de cabeça e pescoço. Em julho deste ano, após a campanha apoiada pelo HA, conhecida como “Julho Verde (que visa despertar a conscientização sobre a prevenção do câncer de cabeça e pescoço), surgiu o interesse da equipe da ACBG em conhecer a instituição e trocar experiências com os profissionais do hospital.

De acordo com a presidente da associação, Melissa Ribeiro, que também venceu um câncer de laringe e preside a organização voluntariamente, o que levou a entidade a se aproximar do Hospital de Amor foi a possibilidade de gerar conexão com mais um centro de referência no Brasil, formando assim, uma rede de colaboração que poderá contribuir com desenvolvimento de novos caminhos, gerando novas políticas públicas para atender melhor às necessidades desse público. “Mesmo antes de existir a associação, eu já tinha ouvido sobre a eficiência e a forma humanizada com que o HA trabalha, e sempre tive muita curiosidade de ver isso de perto”.

Segundo o médico cirurgião do departamento de cabeça e pescoço do Hospital de Amor, Dr. Renato Capuzzo, que também é integrante da ACBG, é muito importante esse contato com a associação, por conta dos diversos especialistas que atuam em todas as áreas de saúde ligadas a esse perfil de tratamento de câncer na entidade. “A organização busca aumentar a eficiência em todas as etapas do tratamento, principalmente, ligadas ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirmou Capuzzo.

Além da visita, o encontro contou com a apresentação do coral ‘Papo Furado’, formado por pacientes do HA para auxiliar na recuperação e inclusão dos pacientes laringectomizados. O grupo de voluntários também visitou o Hospital São Judas Tadeu (unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso) e a unidade infantojuvenil do HA.

Segundo Melissa, ver o atendimento humanizado e a dedicação aplicada pelos colaboradores da instituição, de maneira integral, reafirma a importância dos valores defendidos por sua associação como algo que deveria ser implantado por todos os centros que realizam esse tipo de trabalho, desde o atendimento médico, até o modo como é feito a captação de recursos. “Existem pacientes que vão para casa e ficam reclusos, ou seja, ficam excluídos do convívio da sociedade. A associação nasceu para mudar isso, criando políticas públicas que incentivam o sistema de saúde nesse processo de reabilitação. Para nós, não existe cura se não houver o essencial: um atendimento que priorize todas as etapas da recuperação. ”

Nova conquista
De acordo com a voluntária, cerca de 350 pessoas serão beneficiadas com novos aparelhos de laringe eletrônica, através da recente conquista do reembolso pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pleiteada pela ACBG. Dentre esse grupo de favorecidos, alguns são pacientes do HA. “Essa visita foi fundamental para identificar o perfil e as necessidades deles. Também, para que haja comprovação junto ao Ministério da Saúde e comprometimento de devolver o aparelho em caso de recuperação ou óbito do paciente”, explicou Melissa.

Segundo informações da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC), a laringe eletrônica é um equipamento movido a bateria recarregável, portátil, leve e de fácil utilização. É extremamente importante para os pacientes laringectomizados, pois emite a vibração sonora contínua da voz, permitindo que o indivíduo possa ser ouvido.

Para a gerente de enfermagem do departamento de cabeça e pescoço, Elen Vieira, o encontro entre as duas organizações foi de grande valia, pois o hospital pôde ser reconhecido como um centro de excelentes índices de reabilitação dos pacientes com as próteses fonatórias. “É importante que nossos pacientes estejam associados à ACBG. Para o Hospital de Amor, é uma parceria sem custos e que traz muitos benefícios, favorecendo nosso bem maior: o paciente”, finaliza Elen.

Sobre a ABCG
A ACBG é uma organização não governamental de direito privado, sem fins lucrativos, que trabalha em prol dos pacientes de todo o Brasil, portadores de câncer de cabeça e pescoço, além de apoiar seus familiares. Reconhecida como referência nacional, a organização foi fundada em 2015, através do trabalho do Grupo de Acolhimento a Pacientes de Câncer de Boca e Garganta (GAL). As atividades desenvolvidas pela entidade ocorrem graças a participação de vários voluntários, que trabalham com empenho pela causa.

Hospital de Amor recebe a visita da equipe da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) e sela uma parceria que irá beneficiar diversos pacientes da instituição que realizam tratamento de cânceres de cabeça e pescoço.

Publicado em 14 de nov de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Prevenção, Pacientes e Familiares
Melissa Ribeiro é presidente da ACBG e também venceu um câncer de laringe.

O Hospital de Amor recebeu a visita da equipe da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) e selou uma parceria que irá beneficiar diversos pacientes da instituição que realizam tratamento de cânceres de cabeça e pescoço. Em julho deste ano, após a campanha apoiada pelo HA, conhecida como “Julho Verde (que visa despertar a conscientização sobre a prevenção do câncer de cabeça e pescoço), surgiu o interesse da equipe da ACBG em conhecer a instituição e trocar experiências com os profissionais do hospital.

De acordo com a presidente da associação, Melissa Ribeiro, que também venceu um câncer de laringe e preside a organização voluntariamente, o que levou a entidade a se aproximar do Hospital de Amor foi a possibilidade de gerar conexão com mais um centro de referência no Brasil, formando assim, uma rede de colaboração que poderá contribuir com desenvolvimento de novos caminhos, gerando novas políticas públicas para atender melhor às necessidades desse público. “Mesmo antes de existir a associação, eu já tinha ouvido sobre a eficiência e a forma humanizada com que o HA trabalha, e sempre tive muita curiosidade de ver isso de perto”.

Segundo o médico cirurgião do departamento de cabeça e pescoço do Hospital de Amor, Dr. Renato Capuzzo, que também é integrante da ACBG, é muito importante esse contato com a associação, por conta dos diversos especialistas que atuam em todas as áreas de saúde ligadas a esse perfil de tratamento de câncer na entidade. “A organização busca aumentar a eficiência em todas as etapas do tratamento, principalmente, ligadas ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirmou Capuzzo.

Além da visita, o encontro contou com a apresentação do coral ‘Papo Furado’, formado por pacientes do HA para auxiliar na recuperação e inclusão dos pacientes laringectomizados. O grupo de voluntários também visitou o Hospital São Judas Tadeu (unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso) e a unidade infantojuvenil do HA.

Segundo Melissa, ver o atendimento humanizado e a dedicação aplicada pelos colaboradores da instituição, de maneira integral, reafirma a importância dos valores defendidos por sua associação como algo que deveria ser implantado por todos os centros que realizam esse tipo de trabalho, desde o atendimento médico, até o modo como é feito a captação de recursos. “Existem pacientes que vão para casa e ficam reclusos, ou seja, ficam excluídos do convívio da sociedade. A associação nasceu para mudar isso, criando políticas públicas que incentivam o sistema de saúde nesse processo de reabilitação. Para nós, não existe cura se não houver o essencial: um atendimento que priorize todas as etapas da recuperação. ”

Nova conquista
De acordo com a voluntária, cerca de 350 pessoas serão beneficiadas com novos aparelhos de laringe eletrônica, através da recente conquista do reembolso pelo Sistema Único de Saúde (SUS), pleiteada pela ACBG. Dentre esse grupo de favorecidos, alguns são pacientes do HA. “Essa visita foi fundamental para identificar o perfil e as necessidades deles. Também, para que haja comprovação junto ao Ministério da Saúde e comprometimento de devolver o aparelho em caso de recuperação ou óbito do paciente”, explicou Melissa.

Segundo informações da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC), a laringe eletrônica é um equipamento movido a bateria recarregável, portátil, leve e de fácil utilização. É extremamente importante para os pacientes laringectomizados, pois emite a vibração sonora contínua da voz, permitindo que o indivíduo possa ser ouvido.

Para a gerente de enfermagem do departamento de cabeça e pescoço, Elen Vieira, o encontro entre as duas organizações foi de grande valia, pois o hospital pôde ser reconhecido como um centro de excelentes índices de reabilitação dos pacientes com as próteses fonatórias. “É importante que nossos pacientes estejam associados à ACBG. Para o Hospital de Amor, é uma parceria sem custos e que traz muitos benefícios, favorecendo nosso bem maior: o paciente”, finaliza Elen.

Sobre a ABCG
A ACBG é uma organização não governamental de direito privado, sem fins lucrativos, que trabalha em prol dos pacientes de todo o Brasil, portadores de câncer de cabeça e pescoço, além de apoiar seus familiares. Reconhecida como referência nacional, a organização foi fundada em 2015, através do trabalho do Grupo de Acolhimento a Pacientes de Câncer de Boca e Garganta (GAL). As atividades desenvolvidas pela entidade ocorrem graças a participação de vários voluntários, que trabalham com empenho pela causa.

Hospital de Amor recebe a visita da equipe da Associação de Câncer de Boca e Garganta (ACBG) e sela uma parceria que irá beneficiar diversos pacientes da instituição que realizam tratamento de cânceres de cabeça e pescoço.

Publicado em 14 de nov de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Prevenção, Pacientes e Familiares