fbpx

Hospital de Amor Amazônia inaugura novas instalações

O Hospital de Amor inaugurou uma moderna ala dentro do Hospital de Amor Amazônia, unidade da instituição localizada em Porto Velho (RO). O centro oncológico passou a dispor de Centro Cirúrgico, UTI e Internação. Foto: Daniela Nascimento.
As instalações contam com 120 leitos de internação, 20 de UTI e 6 salas de cirurgia. Foto: Daniela Nascimento.

Nesta sexta-feira, dia 22 de março, a população da região Norte do Brasil ganhou uma nova conquista! O Hospital de Amor – referência nacional no tratamento de câncer – inaugurou uma moderna ala dentro do Hospital de Amor Amazônia, unidade da instituição localizada em Porto Velho (RO). O centro oncológico passou a dispor de Centro Cirúrgico, UTI e Internação, atendendo, gratuitamente, com excelência e humanização (práticas reconhecidas da entidade), crianças e adultos em tratamento oncológico. As recém-adquiridas instalações contam com estrutura de 120 leitos de internação, 20 de UTI e 6 salas de cirurgia.

De acordo com o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, foram investidos mais de R$ 20 milhões em estrutura e equipamentos. “A concretização desse projeto só foi possível graças ao investimento de voluntários, artistas, como o astro norte-americano, Garth Brooks, e empresas parceiras, como a BigSal, Grupo Irmãos Gonçalves e Grupo Cairu, que estão sempre engajados na causa e acreditam que as doações podem salvar vidas”, ressaltou.

O objetivo da expansão é facilitar, ainda mais, o acesso das pessoas que residem nas cidades da região Norte do país, e também dos indígenas, a um atendimento médico especializado. “O nosso foco foi reduzir a distância que os pacientes, muitas vezes, têm que percorrer até Barretos, visto que 95% dos pacientes oncológicos rondonienses, por exemplo, tinham como referência o Hospital de Amor Barretos, que está localizado a três mil quilômetros do estado de Rondônia”, afirmou Prata.

O Hospital de Amor Amazônia possui uma equipe altamente qualificada e uma estrutura de excelência. Foto: Daniela Nascimento.

O Hospital de Amor Amazônia
A unidade, que está em funcionamento desde 2017, possui uma equipe altamente qualificada e uma estrutura de excelência: com duas salas cirúrgicas inteligentes, que podem funcionar em caráter de treinamento, realizando transmissões simultâneas para diversos outros centros. O hospital conta também com uma infraestrutura de ponta, com equipamentos audiovisuais para cirurgias minimamente invasivas.

“Com essa inauguração, estamos implantando um polo completo para tratamento oncológico, com o que há de melhor nesta área, para os pacientes do Norte do Brasil. O valor total de investimento, entre os setores já existentes e os que acabamos de inaugurar, foi de R$ 100 milhões”, relatou o presidente da instituição.

Há 3 anos, desde sua inauguração, o Hospital de Amor Amazônia oferece aos seus pacientes procedimentos de quimioterapia e radioterapia; laboratório de análises clínicas e patológicas; centro de intercorrência ambulatorial (CIA); radiologia com duas salas de raios-X; três aparelhos de ultrassonografia; ressonância magnética, mamógrafo e tomógrafo. Além disso, a unidade possui duas salas de exames e ambulatório com 13 consultórios.

Sobre o Hospital de Amor
Excelência em oncologia, o Hospital de Amor (atual nome do Hospital de Câncer de Barretos) assumiu a liderança do ranking 2018 da Scimago Institutions Rankings (SIR), entre todos os centros de saúde do Brasil e da América Latina. O levantamento é uma ferramenta de reconhecimento internacional, que avalia a qualidade de instituições (públicas ou privadas) em todo o mundo, considerando os critérios: pesquisa, inovação e impacto social.

A instituição é historicamente reconhecida por seu grandioso trabalho. Foi escolhida, em 2000, pelo Ministério da Saúde, como o melhor hospital público do país. Em 2011, tornou-se “instituição irmã” do MD Anderson Cancer Center (EUA), o maior centro de tratamento e pesquisa de câncer do mundo, e ainda recebeu um prêmio da AVON como “Campeão Mundial em Avanço na Área Médica no Combate ao Câncer de Mama”. Em 2012, assinou acordo com o Saint Jude Children´s Research Hospital e tornou-se “instituição gêmea”.

A entidade foi o grande destaque da 4ª Edição do Prêmio “Melhores Hospitais”, projeto realizado pela Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo, realizado em dezembro de 2014. O HA ganhou em três categorias: melhor hospital, internação e ambulatório. O principal objetivo da premiação é monitorar a qualidade de atendimento e a satisfação do usuário, reconhecer os bons prestadores, identificar possíveis irregularidades e ampliar a capacidade de gestão eficiente da saúde pública. Na categoria “Internação”, o Hospital de Amor liderou o ranking interior, com mais de 97% de aprovação. A instituição também teve um alto índice no quesito “Ambulatório” – 96,5% dos usuários disseram estar satisfeitos com o trabalho realizado.

O Hospital de Amor Amazônia está localizado na cidade de Porto Velho, estado de Rondônia, a três mil quilômetros de Barretos (SP).

Publicado em 22 de mar de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Diagnóstico e Tratamento, Pacientes e Familiares
O Hospital de Amor inaugurou uma moderna ala dentro do Hospital de Amor Amazônia, unidade da instituição localizada em Porto Velho (RO). O centro oncológico passou a dispor de Centro Cirúrgico, UTI e Internação. Foto: Daniela Nascimento.
As instalações contam com 120 leitos de internação, 20 de UTI e 6 salas de cirurgia. Foto: Daniela Nascimento.

Nesta sexta-feira, dia 22 de março, a população da região Norte do Brasil ganhou uma nova conquista! O Hospital de Amor – referência nacional no tratamento de câncer – inaugurou uma moderna ala dentro do Hospital de Amor Amazônia, unidade da instituição localizada em Porto Velho (RO). O centro oncológico passou a dispor de Centro Cirúrgico, UTI e Internação, atendendo, gratuitamente, com excelência e humanização (práticas reconhecidas da entidade), crianças e adultos em tratamento oncológico. As recém-adquiridas instalações contam com estrutura de 120 leitos de internação, 20 de UTI e 6 salas de cirurgia.

De acordo com o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, foram investidos mais de R$ 20 milhões em estrutura e equipamentos. “A concretização desse projeto só foi possível graças ao investimento de voluntários, artistas, como o astro norte-americano, Garth Brooks, e empresas parceiras, como a BigSal, Grupo Irmãos Gonçalves e Grupo Cairu, que estão sempre engajados na causa e acreditam que as doações podem salvar vidas”, ressaltou.

O objetivo da expansão é facilitar, ainda mais, o acesso das pessoas que residem nas cidades da região Norte do país, e também dos indígenas, a um atendimento médico especializado. “O nosso foco foi reduzir a distância que os pacientes, muitas vezes, têm que percorrer até Barretos, visto que 95% dos pacientes oncológicos rondonienses, por exemplo, tinham como referência o Hospital de Amor Barretos, que está localizado a três mil quilômetros do estado de Rondônia”, afirmou Prata.

O Hospital de Amor Amazônia possui uma equipe altamente qualificada e uma estrutura de excelência. Foto: Daniela Nascimento.

O Hospital de Amor Amazônia
A unidade, que está em funcionamento desde 2017, possui uma equipe altamente qualificada e uma estrutura de excelência: com duas salas cirúrgicas inteligentes, que podem funcionar em caráter de treinamento, realizando transmissões simultâneas para diversos outros centros. O hospital conta também com uma infraestrutura de ponta, com equipamentos audiovisuais para cirurgias minimamente invasivas.

“Com essa inauguração, estamos implantando um polo completo para tratamento oncológico, com o que há de melhor nesta área, para os pacientes do Norte do Brasil. O valor total de investimento, entre os setores já existentes e os que acabamos de inaugurar, foi de R$ 100 milhões”, relatou o presidente da instituição.

Há 3 anos, desde sua inauguração, o Hospital de Amor Amazônia oferece aos seus pacientes procedimentos de quimioterapia e radioterapia; laboratório de análises clínicas e patológicas; centro de intercorrência ambulatorial (CIA); radiologia com duas salas de raios-X; três aparelhos de ultrassonografia; ressonância magnética, mamógrafo e tomógrafo. Além disso, a unidade possui duas salas de exames e ambulatório com 13 consultórios.

Sobre o Hospital de Amor
Excelência em oncologia, o Hospital de Amor (atual nome do Hospital de Câncer de Barretos) assumiu a liderança do ranking 2018 da Scimago Institutions Rankings (SIR), entre todos os centros de saúde do Brasil e da América Latina. O levantamento é uma ferramenta de reconhecimento internacional, que avalia a qualidade de instituições (públicas ou privadas) em todo o mundo, considerando os critérios: pesquisa, inovação e impacto social.

A instituição é historicamente reconhecida por seu grandioso trabalho. Foi escolhida, em 2000, pelo Ministério da Saúde, como o melhor hospital público do país. Em 2011, tornou-se “instituição irmã” do MD Anderson Cancer Center (EUA), o maior centro de tratamento e pesquisa de câncer do mundo, e ainda recebeu um prêmio da AVON como “Campeão Mundial em Avanço na Área Médica no Combate ao Câncer de Mama”. Em 2012, assinou acordo com o Saint Jude Children´s Research Hospital e tornou-se “instituição gêmea”.

A entidade foi o grande destaque da 4ª Edição do Prêmio “Melhores Hospitais”, projeto realizado pela Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo, realizado em dezembro de 2014. O HA ganhou em três categorias: melhor hospital, internação e ambulatório. O principal objetivo da premiação é monitorar a qualidade de atendimento e a satisfação do usuário, reconhecer os bons prestadores, identificar possíveis irregularidades e ampliar a capacidade de gestão eficiente da saúde pública. Na categoria “Internação”, o Hospital de Amor liderou o ranking interior, com mais de 97% de aprovação. A instituição também teve um alto índice no quesito “Ambulatório” – 96,5% dos usuários disseram estar satisfeitos com o trabalho realizado.

O Hospital de Amor Amazônia está localizado na cidade de Porto Velho, estado de Rondônia, a três mil quilômetros de Barretos (SP).

Publicado em 22 de mar de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Diagnóstico e Tratamento, Pacientes e Familiares