fbpx

Hospital de Amor recebe selo de capacitação em alergia alimentar

Espirrar, coçar, tossir ou sentir outros sintomas parecidos com esses é muito comum na vida de diversas pessoas que sofrem com alguma alergia. Reconhecida pelos especialistas como uma reação de hipersensibilidade, essa doença é uma resposta exagerada do sistema imunológico, após contato com algum agente causador. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% da população brasileira possui algum tipo de alergia. Dentre elas, está a ‘alergia alimentar’ – reação adversa a determinado alimento, que, quando não evitada, pode causar inchaço ou coceira nos lábios, diarreia, vômitos e até mesmo rouquidão.

O “Bem-Vindo Alérgico” é um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”, um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais, liderado pela farmacêutica e idealizadora da iniciativa, Dra. Danila Blanco de Carvalho.

Nos dias 20 e 21 de fevereiro, cozinheiros e auxiliares da instituição participaram da capacitação. Já nos dias 27 e 28, foi a vez dos nutricionistas, técnicos e residentes em nutrição receberem as orientações. Através de treinamentos personalizados, os profissionais tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o que é a alergia alimentar; os riscos para a vida dos pacientes e colaboradores que sofrem com essa reação; as diferenças entre alergia e intolerância; alergia alimentar em pacientes imunodeprimidos; os cuidados nas preparações dos alimentos; alternativas de substituição dos alimentos, além da revisão de mapeamento de riscos dentro da cozinha da instituição.

Após ganhar o selo “Bem-Vindo Alérgico: aqui eu posso comer”, o Hospital de Amor tornou-se apto para acolher pessoas com alergia e intolerâncias alimentares, oferecendo muito mais segurança. “A partir de agora, a instituição tornou-se pioneira na capacitação em alergia alimentar”, afirmou a coordenadora do departamento de nutrição do Hospital de Amor, Camila Avi.

Alérgicos no Hospital de Amor
De acordo com a nutricionista do HA, estima-se que 8% das crianças e 4% dos adultos possuem algum tipo de alergia alimentar. As intolerâncias mais comuns estão relacionadas a: leite, ovo, trigo, soja, amendoim, peixes, crustáceos e castanhas. No Brasil, a maior incidência em crianças é a alergia à proteína do leite da vaca, e em adultos, a peixes e crustáceos. “Quando nos referimos à intolerância alimentar, o número chega a 15% da população geral. No Hospital de Amor, vemos a recorrência desses problemas principalmente em pacientes com doença celíaca (aquela que é causada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados). Por isso, já era uma prática da equipe de cozinheiros evita servir refeições com esses tipos de alimentos a pacientes com restrições. A partir de agora, com os conhecimentos mais aprofundados, os cuidados foram tecnicamente intensificados” afirmou Camila.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”.

Publicado em 08 de abr de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Pacientes e Familiares

Espirrar, coçar, tossir ou sentir outros sintomas parecidos com esses é muito comum na vida de diversas pessoas que sofrem com alguma alergia. Reconhecida pelos especialistas como uma reação de hipersensibilidade, essa doença é uma resposta exagerada do sistema imunológico, após contato com algum agente causador. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% da população brasileira possui algum tipo de alergia. Dentre elas, está a ‘alergia alimentar’ – reação adversa a determinado alimento, que, quando não evitada, pode causar inchaço ou coceira nos lábios, diarreia, vômitos e até mesmo rouquidão.

O “Bem-Vindo Alérgico” é um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”, um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais, liderado pela farmacêutica e idealizadora da iniciativa, Dra. Danila Blanco de Carvalho.

Nos dias 20 e 21 de fevereiro, cozinheiros e auxiliares da instituição participaram da capacitação. Já nos dias 27 e 28, foi a vez dos nutricionistas, técnicos e residentes em nutrição receberem as orientações. Através de treinamentos personalizados, os profissionais tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o que é a alergia alimentar; os riscos para a vida dos pacientes e colaboradores que sofrem com essa reação; as diferenças entre alergia e intolerância; alergia alimentar em pacientes imunodeprimidos; os cuidados nas preparações dos alimentos; alternativas de substituição dos alimentos, além da revisão de mapeamento de riscos dentro da cozinha da instituição.

Após ganhar o selo “Bem-Vindo Alérgico: aqui eu posso comer”, o Hospital de Amor tornou-se apto para acolher pessoas com alergia e intolerâncias alimentares, oferecendo muito mais segurança. “A partir de agora, a instituição tornou-se pioneira na capacitação em alergia alimentar”, afirmou a coordenadora do departamento de nutrição do Hospital de Amor, Camila Avi.

Alérgicos no Hospital de Amor
De acordo com a nutricionista do HA, estima-se que 8% das crianças e 4% dos adultos possuem algum tipo de alergia alimentar. As intolerâncias mais comuns estão relacionadas a: leite, ovo, trigo, soja, amendoim, peixes, crustáceos e castanhas. No Brasil, a maior incidência em crianças é a alergia à proteína do leite da vaca, e em adultos, a peixes e crustáceos. “Quando nos referimos à intolerância alimentar, o número chega a 15% da população geral. No Hospital de Amor, vemos a recorrência desses problemas principalmente em pacientes com doença celíaca (aquela que é causada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados). Por isso, já era uma prática da equipe de cozinheiros evita servir refeições com esses tipos de alimentos a pacientes com restrições. A partir de agora, com os conhecimentos mais aprofundados, os cuidados foram tecnicamente intensificados” afirmou Camila.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”.

Publicado em 08 de abr de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Pacientes e Familiares