fbpx

Simpósio de Oncologia Translacional traz para Barretos pesquisadores de renome internacional

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do Hospital de Amor, ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP), realizou, nos últimos dias 13 e 14, seu “VII Simpósio Internacional de Oncologia Translacional”, que reuniu cerca de 180 participantes e mais de 100 trabalhos científicos, entre pôsteres e apresentações orais. O evento trouxe para Barretos (SP) vinte palestrantes que são referência no mundo em pesquisas relacionadas à oncologia.

Mayana Zatz é bióloga molecular e geneticista, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil.

Entre os temas debatidos, estiveram os últimos desenvolvimentos científicos e tecnológicos da área, como a imunoterapia translacional e novos modelos experimentais promissores, entre os quais, o potencial uso terapêutico do vírus da Zika, trazido pela bióloga molecular e geneticista Mayana Zatz, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil. A pesquisadora, que aproveitou a estadia em Barretos para conhecer a estrutura oferecida pelo HA, tanto em pesquisa quanto em assistência, mostrou-se impressionada com a ciência realizada pela instituição e ressaltou a importância de continuar dedicando esforços nesse campo. “Investir em ciência é, absolutamente, essencial. Naturalmente, é mais compreensível quando se investe em ciência aplicada à parte clínica, mas não podemos esquecer da ciência básica. Estar aqui me trouxe uma visão extremamente otimista sobre como é possível fazer ciência de primeiro mundo, apesar das dificuldades, e as possibilidades de expandir isso”.

Para o diretor executivo e científico do IEP e coordenador do CPOM, Dr. Rui Reis, a participação de palestrantes que apresentaram suas próprias experiências e resultados em temas altamente relevantes dentro da oncologia translacional, que faz a ponte entre a pesquisa básica e sua aplicação clínica, foi o grande diferencial do evento, além da descentralização do conhecimento que, no Brasil, acaba de restringindo aos grandes centros e capitais. “O simpósio, em sua sétima edição, tem gerado vários frutos e parcerias nacionais e internacionais entre os centros de referência de todo o mundo, o que traz, consequentemente, mais know-how e expertise para os grupos envolvidos. Acima de tudo, cria-se uma cultura científica com um alto padrão de excelência, que leva certamente ao crescimento de todos”.

O evento se encerrou com a promessa de uma próxima edição para 2021, que deverá acontecer novamente no mês de setembro.

 

Confira também o vídeo sobre o encontro:


Publicado em 17 de set de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do Hospital de Amor, ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP), realizou, nos últimos dias 13 e 14, seu “VII Simpósio Internacional de Oncologia Translacional”, que reuniu cerca de 180 participantes e mais de 100 trabalhos científicos, entre pôsteres e apresentações orais. O evento trouxe para Barretos (SP) vinte palestrantes que são referência no mundo em pesquisas relacionadas à oncologia.

Mayana Zatz é bióloga molecular e geneticista, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil.

Entre os temas debatidos, estiveram os últimos desenvolvimentos científicos e tecnológicos da área, como a imunoterapia translacional e novos modelos experimentais promissores, entre os quais, o potencial uso terapêutico do vírus da Zika, trazido pela bióloga molecular e geneticista Mayana Zatz, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil. A pesquisadora, que aproveitou a estadia em Barretos para conhecer a estrutura oferecida pelo HA, tanto em pesquisa quanto em assistência, mostrou-se impressionada com a ciência realizada pela instituição e ressaltou a importância de continuar dedicando esforços nesse campo. “Investir em ciência é, absolutamente, essencial. Naturalmente, é mais compreensível quando se investe em ciência aplicada à parte clínica, mas não podemos esquecer da ciência básica. Estar aqui me trouxe uma visão extremamente otimista sobre como é possível fazer ciência de primeiro mundo, apesar das dificuldades, e as possibilidades de expandir isso”.

Para o diretor executivo e científico do IEP e coordenador do CPOM, Dr. Rui Reis, a participação de palestrantes que apresentaram suas próprias experiências e resultados em temas altamente relevantes dentro da oncologia translacional, que faz a ponte entre a pesquisa básica e sua aplicação clínica, foi o grande diferencial do evento, além da descentralização do conhecimento que, no Brasil, acaba de restringindo aos grandes centros e capitais. “O simpósio, em sua sétima edição, tem gerado vários frutos e parcerias nacionais e internacionais entre os centros de referência de todo o mundo, o que traz, consequentemente, mais know-how e expertise para os grupos envolvidos. Acima de tudo, cria-se uma cultura científica com um alto padrão de excelência, que leva certamente ao crescimento de todos”.

O evento se encerrou com a promessa de uma próxima edição para 2021, que deverá acontecer novamente no mês de setembro.

 

Confira também o vídeo sobre o encontro:


Publicado em 17 de set de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa