Hospital de Amor lança Guia de Educação em Saúde e Câncer em parceria com o SESC

O Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor, lançou na última quinta-feira, dia 5, o “Guia de Educação em Saúde e Câncer”, desenvolvido em parceria com o Departamento Nacional do Serviço Social do Comércio – SESC. O livro, que começou a ser estruturado há dois anos, é o único deste formato no Brasil e tem como principal objetivo oferecer suporte teórico e prático para ações de Educação em Saúde, sobretudo dentro da temática câncer.

Gerson Vieira, coordenador do NEC, ao lado da analista de gerência de formação e pesquisa (SESC/DN), Maria Clotilde de Carvalho, e o do diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa do HA, Dr. Vinicius Vazquez.

“A temática Educação em Saúde é muito ampla, mas nós tentamos fazer um resgate histórico global, afunilando para América Latina e Brasil, finalizando com a análise dos trabalhos desenvolvidos pelo e no Hospital de Amor durante seus quase 60 anos”, detalhou o coordenador do NEC, Gerson Lúcio Vieira. O guia, que também será disponibilizado em formato digital, traça uma linha do tempo desde a fundação da instituição e conceitua as práticas de atenção ao câncer, até culminar nas ações de educação em saúde desenvolvidas com este viés.

O evento reuniu seis secretários de educação e a diretora de ensino da região de Barretos, além de mais de 150 professores, diretores e coordenadores de escolas de toda região, e também marcou a apresentação da Agenda 2020 do “Programa de Educação em Saúde e Câncer nas Escolas (PESCE)”, que une 12 projetos do NEC desenvolvidos exclusivamente para o ambiente escolar.

Com o intuito de motivar os educadores e ampliar o conhecimento sobre novos métodos de aprendizado, o NEC trouxe para o lançamento a palestra “Jogos Digitais como estratégia para a Educação e a Saúde”, ministrada por Tiago Eugênio, biólogo formado pela UNESP, com mestrado em psicobiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

Para celebrar os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia no HA e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo.

Neste ano, o Hospital de Amor comemora os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia realizada na instituição, técnica que hoje é rotina no tratamento de muitos pacientes. Para celebrar a data e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo, no último dia 29 de novembro, que, além de abordar a evolução na indicação do procedimento ao longo dos anos, trouxe discussões sobre o que há de mais inovador na área, sobretudo, na segurança e utilização da tecnologia e novos materiais para a realização da videolaparoscopia.

Segundo o presidente do Hospital de Amor, Henrique Duarte Prata, a decisão de trazer a técnica para a instituição, mesmo com as dificuldades apresentadas na época, foi baseada no objetivo de sempre levar o melhor e mais adequado tratamento aos pacientes. De acordo com o médico titular do departamento do digestivo baixo do HA, Dr. Marcos Denadai, o uso da videolaparoscopia no HA foi fundamental para o avanço e melhoria da tecnologia no Brasil e no mundo, sobretudo, no tratamento oncológico.

Desde 2011, a parceria entre o Hospital de Amor e o Instituto de Treinamento em Técnicas Minimante Invasivas e Cirurgia Robótica – IRCAD – transformou a cidade de Barretos em uma referência também na formação de cirurgiões especialistas técnicas minimamente invasivas, recebendo profissionais de toda a América Latina.

O evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.

Além do presidente do HA, Henrique Prata, médicos e profissionais do instituição, o evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.

Anualmente, o Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor reúne educadores e profissionais da saúde para o “Simpósio de Educação em Saúde”, que neste ano aconteceu no dia 8 de novembro, com o intuito de promover o diálogo sobre temáticas que versam os campos da educação e da saúde, tendo em vista a troca de experiências e a oportunidade de pensar estratégias que embasem os trabalhos e projetos que interfiram na realidade e cotidiano da sociedade atual.

O Simpósio contou com a apresentação de trabalhos orais e pôsteres, além das apresentações artísticas do Grupo Virtuoso e do Coral Acordes Vocais.

Em sua quarta edição, o evento trouxe como temática central a importante relação entre o bem-estar mental e a educação, trabalhada por meio de workshops e palestras ministradas por nomes de destaque no cenário nacional, como a neurocientista Carla Tieppo, doutora em ciências pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisadora e especialista sobre o funcionamento do sistema nervoso e suas relações com a mente e o comportamento humano.

Segundo a Dra. Carla Tieppo, existe um aspecto muito importante em se trabalhar a saúde mental dentro da educação, “fundamentalmente porque preservar a saúde mental e trabalhar a prevenção em patologias de saúde mental está diretamente relacionada a qualidade de vida. E qualidade de vida é algo que a gente constrói, é algo que se educa para ter”, ressalta.

O coordenador do NEC, Gerson Lucio Vieira, explica que a temática escolhida vai de encontro com o propósito do Núcleo, que é a de impulsionar e propagar informações que promovam conhecimento sobre qualidade de vida e promoção de saúde, tornando o indivíduo autônomo, independente e consciente no que diz respeito ao seu bem-estar físico e mental.

Com cerca de 140 participantes, o Simpósio contou, ainda, com a apresentação de trabalhos orais e pôsteres, além das apresentações artísticas do Grupo Virtuoso e do Coral Acordes Vocais, formado por médicos, pesquisadores e colaboradores do Hospital de Amor.

 

Em sua quarta edição, o evento trouxe como temática central a importante relação entre o bem-estar mental e a educação, trabalhada por meio de workshops e palestras ministradas por nomes de destaque no cenário nacional.
A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição e alguns de seus principais projetos.

Uma visita especial marcou o Hospital de Amor neste dia 25 de outubro. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição (como a unidade infantojuvenil e o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrica -TMO), e alguns de seus principais projetos (como o de reabilitação, Bella Vita).

Entre os setores visitados, a primeira-dama conheceu o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico e o projeto de reabilitação, Bella Vita.

Após o almoço, Michelle se reuniu com centenas de pessoas, entre voluntários, diretores e colaboradores do HA, além de políticos e representantes, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, para fazer uma palestra sobre o Programa Pátria Voluntária, o qual preside.

Durante a cerimônia, o gerente de captação de recursos do Hospital de Amor, Luiz Antônio Zardini, falou sobre a importância do trabalho voluntário para o mundo e, especialmente, para os pacientes do hospital. “O voluntário é um visionário, pois ele consegue enxergar a fraternidade e o amor. Eles são presença de Deus junto aos pacientes, seja no hospital ou em suas residências. Afinal, não basta servir, é preciso amar!”, afirmou.

A coordenadora do departamento de Recursos Humanos da instituição, Renata Paschoal, explicou sobre os dois tipos de voluntariado que existem no HA (o que é conduzido pela Associação Voluntária de Combate ao Câncer – AVCC – e o que é gerenciado pelo departamento de Projetos Sociais da instituição) e suas diversas áreas de atuação.

Em seguida, a primeira-dama falou sobre a “Pátria Voluntária” e sua missão: fomentar a cultura do voluntariado do Brasil, contribuindo com um país mais justo, inclusivo e social. “Estou muito feliz em estar aqui e muito honrada em ser intitulada ‘Madrinha do projeto de reabilitação não oncológica Dream’, pois a reabilitação é tão importante quanto o tratamento. Muito obrigada!”, declarou Michelle.

Da esquerda para a direita: deputada federal, Silvia Chagas; presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata; prefeito municipal de Barretos (SP), Guilherme de Ávila; coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi; primeira-dama, Michelle Bolsonaro; deputada federal, Katia Sastre; e secretário de saúde de Araguaína (TO), Jean Coutinho.

Para comprovar isso e na tentativa de superar seus próprios limites, o Coral ‘Papo Furado’ – composto por pacientes laringectomizados, ou seja, que retiraram a laringe por causa do câncer – se apresentou e emocionou a todos, entoando a música ‘É preciso saber viver, do Titãs.

O rádio-oncologista e coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi, explicou sobre o trabalho de reabilitação do Hospital de Amor e enalteceu seu principal objetivo, que é oferecer aos pacientes condições dignas para se reinserir na sociedade, ser integrado e incluído. “Hoje a nossa instituição dá um grande passo, pois vamos construir o melhor centro de reabilitação não oncológica da América Latina, o ‘Dream’, que receberá o nome da nossa primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Grandes sonhos só se tornam realidade com pessoas que acreditam nele, por isso, não posso deixar de homenagear o prefeito Guilherme de Ávila; a deputada federal, Katia Sastre (responsável pela doação da ala dos surdos no novo centro); a deputada federal, Silvia Chagas; e o secretário de saúde de Araguaína, Jean Coutinho (representando o prefeito Ronaldo Dimas), que levará uma outra unidade deste centro para o estado do Tocantins. E como um grande sonho deve estar nas mãos de uma grande pessoa, convidamos a senhora Michelle Bolsonaro para ser a madrinha”, explicou o médico.

De acordo com o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, esse dia vai ficar escrito na história do HA. “Quem tem amor dentro do hospital, não limita seus sonhos, e quando o Dr. Daniel me desenhou esse projeto, eu senti que ele foi escolhido por Deus para fazer, com muita competência, o maior complexo de reabilitação da América Latina. E a Michelle nos mostrou que seu coração é igual ao nosso e nos acolheu com esse sonho. Muito obrigado! O Hospital de Amor tem o maior orgulho em tê-la no ‘quadro da família HA’”, finalizou.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

Outubro ainda não chegou, mas as ações que se estenderão durante o mês destinado à conscientização sobre a prevenção do câncer de mama já começaram no Hospital de Amor. Exemplo disso é o projeto Talento Rosa 2019, lançado na última quarta-feira (18) para cerca de 170 professores, dirigentes e representantes das escolas públicas e particulares de Barretos (SP) e região. O projeto, que é organizado pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC), ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HA, tem o intuito de estimular nos alunos a cultura do autocuidado, qualidade de vida, prevenção primária e secundária do câncer de mama por meio da produção de vídeos, frases, desenhos e cartazes.

Paula Carvalho – enfermeira coordenadora do Instituto de Prevenção do Hospital de Amor – ao lado da presidente do Instituto HUMSOL e vice-presidente da FEMAMA, Tânia Mary Gomez.

Todos os anos, é durante o lançamento que os educadores são capacitados e orientados sobre a aplicação do projeto em sala de aula. Em 2019, o NEC trouxe até Barretos a palestra ‘Prevenir é o alvo’ e a oficina ‘Chaveiro da Vida – Prevenção ao alcance das mãos’, ministradas pela presidente do Instituto HUMSOL (Instituto Humanista de Desenvolvimento Social) e vice-presidente da FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama), Tânia Mary Gomez. “Eu faço este trabalho há anos Já viajei o para vários lugares do Brasil e do mundo conhecendo de perto trabalhos de conscientização e prevenção de câncer, mas o que é desenvolvido pelo Hospital de Amor e a maneira como os programas são aplicados aqui é incrível, louvável”.

O Coordenador do NEC, Gerson Lucio Vieira, explica que o Talento Rosa, que faz parte do Programa de Educação em Saúde e Câncer nas Escolas, é um dos projetos de maior capilaridade e que chega a ser aplicado para quase 30 mil crianças e adolescentes. “Os alunos são estimulados a realizar produções artísticas de acordo com os ciclos escolares, e cada sala de aula elege uma que melhor represente a reflexão da turma. No último ano, recebemos 715 produções de 80 instituições de ensino. Para nós, é importante ver o quanto eles se mobilizam e como toda a informação trabalhada em sala de aula também chega aos familiares, neste caso, para as mulheres de seu núcleo familiar”, se orgulha o coordenador. O NEC também é responsável por oferecer todo o material de subsídio teórico sobre o tema aos docentes, como textos, artigos e vídeos.

O projeto Talento Rosa 2019, lançado na última quarta-feira (18), reuniu cerca de 170 professores, dirigentes e representantes das escolas públicas e particulares de Barretos (SP) e região.

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do Hospital de Amor, ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP), realizou, nos últimos dias 13 e 14, seu “VII Simpósio Internacional de Oncologia Translacional”, que reuniu cerca de 180 participantes e mais de 100 trabalhos científicos, entre pôsteres e apresentações orais. O evento trouxe para Barretos (SP) vinte palestrantes que são referência no mundo em pesquisas relacionadas à oncologia.

Mayana Zatz é bióloga molecular e geneticista, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil.

Entre os temas debatidos, estiveram os últimos desenvolvimentos científicos e tecnológicos da área, como a imunoterapia translacional e novos modelos experimentais promissores, entre os quais, o potencial uso terapêutico do vírus da Zika, trazido pela bióloga molecular e geneticista Mayana Zatz, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil. A pesquisadora, que aproveitou a estadia em Barretos para conhecer a estrutura oferecida pelo HA, tanto em pesquisa quanto em assistência, mostrou-se impressionada com a ciência realizada pela instituição e ressaltou a importância de continuar dedicando esforços nesse campo. “Investir em ciência é, absolutamente, essencial. Naturalmente, é mais compreensível quando se investe em ciência aplicada à parte clínica, mas não podemos esquecer da ciência básica. Estar aqui me trouxe uma visão extremamente otimista sobre como é possível fazer ciência de primeiro mundo, apesar das dificuldades, e as possibilidades de expandir isso”.

Para o diretor executivo e científico do IEP e coordenador do CPOM, Dr. Rui Reis, a participação de palestrantes que apresentaram suas próprias experiências e resultados em temas altamente relevantes dentro da oncologia translacional, que faz a ponte entre a pesquisa básica e sua aplicação clínica, foi o grande diferencial do evento, além da descentralização do conhecimento que, no Brasil, acaba de restringindo aos grandes centros e capitais. “O simpósio, em sua sétima edição, tem gerado vários frutos e parcerias nacionais e internacionais entre os centros de referência de todo o mundo, o que traz, consequentemente, mais know-how e expertise para os grupos envolvidos. Acima de tudo, cria-se uma cultura científica com um alto padrão de excelência, que leva certamente ao crescimento de todos”.

O evento se encerrou com a promessa de uma próxima edição para 2021, que deverá acontecer novamente no mês de setembro.

 

Confira também o vídeo sobre o encontro:

Mais de 15 mil redações enviadas por alunos de aproximadamente 300 escolas de todo o estado de São Paulo. Estes são os números do 7º Concurso de Redação do Hospital de Amor, organizado pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) da instituição, que se encerrou na sexta-feira, 9 de agosto, com a premiação dos cinco finalistas e anúncio da grande vencedora: Joana Albuquerque Copetti. A cerimônia, que reuniu alunos e professores de Barretos (SP) e região, contou com a presença do secretário executivo de educação do estado de São Paulo, Haroldo Corrêa Rocha, além da dirigente regional de ensino de Barretos, Solange de Oliveira Bellini, do diretor executivo e científico do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HA, Rui Reis, e do diretor de extensão do IEP, Vinicius de Lima Vazquez.

Os 5 finalistas participaram de um estágio guiado no CPOM do HA.

Nos três dias que antecederam a premiação, os finalistas participaram de um estágio guiado no Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do HA, onde puderam conhecer, na prática, a rotina dos pesquisadores e saber mais sobre o seu papel na instituição. “O Concurso de Redação tem como principal objetivo difundir o conhecimento, popularizar a ciência e estimular jovens talentos na investigação científica, por isso, entendemos que é extremamente importante proporcionar esta experiência aos autores das melhores redações. É uma maneira de trazê-los para mais perto desta realidade e, quem sabe, despertá-los para uma futura profissão”, ressaltou o coordenador do NEC, Gerson Lúcio Vieira. Além do estágio, a primeira colocada também ganhou um notebook, assim como, a sua professora orientadora, e os demais finalistas foram premiados com tablets.

Haroldo Corrêa Rocha, que visitou a instituição pela primeira vez, enfatizou a importância da ação e reafirmou o compromisso da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que é parceria do projeto desde 2016. “Sabemos do valor – e as dificuldades – em se trabalhar com Saúde e Educação e é louvável a maneira como essas duas áreas tão essenciais se unem aqui. Com certeza é um exemplo a ser replicado!”.

A grande vencedora do concurso foi: Joana Albuquerque Copetti, de Borborema (SP).

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal, que, apesar de pouco falado, é o terceiro mais frequente entre homens.

Confira a classificação dos finalistas de 2019:
1º lugar: Joana Albuquerque Copetti

Unidade Escolar: E.E. Manoel Silveira Bueno
Cidade: Borborema (SP)
Diretoria de Ensino: Taquaritinga (SP)

2º lugar: Yzadora Calza Siqueira

Unidade Escolar: E. E. Conde do Pinhal
Cidade: São Carlos (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

3º lugar: Emanuelle Carvalho Oliveira

Unidade Escolar: E. E. Professora Regina Dias Antunes da Silva
Cidade: Apiaí (SP)
Diretoria de Ensino: Apiaí (SP)

4º lugar: Adrian Mais dos Santos de Jesus

Unidade Escolar: E.E. João Jacinto do Nascimento
Cidade: Ibaté (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

5º lugar: Gabriela Marini de Lima

Unidade Escolar: E. E. Doutora Isabel Campos
Cidade: Presidente Venceslau (SP)
Diretoria de Ensino: Santo Anastácio (SP)

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal.

 

Estudo HIPO-CP: ensaio clínico feito no HA com o objetivo de estudar a viabilidade de se realizar um tratamento com “radioterapia acelerada”.

O departamento de radioterapia do Hospital de Amor deu mais um grande passo no que se refere à tecnologia e excelência e publicou, no dia 23 de outubro de 2018, na revista científica BMC Cancer (um periódico médico de acesso aberto, revisado por profissionais que publicam pesquisas originais sobre câncer e oncologia), um estudo chamado HIPO-CP. Trata-se de um ensaio clínico feito no HA com o objetivo de estudar a viabilidade de se realizar um tratamento com “radioterapia acelerada”, associado com quimioterapia, para o tratamento de câncer de cabeça e pescoço.

Através de uma tecnologia chamada IMRT (do inglês intensity modulated radiation therapy) foi possível comprovar a segurança do tratamento, que passou a ter duração de apenas 4 semanas, ao invés de 7, e resultados expressivos à doença. Pioneiro no Brasil, o estudo também foi o primeiro no mundo a usar cisplatina (quimioterapia mais recomendada para se associar à radioterapia nesta doença).

De acordo com o coordenador científico do departamento de radioterapia do Hospital de Amor, Dr. Alexandre Arthur Jacinto, mais de 160 pacientes em tratamento de câncer de cabeça e pescoço na instituição já foram beneficiados com a radioterapia acelerada. “A partir deste método, abre-se um novo potencial de estudo em câncer de cabeça e pescoço e uma mudança no padrão de tratamento para este tipo de doença”, afirmou.

Dr. Alexandre Arthur Jacinto é coordenador científico do departamento de radioterapia do Hospital de Amor.

Os benefícios
Segundo o médico, quando falamos em câncer, estamos nos referindo a uma doença muito agressiva, onde os tratamentos acelerados podem ser bem mais efetivos. Além disso, trata-se de uma enfermidade muito frequente no mundo todo, sendo mais frequente e com maiores taxas de mortalidade em países com menos recursos de saúde, especialmente aqueles com baixo acesso à radioterapia, como é o caso do Brasil.

Graças ao estudo, é possível oferecer um tratamento com potencial maior de cura e com tempo de duração mais rápido que o habitual, permitindo que o paciente volte para sua casa antes, já que a grande maioria dos pacientes do HA viajam longas distâncias para receber tratamento. “Apesar de todos esses benefícios, o maior impacto deste estudo é a possibilidade de se otimizar o uso dos poucos equipamentos de radioterapia existentes no país, onde há longas filas de espera para se conseguir realizar o procedimento. É importante lembrarmos que, infelizmente, muitos pacientes morrem antes mesmo de se conseguir receber a radioterapia por falta de acesso ao tratamento. Isso é uma realidade não apenas do nosso país, mas de muitos outros também”, declarou Jacinto.

Dentre todos os benefícios proporcionados pela radioterapia acelerada, estão:
1) Maior potencial de cura para uma doença tão frequente e grave;
2) Tratamento mais rápido e pacientes com retornos antecipados para suas casas;
3) Mais acesso dos pacientes com câncer ao tratamento de radioterapia, já que o procedimento será encurtado.

Atualmente, o departamento de radioterapia do Hospital de Amor está participando de um grande projeto de pesquisa internacional, que visa comparar este tratamento de radioterapia acelerada, com a radioterapia convencional. Trata-se do HYPNO TRIAL – coordenado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e ligada à Organização das Nações Unidas (ONU). O estudo multicêntrico já recrutou 700 pacientes, entre 850 previstos.

A boa notícia é que o Hospital de Amor é considerado um dos maiores centros em termos de taxas de inclusão no estudo.

Para ter acesso à publicação do estudo referente à radioterapia acelerada, clique aqui.

O curso recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição.

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM), ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, realizou, entre os dias 22 e 26 de julho, a quinta edição do Curso de Inverno em Oncologia Molecular (CIOM), que recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição. O intuito é permitir o contato mais próximo destes alunos com toda a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

O curso intensivo oferece conteúdos sobre oncologia e biologia molecular, por meio de aulas e palestras com pesquisadores do HA, que também ficam disponíveis para atender aos participantes durante todo o decorrer do evento. Segundo a integrante da comissão organizadora do CIOM, Flávia Fernandes, neste ano, o curso foi pensado para tornar a ciência mais próxima da realidade dos estudantes, com palestras que foram na aplicação da pesquisa na prática clínica. “Nós trouxemos temas como câncer hereditário e imunoterapia, que foram apresentados por médicos oncologistas da instituição. Com isso, os alunos conseguiram ver, de fato, o impacto e importância da pesquisa e como ela muda a vida dos pacientes. Além de conhecerem um pouco da rotina do hospital, que se equipara aos melhores do mundo”.

Outra novidade deste ano foi a utilização de um aplicativo que propiciou um maior envolvimento dos alunos, que puderam compartilhar opiniões, tirar suas dúvidas e também votar sobre a qualidade das atividades de forma anônima em tempo real. A intenção, de acordo com a comissão organizadora, foi criar um ambiente mais confortável de interação. “Percebemos que os alunos mais introvertidos puderam também ter voz e participar das discussões, em um espaço onde ficaram bastante à vontade para elogiar, criticar e perguntar ao final de cada palestra. O aplicativo realmente trouxe contribuições relevantes que talvez não teriam surgido sem ele”, ressaltou Flávia.

Muitos dos atuais pesquisadores e discentes do programa de pós-graduação do HA passaram pelo Curso de Inverno em Oncologia Molecular em edições passadas, o que serve de incentivo aos futuros alunos e contribui para a divulgação e avanço da pesquisa instituição.

O V Curso de Inverno em Oncologia Molecular se propôs a tornar a pesquisa mais próxima da realidade dos alunos, permitindo um contato deles com a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

Entre os dias 20 e 31 de maio, o Hospital de Amor, através do seu Centro de Treinamento em Prevenção e do Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia, realizou mais um treinamento para os colaboradores do SESC. A 6ª turma, que contou com 29 novos profissionais, entre eles: coordenadores, enfermeiros, técnicos de radiologia e educadores em saúde, veio de várias partes do Brasil para participar da capacitação.

Roberta Vilhena é analista de saúde do departamento nacional do SESC.

De acordo com a analista de saúde do departamento nacional do SESC, Roberta Vilhena, trata-se de uma formação destinada aos novos colaboradores do projeto “Sesc Saúde Mulher” – composto por unidades móveis que realizam exames para prevenção de câncer de mama e colo de útero, além do desenvolvimento de ações educativas para promoção em saúde. “Esse treinamento é extremamente importante para que os funcionários iniciem suas atividades em nossa instituição alinhados com nossa proposta metodológica e alcançando o nível de qualidade que esperamos. Sendo assim, devido à excelência e qualidade reconhecidos internacionalmente, não poderíamos deixar de ter o Hospital de Amor como parceiro nesse trabalho”, afirmou.

Ao todo, o HA já capacitou 196 alunos do SESC, entre os cursos de ‘Reciclagem em Mamografia’ (onde os técnicos em mamografia são orientados para fazer o posicionamento correto da mama no exame), ‘Gerência em Prevenção do Câncer de Mama com Ênfase em Qualidade’ (destinado para colaboradores que são responsáveis pelas unidades móveis), ‘Educação em Saúde’, ‘Coleta de Papanicolaou’ (destinado a enfermeiras) e ‘Suporte Básico à Vida’. Todas as capacitações são realizadas por profissionais do Hospital de Amor, que oferecem também suporte em tempo integral aos participantes.

A 6ª turma do SESC contou com 29 novos profissionais, entre eles: coordenadores, enfermeiros, técnicos de radiologia e educadores em saúde.

Segundo o coordenador do Centro de Treinamento do Hospital de Amor, Thiago Buosi Silva, além dos treinamentos dos profissionais, o hospital emite os laudos de mamografia de todas as unidades móveis do SESC (sendo 25 no total) e faz o controle de qualidade técnico, clínico e médico dessas imagens. “Graças a essa parceria, todas as pessoas que começam a atuar na equipe do SESC, vêm ao Hospital de Amor receber a capacitação. Com a expansão do projeto, outras unidades sendo inauguradas e também novas admissões, finalizamos a 6ª turma e já estamos planejando a 7ª”, declarou o coordenador.

Até o momento, o Centro de Treinamento já realizou 190 cursos e capacitou 1.126 alunos de instituições de todos os estados do país.

Sobre o Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia
Criado em 2012, na cidade de Barretos, interior do estado de São Paulo, o Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia presta serviços nas áreas de capacitação, reciclagem, treinamento e pós-graduação em mamografia, em parceria com o Instituto de Prevenção do Hospital de Amor e com a Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB).

Para atender a uma demanda do meio profissional e acadêmico, e com o objetivo de fornecer instrumentos de avaliação práticos, válidos e confiáveis, o núcleo elabora e administra cursos 80% práticos, baseados em modelos europeus de qualidade.

Os cursos oferecidos são reconhecidos na área educacional pelo Ministério da Educação (MEC) e apoiados por centros de treinamento internacionais, como o LRCB – National Expert and Training Centre for Breast Cancer Screening, e também por profissionais de saúde que coordenam serviços de mamografia em diversos locais do Brasil, devido aos resultados precisos e consistentes fornecidos.

Além disso, o reconhecimento dos cursos do Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia possibilitou a criação de uma certificação de abrangência nacional adequada às necessidades do país como uma alternativa aos certificados internacionais disponíveis.

Saiba mais sobre o núcleo acessando: www.nucleodemamografia.com.br.

Para atender a uma demanda do meio profissional e acadêmico, e com o objetivo de fornecer instrumentos de avaliação práticos, válidos e confiáveis, o Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia elabora e administra cursos 80% práticos, baseados em modelos europeus de qualidade.

 


Publicado em 01 de jul de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa, Prevenção

O Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor, lançou na última quinta-feira, dia 5, o “Guia de Educação em Saúde e Câncer”, desenvolvido em parceria com o Departamento Nacional do Serviço Social do Comércio – SESC. O livro, que começou a ser estruturado há dois anos, é o único deste formato no Brasil e tem como principal objetivo oferecer suporte teórico e prático para ações de Educação em Saúde, sobretudo dentro da temática câncer.

Gerson Vieira, coordenador do NEC, ao lado da analista de gerência de formação e pesquisa (SESC/DN), Maria Clotilde de Carvalho, e o do diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa do HA, Dr. Vinicius Vazquez.

“A temática Educação em Saúde é muito ampla, mas nós tentamos fazer um resgate histórico global, afunilando para América Latina e Brasil, finalizando com a análise dos trabalhos desenvolvidos pelo e no Hospital de Amor durante seus quase 60 anos”, detalhou o coordenador do NEC, Gerson Lúcio Vieira. O guia, que também será disponibilizado em formato digital, traça uma linha do tempo desde a fundação da instituição e conceitua as práticas de atenção ao câncer, até culminar nas ações de educação em saúde desenvolvidas com este viés.

O evento reuniu seis secretários de educação e a diretora de ensino da região de Barretos, além de mais de 150 professores, diretores e coordenadores de escolas de toda região, e também marcou a apresentação da Agenda 2020 do “Programa de Educação em Saúde e Câncer nas Escolas (PESCE)”, que une 12 projetos do NEC desenvolvidos exclusivamente para o ambiente escolar.

Com o intuito de motivar os educadores e ampliar o conhecimento sobre novos métodos de aprendizado, o NEC trouxe para o lançamento a palestra “Jogos Digitais como estratégia para a Educação e a Saúde”, ministrada por Tiago Eugênio, biólogo formado pela UNESP, com mestrado em psicobiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

Para celebrar os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia no HA e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo.

Neste ano, o Hospital de Amor comemora os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia realizada na instituição, técnica que hoje é rotina no tratamento de muitos pacientes. Para celebrar a data e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo, no último dia 29 de novembro, que, além de abordar a evolução na indicação do procedimento ao longo dos anos, trouxe discussões sobre o que há de mais inovador na área, sobretudo, na segurança e utilização da tecnologia e novos materiais para a realização da videolaparoscopia.

Segundo o presidente do Hospital de Amor, Henrique Duarte Prata, a decisão de trazer a técnica para a instituição, mesmo com as dificuldades apresentadas na época, foi baseada no objetivo de sempre levar o melhor e mais adequado tratamento aos pacientes. De acordo com o médico titular do departamento do digestivo baixo do HA, Dr. Marcos Denadai, o uso da videolaparoscopia no HA foi fundamental para o avanço e melhoria da tecnologia no Brasil e no mundo, sobretudo, no tratamento oncológico.

Desde 2011, a parceria entre o Hospital de Amor e o Instituto de Treinamento em Técnicas Minimante Invasivas e Cirurgia Robótica – IRCAD – transformou a cidade de Barretos em uma referência também na formação de cirurgiões especialistas técnicas minimamente invasivas, recebendo profissionais de toda a América Latina.

O evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.

Além do presidente do HA, Henrique Prata, médicos e profissionais do instituição, o evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.

Anualmente, o Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor reúne educadores e profissionais da saúde para o “Simpósio de Educação em Saúde”, que neste ano aconteceu no dia 8 de novembro, com o intuito de promover o diálogo sobre temáticas que versam os campos da educação e da saúde, tendo em vista a troca de experiências e a oportunidade de pensar estratégias que embasem os trabalhos e projetos que interfiram na realidade e cotidiano da sociedade atual.

O Simpósio contou com a apresentação de trabalhos orais e pôsteres, além das apresentações artísticas do Grupo Virtuoso e do Coral Acordes Vocais.

Em sua quarta edição, o evento trouxe como temática central a importante relação entre o bem-estar mental e a educação, trabalhada por meio de workshops e palestras ministradas por nomes de destaque no cenário nacional, como a neurocientista Carla Tieppo, doutora em ciências pela Universidade de São Paulo (USP), pesquisadora e especialista sobre o funcionamento do sistema nervoso e suas relações com a mente e o comportamento humano.

Segundo a Dra. Carla Tieppo, existe um aspecto muito importante em se trabalhar a saúde mental dentro da educação, “fundamentalmente porque preservar a saúde mental e trabalhar a prevenção em patologias de saúde mental está diretamente relacionada a qualidade de vida. E qualidade de vida é algo que a gente constrói, é algo que se educa para ter”, ressalta.

O coordenador do NEC, Gerson Lucio Vieira, explica que a temática escolhida vai de encontro com o propósito do Núcleo, que é a de impulsionar e propagar informações que promovam conhecimento sobre qualidade de vida e promoção de saúde, tornando o indivíduo autônomo, independente e consciente no que diz respeito ao seu bem-estar físico e mental.

Com cerca de 140 participantes, o Simpósio contou, ainda, com a apresentação de trabalhos orais e pôsteres, além das apresentações artísticas do Grupo Virtuoso e do Coral Acordes Vocais, formado por médicos, pesquisadores e colaboradores do Hospital de Amor.

 

Em sua quarta edição, o evento trouxe como temática central a importante relação entre o bem-estar mental e a educação, trabalhada por meio de workshops e palestras ministradas por nomes de destaque no cenário nacional.
A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição e alguns de seus principais projetos.

Uma visita especial marcou o Hospital de Amor neste dia 25 de outubro. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição (como a unidade infantojuvenil e o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrica -TMO), e alguns de seus principais projetos (como o de reabilitação, Bella Vita).

Entre os setores visitados, a primeira-dama conheceu o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico e o projeto de reabilitação, Bella Vita.

Após o almoço, Michelle se reuniu com centenas de pessoas, entre voluntários, diretores e colaboradores do HA, além de políticos e representantes, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, para fazer uma palestra sobre o Programa Pátria Voluntária, o qual preside.

Durante a cerimônia, o gerente de captação de recursos do Hospital de Amor, Luiz Antônio Zardini, falou sobre a importância do trabalho voluntário para o mundo e, especialmente, para os pacientes do hospital. “O voluntário é um visionário, pois ele consegue enxergar a fraternidade e o amor. Eles são presença de Deus junto aos pacientes, seja no hospital ou em suas residências. Afinal, não basta servir, é preciso amar!”, afirmou.

A coordenadora do departamento de Recursos Humanos da instituição, Renata Paschoal, explicou sobre os dois tipos de voluntariado que existem no HA (o que é conduzido pela Associação Voluntária de Combate ao Câncer – AVCC – e o que é gerenciado pelo departamento de Projetos Sociais da instituição) e suas diversas áreas de atuação.

Em seguida, a primeira-dama falou sobre a “Pátria Voluntária” e sua missão: fomentar a cultura do voluntariado do Brasil, contribuindo com um país mais justo, inclusivo e social. “Estou muito feliz em estar aqui e muito honrada em ser intitulada ‘Madrinha do projeto de reabilitação não oncológica Dream’, pois a reabilitação é tão importante quanto o tratamento. Muito obrigada!”, declarou Michelle.

Da esquerda para a direita: deputada federal, Silvia Chagas; presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata; prefeito municipal de Barretos (SP), Guilherme de Ávila; coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi; primeira-dama, Michelle Bolsonaro; deputada federal, Katia Sastre; e secretário de saúde de Araguaína (TO), Jean Coutinho.

Para comprovar isso e na tentativa de superar seus próprios limites, o Coral ‘Papo Furado’ – composto por pacientes laringectomizados, ou seja, que retiraram a laringe por causa do câncer – se apresentou e emocionou a todos, entoando a música ‘É preciso saber viver, do Titãs.

O rádio-oncologista e coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi, explicou sobre o trabalho de reabilitação do Hospital de Amor e enalteceu seu principal objetivo, que é oferecer aos pacientes condições dignas para se reinserir na sociedade, ser integrado e incluído. “Hoje a nossa instituição dá um grande passo, pois vamos construir o melhor centro de reabilitação não oncológica da América Latina, o ‘Dream’, que receberá o nome da nossa primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Grandes sonhos só se tornam realidade com pessoas que acreditam nele, por isso, não posso deixar de homenagear o prefeito Guilherme de Ávila; a deputada federal, Katia Sastre (responsável pela doação da ala dos surdos no novo centro); a deputada federal, Silvia Chagas; e o secretário de saúde de Araguaína, Jean Coutinho (representando o prefeito Ronaldo Dimas), que levará uma outra unidade deste centro para o estado do Tocantins. E como um grande sonho deve estar nas mãos de uma grande pessoa, convidamos a senhora Michelle Bolsonaro para ser a madrinha”, explicou o médico.

De acordo com o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, esse dia vai ficar escrito na história do HA. “Quem tem amor dentro do hospital, não limita seus sonhos, e quando o Dr. Daniel me desenhou esse projeto, eu senti que ele foi escolhido por Deus para fazer, com muita competência, o maior complexo de reabilitação da América Latina. E a Michelle nos mostrou que seu coração é igual ao nosso e nos acolheu com esse sonho. Muito obrigado! O Hospital de Amor tem o maior orgulho em tê-la no ‘quadro da família HA’”, finalizou.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

Outubro ainda não chegou, mas as ações que se estenderão durante o mês destinado à conscientização sobre a prevenção do câncer de mama já começaram no Hospital de Amor. Exemplo disso é o projeto Talento Rosa 2019, lançado na última quarta-feira (18) para cerca de 170 professores, dirigentes e representantes das escolas públicas e particulares de Barretos (SP) e região. O projeto, que é organizado pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC), ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HA, tem o intuito de estimular nos alunos a cultura do autocuidado, qualidade de vida, prevenção primária e secundária do câncer de mama por meio da produção de vídeos, frases, desenhos e cartazes.

Paula Carvalho – enfermeira coordenadora do Instituto de Prevenção do Hospital de Amor – ao lado da presidente do Instituto HUMSOL e vice-presidente da FEMAMA, Tânia Mary Gomez.

Todos os anos, é durante o lançamento que os educadores são capacitados e orientados sobre a aplicação do projeto em sala de aula. Em 2019, o NEC trouxe até Barretos a palestra ‘Prevenir é o alvo’ e a oficina ‘Chaveiro da Vida – Prevenção ao alcance das mãos’, ministradas pela presidente do Instituto HUMSOL (Instituto Humanista de Desenvolvimento Social) e vice-presidente da FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama), Tânia Mary Gomez. “Eu faço este trabalho há anos Já viajei o para vários lugares do Brasil e do mundo conhecendo de perto trabalhos de conscientização e prevenção de câncer, mas o que é desenvolvido pelo Hospital de Amor e a maneira como os programas são aplicados aqui é incrível, louvável”.

O Coordenador do NEC, Gerson Lucio Vieira, explica que o Talento Rosa, que faz parte do Programa de Educação em Saúde e Câncer nas Escolas, é um dos projetos de maior capilaridade e que chega a ser aplicado para quase 30 mil crianças e adolescentes. “Os alunos são estimulados a realizar produções artísticas de acordo com os ciclos escolares, e cada sala de aula elege uma que melhor represente a reflexão da turma. No último ano, recebemos 715 produções de 80 instituições de ensino. Para nós, é importante ver o quanto eles se mobilizam e como toda a informação trabalhada em sala de aula também chega aos familiares, neste caso, para as mulheres de seu núcleo familiar”, se orgulha o coordenador. O NEC também é responsável por oferecer todo o material de subsídio teórico sobre o tema aos docentes, como textos, artigos e vídeos.

O projeto Talento Rosa 2019, lançado na última quarta-feira (18), reuniu cerca de 170 professores, dirigentes e representantes das escolas públicas e particulares de Barretos (SP) e região.

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do Hospital de Amor, ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP), realizou, nos últimos dias 13 e 14, seu “VII Simpósio Internacional de Oncologia Translacional”, que reuniu cerca de 180 participantes e mais de 100 trabalhos científicos, entre pôsteres e apresentações orais. O evento trouxe para Barretos (SP) vinte palestrantes que são referência no mundo em pesquisas relacionadas à oncologia.

Mayana Zatz é bióloga molecular e geneticista, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil.

Entre os temas debatidos, estiveram os últimos desenvolvimentos científicos e tecnológicos da área, como a imunoterapia translacional e novos modelos experimentais promissores, entre os quais, o potencial uso terapêutico do vírus da Zika, trazido pela bióloga molecular e geneticista Mayana Zatz, reconhecida internacionalmente pela defesa e pioneirismo no estudo com células-tronco no Brasil. A pesquisadora, que aproveitou a estadia em Barretos para conhecer a estrutura oferecida pelo HA, tanto em pesquisa quanto em assistência, mostrou-se impressionada com a ciência realizada pela instituição e ressaltou a importância de continuar dedicando esforços nesse campo. “Investir em ciência é, absolutamente, essencial. Naturalmente, é mais compreensível quando se investe em ciência aplicada à parte clínica, mas não podemos esquecer da ciência básica. Estar aqui me trouxe uma visão extremamente otimista sobre como é possível fazer ciência de primeiro mundo, apesar das dificuldades, e as possibilidades de expandir isso”.

Para o diretor executivo e científico do IEP e coordenador do CPOM, Dr. Rui Reis, a participação de palestrantes que apresentaram suas próprias experiências e resultados em temas altamente relevantes dentro da oncologia translacional, que faz a ponte entre a pesquisa básica e sua aplicação clínica, foi o grande diferencial do evento, além da descentralização do conhecimento que, no Brasil, acaba de restringindo aos grandes centros e capitais. “O simpósio, em sua sétima edição, tem gerado vários frutos e parcerias nacionais e internacionais entre os centros de referência de todo o mundo, o que traz, consequentemente, mais know-how e expertise para os grupos envolvidos. Acima de tudo, cria-se uma cultura científica com um alto padrão de excelência, que leva certamente ao crescimento de todos”.

O evento se encerrou com a promessa de uma próxima edição para 2021, que deverá acontecer novamente no mês de setembro.

 

Confira também o vídeo sobre o encontro:

Mais de 15 mil redações enviadas por alunos de aproximadamente 300 escolas de todo o estado de São Paulo. Estes são os números do 7º Concurso de Redação do Hospital de Amor, organizado pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) da instituição, que se encerrou na sexta-feira, 9 de agosto, com a premiação dos cinco finalistas e anúncio da grande vencedora: Joana Albuquerque Copetti. A cerimônia, que reuniu alunos e professores de Barretos (SP) e região, contou com a presença do secretário executivo de educação do estado de São Paulo, Haroldo Corrêa Rocha, além da dirigente regional de ensino de Barretos, Solange de Oliveira Bellini, do diretor executivo e científico do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HA, Rui Reis, e do diretor de extensão do IEP, Vinicius de Lima Vazquez.

Os 5 finalistas participaram de um estágio guiado no CPOM do HA.

Nos três dias que antecederam a premiação, os finalistas participaram de um estágio guiado no Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do HA, onde puderam conhecer, na prática, a rotina dos pesquisadores e saber mais sobre o seu papel na instituição. “O Concurso de Redação tem como principal objetivo difundir o conhecimento, popularizar a ciência e estimular jovens talentos na investigação científica, por isso, entendemos que é extremamente importante proporcionar esta experiência aos autores das melhores redações. É uma maneira de trazê-los para mais perto desta realidade e, quem sabe, despertá-los para uma futura profissão”, ressaltou o coordenador do NEC, Gerson Lúcio Vieira. Além do estágio, a primeira colocada também ganhou um notebook, assim como, a sua professora orientadora, e os demais finalistas foram premiados com tablets.

Haroldo Corrêa Rocha, que visitou a instituição pela primeira vez, enfatizou a importância da ação e reafirmou o compromisso da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que é parceria do projeto desde 2016. “Sabemos do valor – e as dificuldades – em se trabalhar com Saúde e Educação e é louvável a maneira como essas duas áreas tão essenciais se unem aqui. Com certeza é um exemplo a ser replicado!”.

A grande vencedora do concurso foi: Joana Albuquerque Copetti, de Borborema (SP).

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal, que, apesar de pouco falado, é o terceiro mais frequente entre homens.

Confira a classificação dos finalistas de 2019:
1º lugar: Joana Albuquerque Copetti

Unidade Escolar: E.E. Manoel Silveira Bueno
Cidade: Borborema (SP)
Diretoria de Ensino: Taquaritinga (SP)

2º lugar: Yzadora Calza Siqueira

Unidade Escolar: E. E. Conde do Pinhal
Cidade: São Carlos (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

3º lugar: Emanuelle Carvalho Oliveira

Unidade Escolar: E. E. Professora Regina Dias Antunes da Silva
Cidade: Apiaí (SP)
Diretoria de Ensino: Apiaí (SP)

4º lugar: Adrian Mais dos Santos de Jesus

Unidade Escolar: E.E. João Jacinto do Nascimento
Cidade: Ibaté (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

5º lugar: Gabriela Marini de Lima

Unidade Escolar: E. E. Doutora Isabel Campos
Cidade: Presidente Venceslau (SP)
Diretoria de Ensino: Santo Anastácio (SP)

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal.

 

Estudo HIPO-CP: ensaio clínico feito no HA com o objetivo de estudar a viabilidade de se realizar um tratamento com “radioterapia acelerada”.

O departamento de radioterapia do Hospital de Amor deu mais um grande passo no que se refere à tecnologia e excelência e publicou, no dia 23 de outubro de 2018, na revista científica BMC Cancer (um periódico médico de acesso aberto, revisado por profissionais que publicam pesquisas originais sobre câncer e oncologia), um estudo chamado HIPO-CP. Trata-se de um ensaio clínico feito no HA com o objetivo de estudar a viabilidade de se realizar um tratamento com “radioterapia acelerada”, associado com quimioterapia, para o tratamento de câncer de cabeça e pescoço.

Através de uma tecnologia chamada IMRT (do inglês intensity modulated radiation therapy) foi possível comprovar a segurança do tratamento, que passou a ter duração de apenas 4 semanas, ao invés de 7, e resultados expressivos à doença. Pioneiro no Brasil, o estudo também foi o primeiro no mundo a usar cisplatina (quimioterapia mais recomendada para se associar à radioterapia nesta doença).

De acordo com o coordenador científico do departamento de radioterapia do Hospital de Amor, Dr. Alexandre Arthur Jacinto, mais de 160 pacientes em tratamento de câncer de cabeça e pescoço na instituição já foram beneficiados com a radioterapia acelerada. “A partir deste método, abre-se um novo potencial de estudo em câncer de cabeça e pescoço e uma mudança no padrão de tratamento para este tipo de doença”, afirmou.

Dr. Alexandre Arthur Jacinto é coordenador científico do departamento de radioterapia do Hospital de Amor.

Os benefícios
Segundo o médico, quando falamos em câncer, estamos nos referindo a uma doença muito agressiva, onde os tratamentos acelerados podem ser bem mais efetivos. Além disso, trata-se de uma enfermidade muito frequente no mundo todo, sendo mais frequente e com maiores taxas de mortalidade em países com menos recursos de saúde, especialmente aqueles com baixo acesso à radioterapia, como é o caso do Brasil.

Graças ao estudo, é possível oferecer um tratamento com potencial maior de cura e com tempo de duração mais rápido que o habitual, permitindo que o paciente volte para sua casa antes, já que a grande maioria dos pacientes do HA viajam longas distâncias para receber tratamento. “Apesar de todos esses benefícios, o maior impacto deste estudo é a possibilidade de se otimizar o uso dos poucos equipamentos de radioterapia existentes no país, onde há longas filas de espera para se conseguir realizar o procedimento. É importante lembrarmos que, infelizmente, muitos pacientes morrem antes mesmo de se conseguir receber a radioterapia por falta de acesso ao tratamento. Isso é uma realidade não apenas do nosso país, mas de muitos outros também”, declarou Jacinto.

Dentre todos os benefícios proporcionados pela radioterapia acelerada, estão:
1) Maior potencial de cura para uma doença tão frequente e grave;
2) Tratamento mais rápido e pacientes com retornos antecipados para suas casas;
3) Mais acesso dos pacientes com câncer ao tratamento de radioterapia, já que o procedimento será encurtado.

Atualmente, o departamento de radioterapia do Hospital de Amor está participando de um grande projeto de pesquisa internacional, que visa comparar este tratamento de radioterapia acelerada, com a radioterapia convencional. Trata-se do HYPNO TRIAL – coordenado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e ligada à Organização das Nações Unidas (ONU). O estudo multicêntrico já recrutou 700 pacientes, entre 850 previstos.

A boa notícia é que o Hospital de Amor é considerado um dos maiores centros em termos de taxas de inclusão no estudo.

Para ter acesso à publicação do estudo referente à radioterapia acelerada, clique aqui.

O curso recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição.

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM), ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, realizou, entre os dias 22 e 26 de julho, a quinta edição do Curso de Inverno em Oncologia Molecular (CIOM), que recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição. O intuito é permitir o contato mais próximo destes alunos com toda a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

O curso intensivo oferece conteúdos sobre oncologia e biologia molecular, por meio de aulas e palestras com pesquisadores do HA, que também ficam disponíveis para atender aos participantes durante todo o decorrer do evento. Segundo a integrante da comissão organizadora do CIOM, Flávia Fernandes, neste ano, o curso foi pensado para tornar a ciência mais próxima da realidade dos estudantes, com palestras que foram na aplicação da pesquisa na prática clínica. “Nós trouxemos temas como câncer hereditário e imunoterapia, que foram apresentados por médicos oncologistas da instituição. Com isso, os alunos conseguiram ver, de fato, o impacto e importância da pesquisa e como ela muda a vida dos pacientes. Além de conhecerem um pouco da rotina do hospital, que se equipara aos melhores do mundo”.

Outra novidade deste ano foi a utilização de um aplicativo que propiciou um maior envolvimento dos alunos, que puderam compartilhar opiniões, tirar suas dúvidas e também votar sobre a qualidade das atividades de forma anônima em tempo real. A intenção, de acordo com a comissão organizadora, foi criar um ambiente mais confortável de interação. “Percebemos que os alunos mais introvertidos puderam também ter voz e participar das discussões, em um espaço onde ficaram bastante à vontade para elogiar, criticar e perguntar ao final de cada palestra. O aplicativo realmente trouxe contribuições relevantes que talvez não teriam surgido sem ele”, ressaltou Flávia.

Muitos dos atuais pesquisadores e discentes do programa de pós-graduação do HA passaram pelo Curso de Inverno em Oncologia Molecular em edições passadas, o que serve de incentivo aos futuros alunos e contribui para a divulgação e avanço da pesquisa instituição.

O V Curso de Inverno em Oncologia Molecular se propôs a tornar a pesquisa mais próxima da realidade dos alunos, permitindo um contato deles com a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

Entre os dias 20 e 31 de maio, o Hospital de Amor, através do seu Centro de Treinamento em Prevenção e do Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia, realizou mais um treinamento para os colaboradores do SESC. A 6ª turma, que contou com 29 novos profissionais, entre eles: coordenadores, enfermeiros, técnicos de radiologia e educadores em saúde, veio de várias partes do Brasil para participar da capacitação.

Roberta Vilhena é analista de saúde do departamento nacional do SESC.

De acordo com a analista de saúde do departamento nacional do SESC, Roberta Vilhena, trata-se de uma formação destinada aos novos colaboradores do projeto “Sesc Saúde Mulher” – composto por unidades móveis que realizam exames para prevenção de câncer de mama e colo de útero, além do desenvolvimento de ações educativas para promoção em saúde. “Esse treinamento é extremamente importante para que os funcionários iniciem suas atividades em nossa instituição alinhados com nossa proposta metodológica e alcançando o nível de qualidade que esperamos. Sendo assim, devido à excelência e qualidade reconhecidos internacionalmente, não poderíamos deixar de ter o Hospital de Amor como parceiro nesse trabalho”, afirmou.

Ao todo, o HA já capacitou 196 alunos do SESC, entre os cursos de ‘Reciclagem em Mamografia’ (onde os técnicos em mamografia são orientados para fazer o posicionamento correto da mama no exame), ‘Gerência em Prevenção do Câncer de Mama com Ênfase em Qualidade’ (destinado para colaboradores que são responsáveis pelas unidades móveis), ‘Educação em Saúde’, ‘Coleta de Papanicolaou’ (destinado a enfermeiras) e ‘Suporte Básico à Vida’. Todas as capacitações são realizadas por profissionais do Hospital de Amor, que oferecem também suporte em tempo integral aos participantes.

A 6ª turma do SESC contou com 29 novos profissionais, entre eles: coordenadores, enfermeiros, técnicos de radiologia e educadores em saúde.

Segundo o coordenador do Centro de Treinamento do Hospital de Amor, Thiago Buosi Silva, além dos treinamentos dos profissionais, o hospital emite os laudos de mamografia de todas as unidades móveis do SESC (sendo 25 no total) e faz o controle de qualidade técnico, clínico e médico dessas imagens. “Graças a essa parceria, todas as pessoas que começam a atuar na equipe do SESC, vêm ao Hospital de Amor receber a capacitação. Com a expansão do projeto, outras unidades sendo inauguradas e também novas admissões, finalizamos a 6ª turma e já estamos planejando a 7ª”, declarou o coordenador.

Até o momento, o Centro de Treinamento já realizou 190 cursos e capacitou 1.126 alunos de instituições de todos os estados do país.

Sobre o Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia
Criado em 2012, na cidade de Barretos, interior do estado de São Paulo, o Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia presta serviços nas áreas de capacitação, reciclagem, treinamento e pós-graduação em mamografia, em parceria com o Instituto de Prevenção do Hospital de Amor e com a Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB).

Para atender a uma demanda do meio profissional e acadêmico, e com o objetivo de fornecer instrumentos de avaliação práticos, válidos e confiáveis, o núcleo elabora e administra cursos 80% práticos, baseados em modelos europeus de qualidade.

Os cursos oferecidos são reconhecidos na área educacional pelo Ministério da Educação (MEC) e apoiados por centros de treinamento internacionais, como o LRCB – National Expert and Training Centre for Breast Cancer Screening, e também por profissionais de saúde que coordenam serviços de mamografia em diversos locais do Brasil, devido aos resultados precisos e consistentes fornecidos.

Além disso, o reconhecimento dos cursos do Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia possibilitou a criação de uma certificação de abrangência nacional adequada às necessidades do país como uma alternativa aos certificados internacionais disponíveis.

Saiba mais sobre o núcleo acessando: www.nucleodemamografia.com.br.

Para atender a uma demanda do meio profissional e acadêmico, e com o objetivo de fornecer instrumentos de avaliação práticos, válidos e confiáveis, o Núcleo de Aperfeiçoamento em Mamografia elabora e administra cursos 80% práticos, baseados em modelos europeus de qualidade.

 


Publicado em 01 de jul de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa, Prevenção