fbpx

HA oferece treinamento de humanização aos seus colaboradores

O programa de treinamento contou com a parceria entre o HA, a Arte Despertar, e o apoio do laboratório Merck Sharp and Dohme (MSD).

A humanização já é marca registrada no Hospital de Amor! Em todas as suas unidades espalhadas pelo país e também nas ações desenvolvidas por cada um de seus profissionais, é possível encontrar carinho, dedicação e amor ao próximo. E para que essa prática fosse aprimorada, os colaboradores do HA e da Santa Casa de Misericórdia de Barretos participaram, no último dia 11 de abril, do 1º módulo do programa de treinamento “Arte Despertar”, com o objetivo de estimular habilidades e competências em liderança, comunicação, trabalho em equipe e motivação, para fortalecer, ainda mais, o atendimento humanizado aos pacientes.

Vivências envolvendo música e narração de histórias foram os destaques da capacitação, que contou com a parceria entre o HA, a Arte Despertar, e o apoio do laboratório Merck Sharp and Dohme (MSD).

De acordo com a gerente de recursos humanos da instituição, Fernanda Vieira Zabeu, a iniciativa gerou momentos de reflexão entre os participantes. “O projeto trará a possibilidade de desenvolvimento de ações pelos colaboradores, que transformará o ambiente de trabalho”, afirmou. Para a gerente de recursos humanos da Santa Casa, Renata Paschoal, o programa de treinamento vai ao encontro dos valores do hospital. “Os propósitos oferecidos pelo Arte Despertar são excelentes para que os funcionários vivenciem um cuidado diferenciado aos pacientes. Trata-se de um projeto muito bonito e sério. Estamos felizes com a parceria”, explicou Renata.

Segundo a diretora executiva do programa, Rosana Junqueira Morales, o maior beneficiado com essa aliança entre as três entidades será o próprio paciente, que passará a receber um atendimento ainda mais qualificado. “Quando o profissional da saúde percebe que está sendo cuidado com carinho, ele vai refletir isso em seu atendimento aos pacientes e na melhoria de todo o ambiente hospitalar. O Hospital de Amor já é reconhecido por essa atenção aos detalhes e, para nós, é uma honra e responsabilidade muito grande receber a missão de contribuir com essa forte política de humanização”, declarou.

Neste primeiro momento, cerca de 140 profissionais receberam a capacitação.

O treinamento
Os treinamentos foram divididos em duas turmas, de cada instituição, e contaram com 25 até 30 profissionais de equipes multidisciplinares em cada uma delas. De acordo com a atriz, arte-educadora e narradora de histórias do projeto, Cristiana Ceschi, o ponto principal do trabalho é a arte, praticada para despertar qualidades, aptidões e sentimentos que expandem o consciente do ser humano. “Todo indivíduo tem uma história, então, nesse trabalho ocorre a tomada de consciência. Por isso, nós utilizamos as narrativas – que dá sentido e valor a existência humana. É preciso se reconhecer, olhar para frente e seguir a diante, através de um percurso que é feito com a arte”, explicou.

Segundo a psicologia do Arte Despertar, Soraya Dacal, o primeiro módulo do treinamento foi sobre o ‘autoconhecimento’, que veio alinhado a teoria “Inteligência Emocional”, de Daniel Goleman. “Nossa ideia é que as pessoas reflitam, vivenciem e resgatem suas emoções. A partir do momento em que as pessoas reconhecem suas emoções, elas podem controla-las e isso será muito importante no contato com o paciente, gerando empatia e refletindo na recuperação dele. O colaborador aprende a levar o coração consigo nos atendimentos”, declarou Soraya.

Neste primeiro momento, cerca de 140 profissionais, das duas instituições, receberam a capacitação. Os próximos módulos, que abordarão temas como: comunicação, empatia e trabalho em equipe, serão realizados nos dias 9 de maio, 13 de junho e 11 de julho, no Hospital de Amor Barretos, Hospital de Amor Infantojuvenil, Hospital São Judas Tadeu (a unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso do Hospital de Amor), Hospital de Amor Jales, Hospital de Amor Nossa Senhora e na Santa Casa de Misericórdia de Barretos.

O 1º módulo do treinamento foi sobre o ‘autoconhecimento’.

Momentos de reflexão
Para a enfermeira do Hospital de Amor São Judas Tadeu, Rubia Maira Skavronki Rodrigues, o treinamento trouxe um momento de descontração e de muita reflexão. “Durante esse tempo eu pude pensar sobre as coisas no qual eu devo valorizar, como o meu trabalho, o meu paciente, minha família e a minha vida pessoal. Tudo o que foi dito me fez pensar se eu estou dando o melhor de mim”, afirmou a enfermeira.

De acordo com o coordenador de enfermagem do HA, Hudson Menezes Taveira, participar do treinamento foi muito gratificante e um bom momento para reunir os colaboradores dos mais diversos departamentos. “A gente pôde trabalhar as memórias e as nossas emoções, já que às vezes nós não temos tempo, devido às atividades do dia a dia no trabalho. Foi um momento para resgatar as nossas emoções. O treinamento superou muito as minhas expectativas”, finalizou Taveira, animado para participar do próximo módulo.

Sobre a Arte Despertar
Há mais de 21 anos, a Arte Despertar contribui para a humanização dos hospitais a partir de uma metodologia própria que usa a narração de histórias e a música para despertar nos pacientes aquilo que está saudável e contribuir para a elevação da sua autoestima, ressiginificando o momento vivido no ambiente hospitalar.

Desde o início, a Arte Despertar preocupou-se também em levar essa experiência aos profissionais da saúde. Para isso, criou seu próprio método de treinamento para desenvolver e fortalecer competências relacionadas ao autoconhecimento, empatia, comunicação, relacionamento interpessoal, dentre outras.

O 1º módulo do programa de treinamento “Arte Despertar”, teve o objetivo de estimular habilidades e competências em liderança, comunicação, trabalho em equipe e motivação, para fortalecer, ainda mais, o atendimento humanizado aos pacientes.
A exposição do “Projeto Arte para a Vida” está localizada no North Shopping Barretos (local onde a mostra ficará disponível para visitação do público até o dia 2 de janeiro de 2019, com entrada gratuita). Foto: Nathan Almeida.

Na tentativa de levar aos pacientes em tratamento na unidade infantojuvenil do Hospital de Amor o envolvimento com os mais diversos tipos de arte, como teatro, desenho, fotografia, leitura e música, contribuindo terapeuticamente para diminuir os impactos causados pela luta contra o câncer, o Instituto Sociocultural do HA, em parceria com Ministério da Cultura, promoveu a exposição do “Projeto Arte para a Vida”.

Marcella Marchioreto é coordenadora do Instituto Sociocultural. Foto: Nathan Almeida.

De acordo com a coordenadora do Instituto Sociocultural, Marcella Marchioreto, as artes são capazes de transmitir emoções e oferecer recordações para a vida toda, eternizando momentos que ficam nos corações. “Foi por isso, e também para marcar uma fase tão importante dessas crianças e adolescentes, que essa iniciativa de cunho cultural foi idealizada. Nossa ideia era potencializar o efeito terapêutico no ambiente intra e extra hospitalar, oportunizando o conhecimento de novas culturas relacionadas aos temas e abrindo caminhos de expressão das emoções de cada um dos participantes”, afirmou.

As oficinas foram realizadas durante o ano todo no Hospital de Amor Infantojuvenil, para proporcionar momentos de recreação e bem-estar aos pacientes, além de contribuir com o sucesso do tratamento. Apresentadas de forma lúdica, as aulas contaram com práticas que envolviam desenhos, análises de fotos, brincadeiras, além de apresentar uma visão técnica e artística adaptada para crianças, estimulando a criatividade, a memória e ampliando a percepção de mundo.

Para encerrar esse importante período de aprendizagem e homenagear todos os envolvidos, entre eles, os profissionais que se dedicaram com tanto amor e os ‘pequenos artistas’, a exposição do “Projeto Arte para a Vida” foi criada. A cerimônia de lançamento aconteceu dia 12 de dezembro, no North Shopping Barretos (local onde a mostra ficará disponível para visitação do público até o dia 2 de janeiro de 2019, com entrada gratuita) e contou com a presença de cerca de 100 pessoas. Até o momento, já passaram por lá mais de 600 visitantes, mas, a expectativa, é que a exposição receba mais de 5 mil visitantes.

Rafaela Santiago e sua filha, Ana Laura, durante a inauguração. Foto: Nathan Almeida.

“A exposição é resultado de um ano de oficina com as crianças do Hospital de Amor Infantojuvenil, um ano de dedicação, aprendizado e muito carinho. Ver o resultado e conseguir passar para o público um pouco da emoção que nos envolvia todos os dias de aula, é muito gratificante. Queremos também que essa exposição mostre o quanto a arte faz bem na vida das crianças e dos adolescentes”, declarou Marcella.

A confirmação disso vem em forma de agradecimento. A mãe da paciente Ana Laura, de 11 anos e natural de Rio Verde (GO), afirma que as oficinas foram um divisor de águas no tratamento da filha. Devido às várias sessões de quimio e radioterapia, a menina ficou reclusa, sem energia e distante. A partir do momento em que começou a participar das aulas, ela renasceu, podendo exercitar suas facetas, externar seus sentimentos e libertar-se. “Como mãe, ver minha menina tão feliz, significou tudo! Participar das aulas, quase que diárias, tornou-se um imenso prazer, uma das muitas alegrias vividas no Hospital. Agradecemos primeiramente a Deus, e depois a cada colaborador do HA, a cada professor, a cada integrante do Instituto Sociocultural e às nossas famílias. Foi uma honra imensa, e nós só temos que agradecer”, comentou a mãe da Ana Laura, Rafaela Santiago.

 

Oficina de Fotografia com o professor Edson Abe. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Fotografia
Mediada pelos fotógrafos Izabella Pivotto Abe e Edson Abe, a oficina de fotografia aconteceu todas as terças-feiras, das 14h às 16h, no espaço da brinquedoteca do hospital. A fotografia é uma das artes que fascinam todas as pessoas, de diferentes épocas e idades. Ela registra emoções e é capaz de oferecer recordações para todas as pessoas. “O ‘Projeto Arte para a Vida’ nos possibilitou compartilhar, de forma lúdica, conhecimento, experiências e arte com as crianças. Uma parte importante das nossas oficinas apresentou a elas que a fotografia contém histórias a serem contadas, emoções a serem vividas e recordações. Na vivência desses encontros, o nosso maior presente foi ver a expressão de cada criança ao segurar a câmera fotográfica pela primeira vez, o sorriso ao conseguir fazer uma foto e a alegria ao interagir com os colegas e colaboradores do Hospital”, relatou o professor Edson Abe.

 

 

Oficina de Literatura com a professora Isabel Borges. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Literatura
Mediada pelas professoras Isabel Cristina Ferreira Borges e Yara Regina Alfano Callado, as oficinas de literatura foram divididas em dois setores da unidade:
– Na brinquedoteca, com a professora Isabel, todas às segundas-feiras, das 14h, às 16h, onde foram trabalhadas diversas linguagens literárias, como: cantigas de roda, leitura de prosas e poesias.
– No centro infusional (local onde as crianças são submetidas às sessões de quimioterapias), com a professora Yara, todas às quartas-feiras, das 9h às 11h, oferecendo espaço para os pacientes darem asas à imaginação através de contos e exercícios de práticas gramaticais.
“Durante o ano de 2018, as tardes na brinquedoteca do HA foram agraciadas com um arco-íris de arte. Como mediadora de leitura, o desafio constante foi criar pontes entre a palavra escrita e os leitores, pacientes e acompanhantes vindos de todas as regiões do Brasil. O exercício do afeto, acolhida e amorosidade é essencial para a humanização no tratamento hospitalar, cujo o tema ‘Superação’ foi o norteador de ações, tendo como referência o projeto a leitura do livro “Pássaro Sem Cor”. Gratidão a Deus e a todos que me proporcionaram um aprendizado ímpar”, declarou Cristina.

 

Oficina de Música com o professor Gustavo Manfrim. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Música
“Se a música é o alimento do amor, não parem de tocar”. – William Shakespeare.
Desenvolvida no alojamento “Lar de Amor” todas as segundas-feiras, das 14h às 17h, a oficina de música contemplou a união de vários instrumentos de percussão, piano, violino, violão e viola caipira. “Me envolvi com o ‘Projeto Arte para a Vida’ antes mesmo de me tornar professor. Senti a necessidade de colaborar, participar e contribuir com aquela ideia de que tanto era fã. Quando recebi o convite, assumi a missão. Desde então, transformar a vida dessas crianças, mesmo que em pequena medida, não era tarefa apenas de profissionais da saúde, cabia também a nós. Cabia a mim”, disse o professor de piano e violino, Gustavo Manfrim.

 

 

Oficina de Desenho com o professor Silas de Olinda. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Desenho
Desenvolvida todas as quartas-feiras, das 14h às 16h, na brinquedoteca, pelo professor de desenho, Silas de Olinda, a oficina ofereceu às crianças a oportunidade de ter contato com as práticas técnicas do desenho. Também ofereceu espaço lúdico para as expressões e sentimentos através dos contornos. “O convite para integrar esse projeto foi um presente maravilhoso. À cada semana fomos surpreendidos com uma nova descoberta, neles e em nós. Os olhos brilhando a cada novo traço, a superação dos seus próprios limites é a força que impulsiona a vida”, contou Silas.

 

 

Oficina de Teatro com a professora Wanderly Borges. Foto: Nathan Almeida.

 

 

Oficina de Teatro
Desenvolvida todas as quintas-feiras, das 14h às 16h, na brinquedoteca, pela professora Wanderly Borges, a oficina buscou o envolvimento com o teatro através de técnicas e jogos teatrais, proporcionando aos participantes compreender como é uma apresentação, desde sua elaboração, criação de cena, figurinos e cenários. Com o objetivo de envolver as crianças em um ambiente lúdico e imaginação criativa, o teatro possibilitou que, através de brincadeiras e interpretações, os pacientes pudessem externar sentimentos adquiridos no processo de tratamento, auxiliando na melhora da saúde mental e emocional. “Ter sido convidada para o projeto foi um presente maravilhoso. Desde 2015, quando perdi meu pai para o câncer, meu coração arde por fazer algo para o HA. No entanto, quem deu um novo significado para a minha vida foi essa iniciativa e essas crianças. Saio transformada todas as vezes que nos encontramos”, finalizou Wanderly.

 

Apoiadores
A concretização do “Projeto Arte para a Vida” só foi possível graças ao patrocínio das empresas Cutrale, Garen e JBT e o apoio do North Shopping Barretos.
Quer conhecer mais sobre o Instituto Sociocultural do Hospital de Amor? Acesse: www.institutosocialhcb.com.br.

Até o momento, já passaram por lá mais de 600 visitantes, mas, a expectativa, é que a exposição receba mais de 5 mil visitantes. Foto: Nathan Almeida.

Publicado em 17 de dez de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Pacientes e Familiares
O programa de treinamento contou com a parceria entre o HA, a Arte Despertar, e o apoio do laboratório Merck Sharp and Dohme (MSD).

A humanização já é marca registrada no Hospital de Amor! Em todas as suas unidades espalhadas pelo país e também nas ações desenvolvidas por cada um de seus profissionais, é possível encontrar carinho, dedicação e amor ao próximo. E para que essa prática fosse aprimorada, os colaboradores do HA e da Santa Casa de Misericórdia de Barretos participaram, no último dia 11 de abril, do 1º módulo do programa de treinamento “Arte Despertar”, com o objetivo de estimular habilidades e competências em liderança, comunicação, trabalho em equipe e motivação, para fortalecer, ainda mais, o atendimento humanizado aos pacientes.

Vivências envolvendo música e narração de histórias foram os destaques da capacitação, que contou com a parceria entre o HA, a Arte Despertar, e o apoio do laboratório Merck Sharp and Dohme (MSD).

De acordo com a gerente de recursos humanos da instituição, Fernanda Vieira Zabeu, a iniciativa gerou momentos de reflexão entre os participantes. “O projeto trará a possibilidade de desenvolvimento de ações pelos colaboradores, que transformará o ambiente de trabalho”, afirmou. Para a gerente de recursos humanos da Santa Casa, Renata Paschoal, o programa de treinamento vai ao encontro dos valores do hospital. “Os propósitos oferecidos pelo Arte Despertar são excelentes para que os funcionários vivenciem um cuidado diferenciado aos pacientes. Trata-se de um projeto muito bonito e sério. Estamos felizes com a parceria”, explicou Renata.

Segundo a diretora executiva do programa, Rosana Junqueira Morales, o maior beneficiado com essa aliança entre as três entidades será o próprio paciente, que passará a receber um atendimento ainda mais qualificado. “Quando o profissional da saúde percebe que está sendo cuidado com carinho, ele vai refletir isso em seu atendimento aos pacientes e na melhoria de todo o ambiente hospitalar. O Hospital de Amor já é reconhecido por essa atenção aos detalhes e, para nós, é uma honra e responsabilidade muito grande receber a missão de contribuir com essa forte política de humanização”, declarou.

Neste primeiro momento, cerca de 140 profissionais receberam a capacitação.

O treinamento
Os treinamentos foram divididos em duas turmas, de cada instituição, e contaram com 25 até 30 profissionais de equipes multidisciplinares em cada uma delas. De acordo com a atriz, arte-educadora e narradora de histórias do projeto, Cristiana Ceschi, o ponto principal do trabalho é a arte, praticada para despertar qualidades, aptidões e sentimentos que expandem o consciente do ser humano. “Todo indivíduo tem uma história, então, nesse trabalho ocorre a tomada de consciência. Por isso, nós utilizamos as narrativas – que dá sentido e valor a existência humana. É preciso se reconhecer, olhar para frente e seguir a diante, através de um percurso que é feito com a arte”, explicou.

Segundo a psicologia do Arte Despertar, Soraya Dacal, o primeiro módulo do treinamento foi sobre o ‘autoconhecimento’, que veio alinhado a teoria “Inteligência Emocional”, de Daniel Goleman. “Nossa ideia é que as pessoas reflitam, vivenciem e resgatem suas emoções. A partir do momento em que as pessoas reconhecem suas emoções, elas podem controla-las e isso será muito importante no contato com o paciente, gerando empatia e refletindo na recuperação dele. O colaborador aprende a levar o coração consigo nos atendimentos”, declarou Soraya.

Neste primeiro momento, cerca de 140 profissionais, das duas instituições, receberam a capacitação. Os próximos módulos, que abordarão temas como: comunicação, empatia e trabalho em equipe, serão realizados nos dias 9 de maio, 13 de junho e 11 de julho, no Hospital de Amor Barretos, Hospital de Amor Infantojuvenil, Hospital São Judas Tadeu (a unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso do Hospital de Amor), Hospital de Amor Jales, Hospital de Amor Nossa Senhora e na Santa Casa de Misericórdia de Barretos.

O 1º módulo do treinamento foi sobre o ‘autoconhecimento’.

Momentos de reflexão
Para a enfermeira do Hospital de Amor São Judas Tadeu, Rubia Maira Skavronki Rodrigues, o treinamento trouxe um momento de descontração e de muita reflexão. “Durante esse tempo eu pude pensar sobre as coisas no qual eu devo valorizar, como o meu trabalho, o meu paciente, minha família e a minha vida pessoal. Tudo o que foi dito me fez pensar se eu estou dando o melhor de mim”, afirmou a enfermeira.

De acordo com o coordenador de enfermagem do HA, Hudson Menezes Taveira, participar do treinamento foi muito gratificante e um bom momento para reunir os colaboradores dos mais diversos departamentos. “A gente pôde trabalhar as memórias e as nossas emoções, já que às vezes nós não temos tempo, devido às atividades do dia a dia no trabalho. Foi um momento para resgatar as nossas emoções. O treinamento superou muito as minhas expectativas”, finalizou Taveira, animado para participar do próximo módulo.

Sobre a Arte Despertar
Há mais de 21 anos, a Arte Despertar contribui para a humanização dos hospitais a partir de uma metodologia própria que usa a narração de histórias e a música para despertar nos pacientes aquilo que está saudável e contribuir para a elevação da sua autoestima, ressiginificando o momento vivido no ambiente hospitalar.

Desde o início, a Arte Despertar preocupou-se também em levar essa experiência aos profissionais da saúde. Para isso, criou seu próprio método de treinamento para desenvolver e fortalecer competências relacionadas ao autoconhecimento, empatia, comunicação, relacionamento interpessoal, dentre outras.

O 1º módulo do programa de treinamento “Arte Despertar”, teve o objetivo de estimular habilidades e competências em liderança, comunicação, trabalho em equipe e motivação, para fortalecer, ainda mais, o atendimento humanizado aos pacientes.
A exposição do “Projeto Arte para a Vida” está localizada no North Shopping Barretos (local onde a mostra ficará disponível para visitação do público até o dia 2 de janeiro de 2019, com entrada gratuita). Foto: Nathan Almeida.

Na tentativa de levar aos pacientes em tratamento na unidade infantojuvenil do Hospital de Amor o envolvimento com os mais diversos tipos de arte, como teatro, desenho, fotografia, leitura e música, contribuindo terapeuticamente para diminuir os impactos causados pela luta contra o câncer, o Instituto Sociocultural do HA, em parceria com Ministério da Cultura, promoveu a exposição do “Projeto Arte para a Vida”.

Marcella Marchioreto é coordenadora do Instituto Sociocultural. Foto: Nathan Almeida.

De acordo com a coordenadora do Instituto Sociocultural, Marcella Marchioreto, as artes são capazes de transmitir emoções e oferecer recordações para a vida toda, eternizando momentos que ficam nos corações. “Foi por isso, e também para marcar uma fase tão importante dessas crianças e adolescentes, que essa iniciativa de cunho cultural foi idealizada. Nossa ideia era potencializar o efeito terapêutico no ambiente intra e extra hospitalar, oportunizando o conhecimento de novas culturas relacionadas aos temas e abrindo caminhos de expressão das emoções de cada um dos participantes”, afirmou.

As oficinas foram realizadas durante o ano todo no Hospital de Amor Infantojuvenil, para proporcionar momentos de recreação e bem-estar aos pacientes, além de contribuir com o sucesso do tratamento. Apresentadas de forma lúdica, as aulas contaram com práticas que envolviam desenhos, análises de fotos, brincadeiras, além de apresentar uma visão técnica e artística adaptada para crianças, estimulando a criatividade, a memória e ampliando a percepção de mundo.

Para encerrar esse importante período de aprendizagem e homenagear todos os envolvidos, entre eles, os profissionais que se dedicaram com tanto amor e os ‘pequenos artistas’, a exposição do “Projeto Arte para a Vida” foi criada. A cerimônia de lançamento aconteceu dia 12 de dezembro, no North Shopping Barretos (local onde a mostra ficará disponível para visitação do público até o dia 2 de janeiro de 2019, com entrada gratuita) e contou com a presença de cerca de 100 pessoas. Até o momento, já passaram por lá mais de 600 visitantes, mas, a expectativa, é que a exposição receba mais de 5 mil visitantes.

Rafaela Santiago e sua filha, Ana Laura, durante a inauguração. Foto: Nathan Almeida.

“A exposição é resultado de um ano de oficina com as crianças do Hospital de Amor Infantojuvenil, um ano de dedicação, aprendizado e muito carinho. Ver o resultado e conseguir passar para o público um pouco da emoção que nos envolvia todos os dias de aula, é muito gratificante. Queremos também que essa exposição mostre o quanto a arte faz bem na vida das crianças e dos adolescentes”, declarou Marcella.

A confirmação disso vem em forma de agradecimento. A mãe da paciente Ana Laura, de 11 anos e natural de Rio Verde (GO), afirma que as oficinas foram um divisor de águas no tratamento da filha. Devido às várias sessões de quimio e radioterapia, a menina ficou reclusa, sem energia e distante. A partir do momento em que começou a participar das aulas, ela renasceu, podendo exercitar suas facetas, externar seus sentimentos e libertar-se. “Como mãe, ver minha menina tão feliz, significou tudo! Participar das aulas, quase que diárias, tornou-se um imenso prazer, uma das muitas alegrias vividas no Hospital. Agradecemos primeiramente a Deus, e depois a cada colaborador do HA, a cada professor, a cada integrante do Instituto Sociocultural e às nossas famílias. Foi uma honra imensa, e nós só temos que agradecer”, comentou a mãe da Ana Laura, Rafaela Santiago.

 

Oficina de Fotografia com o professor Edson Abe. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Fotografia
Mediada pelos fotógrafos Izabella Pivotto Abe e Edson Abe, a oficina de fotografia aconteceu todas as terças-feiras, das 14h às 16h, no espaço da brinquedoteca do hospital. A fotografia é uma das artes que fascinam todas as pessoas, de diferentes épocas e idades. Ela registra emoções e é capaz de oferecer recordações para todas as pessoas. “O ‘Projeto Arte para a Vida’ nos possibilitou compartilhar, de forma lúdica, conhecimento, experiências e arte com as crianças. Uma parte importante das nossas oficinas apresentou a elas que a fotografia contém histórias a serem contadas, emoções a serem vividas e recordações. Na vivência desses encontros, o nosso maior presente foi ver a expressão de cada criança ao segurar a câmera fotográfica pela primeira vez, o sorriso ao conseguir fazer uma foto e a alegria ao interagir com os colegas e colaboradores do Hospital”, relatou o professor Edson Abe.

 

 

Oficina de Literatura com a professora Isabel Borges. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Literatura
Mediada pelas professoras Isabel Cristina Ferreira Borges e Yara Regina Alfano Callado, as oficinas de literatura foram divididas em dois setores da unidade:
– Na brinquedoteca, com a professora Isabel, todas às segundas-feiras, das 14h, às 16h, onde foram trabalhadas diversas linguagens literárias, como: cantigas de roda, leitura de prosas e poesias.
– No centro infusional (local onde as crianças são submetidas às sessões de quimioterapias), com a professora Yara, todas às quartas-feiras, das 9h às 11h, oferecendo espaço para os pacientes darem asas à imaginação através de contos e exercícios de práticas gramaticais.
“Durante o ano de 2018, as tardes na brinquedoteca do HA foram agraciadas com um arco-íris de arte. Como mediadora de leitura, o desafio constante foi criar pontes entre a palavra escrita e os leitores, pacientes e acompanhantes vindos de todas as regiões do Brasil. O exercício do afeto, acolhida e amorosidade é essencial para a humanização no tratamento hospitalar, cujo o tema ‘Superação’ foi o norteador de ações, tendo como referência o projeto a leitura do livro “Pássaro Sem Cor”. Gratidão a Deus e a todos que me proporcionaram um aprendizado ímpar”, declarou Cristina.

 

Oficina de Música com o professor Gustavo Manfrim. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Música
“Se a música é o alimento do amor, não parem de tocar”. – William Shakespeare.
Desenvolvida no alojamento “Lar de Amor” todas as segundas-feiras, das 14h às 17h, a oficina de música contemplou a união de vários instrumentos de percussão, piano, violino, violão e viola caipira. “Me envolvi com o ‘Projeto Arte para a Vida’ antes mesmo de me tornar professor. Senti a necessidade de colaborar, participar e contribuir com aquela ideia de que tanto era fã. Quando recebi o convite, assumi a missão. Desde então, transformar a vida dessas crianças, mesmo que em pequena medida, não era tarefa apenas de profissionais da saúde, cabia também a nós. Cabia a mim”, disse o professor de piano e violino, Gustavo Manfrim.

 

 

Oficina de Desenho com o professor Silas de Olinda. Foto: Nathan Almeida.

Oficina de Desenho
Desenvolvida todas as quartas-feiras, das 14h às 16h, na brinquedoteca, pelo professor de desenho, Silas de Olinda, a oficina ofereceu às crianças a oportunidade de ter contato com as práticas técnicas do desenho. Também ofereceu espaço lúdico para as expressões e sentimentos através dos contornos. “O convite para integrar esse projeto foi um presente maravilhoso. À cada semana fomos surpreendidos com uma nova descoberta, neles e em nós. Os olhos brilhando a cada novo traço, a superação dos seus próprios limites é a força que impulsiona a vida”, contou Silas.

 

 

Oficina de Teatro com a professora Wanderly Borges. Foto: Nathan Almeida.

 

 

Oficina de Teatro
Desenvolvida todas as quintas-feiras, das 14h às 16h, na brinquedoteca, pela professora Wanderly Borges, a oficina buscou o envolvimento com o teatro através de técnicas e jogos teatrais, proporcionando aos participantes compreender como é uma apresentação, desde sua elaboração, criação de cena, figurinos e cenários. Com o objetivo de envolver as crianças em um ambiente lúdico e imaginação criativa, o teatro possibilitou que, através de brincadeiras e interpretações, os pacientes pudessem externar sentimentos adquiridos no processo de tratamento, auxiliando na melhora da saúde mental e emocional. “Ter sido convidada para o projeto foi um presente maravilhoso. Desde 2015, quando perdi meu pai para o câncer, meu coração arde por fazer algo para o HA. No entanto, quem deu um novo significado para a minha vida foi essa iniciativa e essas crianças. Saio transformada todas as vezes que nos encontramos”, finalizou Wanderly.

 

Apoiadores
A concretização do “Projeto Arte para a Vida” só foi possível graças ao patrocínio das empresas Cutrale, Garen e JBT e o apoio do North Shopping Barretos.
Quer conhecer mais sobre o Instituto Sociocultural do Hospital de Amor? Acesse: www.institutosocialhcb.com.br.

Até o momento, já passaram por lá mais de 600 visitantes, mas, a expectativa, é que a exposição receba mais de 5 mil visitantes. Foto: Nathan Almeida.

Publicado em 17 de dez de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Pacientes e Familiares