fbpx

Dia do Nutricionista: conheça o trabalho desse profissional no Hospital de Amor

Dentro de um centro de tratamento oncológico, o nutricionista exerce funções tanto na produção de refeições, quanto na área clínica.

O nutricionista é um profissional da área da saúde que estuda os alimentos e o efeito que eles produzem nos organismos. Ele pode atuar em diversas áreas, desde a prescrição de dietas para indivíduos até o acompanhamento de atletas profissionais, passando por pesquisa, entre outros.

No dia 31 de agosto é celebrado, anualmente, o Dia do Nutricionista – data que recorda a criação da Associação Brasileira de Nutricionistas (ABN), fundada no ano de 1949. O Hospital de Amor, preocupado em oferecer o melhor e mais digno tratamento aos seus pacientes, reconhece a importância deste especialista e aproveita a data para homenageá-lo.

Dentro de um centro de tratamento oncológico, este profissional exerce funções tanto na produção de refeições, quanto na área clínica. Os nutricionistas de produção acompanham toda a cadeia de recebimento até a distribuição dos alimentos, garantindo condições higiênico-sanitárias adequadas e qualidade no alimento servido ao paciente e ao colaborador da instituição. “O papel do nutricionista é fundamental para a boa saúde do indivíduo. Em um centro oncológico, esta função torna-se ainda mais importante, já que os pacientes, muitas vezes, estão com seu estado nutricional prejudicado pela doença ou pelo tratamento. Comer é uma ação simples, porém de um significado e de uma importância enorme. Devolver, facilitar e/ou melhorar esta atividade na vida de um indivíduo é mais do que nutrir o organismo, é alimentar sua esperança de viver melhor”, afirmou a coordenadora do departamento de nutrição do HA, Camila Avi.

Em média, 60% dos alimentos utilizados pelo Hospital de Amor vêm de doação.

Nutricionistas no Hospital de Amor
O departamento de nutrição do Hospital de Amor conta com 113 colaboradores (técnicos, administrativos e operacionais), dentre eles, 14 são nutricionistas, que se dividem entre as unidades: central, Hospital de Amor Infantojuvenil, Hospital São Judas Tadeu – a unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso, Hospital Nossa Senhora, AME, alojamentos e creche.

São 3 toneladas (em média) de alimentos produzidas por dia e 200 mil (em média) refeições servidas por mês. E não são só os pacientes que recebem acompanhamento nutricional. De acordo com a coordenadora, o cardápio destinado aos colaboradores da instituição, que contém café da manhã, almoço, jantar e ceia, também é elaborado de forma balanceada, afim de atender todas as necessidades nutricionais. “Há um controle higiênico-sanitário para garantir a segurança alimentar e saúde do indivíduo. Além disso, em datas comemorativas, a equipe prepara um cardápio diferenciado, com o objetivo de acolher o funcionário, para que ele tenha uma refeição mais agradável”, esclareceu Camila.

A importância das doações
A mobilização da sociedade é de extrema relevância para o bom andamento do setor de nutrição do Hospital de Amor. Em média, 60% dos alimentos utilizados pela instituição vêm de doação.

Entre os alimentos doados mais solicitados, destacam-se: arroz, feijão, café, açúcar, óleo, leite, macarrão, fubá, sal, vinagre, achocolatado e biscoitos, por serem alimentos utilizados diariamente pela entidade.

O departamento de nutrição do HAr conta com 113 colaboradores (técnicos, administrativos e operacionais), dentre eles, 14 são nutricionistas, que se dividem entre as unidades: central, Hospital de Amor Infantojuvenil, Hospital São Judas Tadeu – a unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso, Hospital Nossa Senhora, AME, alojamentos e creche.

Espirrar, coçar, tossir ou sentir outros sintomas parecidos com esses é muito comum na vida de diversas pessoas que sofrem com alguma alergia. Reconhecida pelos especialistas como uma reação de hipersensibilidade, essa doença é uma resposta exagerada do sistema imunológico, após contato com algum agente causador. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% da população brasileira possui algum tipo de alergia. Dentre elas, está a ‘alergia alimentar’ – reação adversa a determinado alimento, que, quando não evitada, pode causar inchaço ou coceira nos lábios, diarreia, vômitos e até mesmo rouquidão.

O “Bem-Vindo Alérgico” é um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”, um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais, liderado pela farmacêutica e idealizadora da iniciativa, Dra. Danila Blanco de Carvalho.

Nos dias 20 e 21 de fevereiro, cozinheiros e auxiliares da instituição participaram da capacitação. Já nos dias 27 e 28, foi a vez dos nutricionistas, técnicos e residentes em nutrição receberem as orientações. Através de treinamentos personalizados, os profissionais tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o que é a alergia alimentar; os riscos para a vida dos pacientes e colaboradores que sofrem com essa reação; as diferenças entre alergia e intolerância; alergia alimentar em pacientes imunodeprimidos; os cuidados nas preparações dos alimentos; alternativas de substituição dos alimentos, além da revisão de mapeamento de riscos dentro da cozinha da instituição.

Após ganhar o selo “Bem-Vindo Alérgico: aqui eu posso comer”, o Hospital de Amor tornou-se apto para acolher pessoas com alergia e intolerâncias alimentares, oferecendo muito mais segurança. “A partir de agora, a instituição tornou-se pioneira na capacitação em alergia alimentar”, afirmou a coordenadora do departamento de nutrição do Hospital de Amor, Camila Avi.

Alérgicos no Hospital de Amor
De acordo com a nutricionista do HA, estima-se que 8% das crianças e 4% dos adultos possuem algum tipo de alergia alimentar. As intolerâncias mais comuns estão relacionadas a: leite, ovo, trigo, soja, amendoim, peixes, crustáceos e castanhas. No Brasil, a maior incidência em crianças é a alergia à proteína do leite da vaca, e em adultos, a peixes e crustáceos. “Quando nos referimos à intolerância alimentar, o número chega a 15% da população geral. No Hospital de Amor, vemos a recorrência desses problemas principalmente em pacientes com doença celíaca (aquela que é causada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados). Por isso, já era uma prática da equipe de cozinheiros evita servir refeições com esses tipos de alimentos a pacientes com restrições. A partir de agora, com os conhecimentos mais aprofundados, os cuidados foram tecnicamente intensificados” afirmou Camila.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”.

Publicado em 08 de abr de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Pacientes e Familiares
Dentro de um centro de tratamento oncológico, o nutricionista exerce funções tanto na produção de refeições, quanto na área clínica.

O nutricionista é um profissional da área da saúde que estuda os alimentos e o efeito que eles produzem nos organismos. Ele pode atuar em diversas áreas, desde a prescrição de dietas para indivíduos até o acompanhamento de atletas profissionais, passando por pesquisa, entre outros.

No dia 31 de agosto é celebrado, anualmente, o Dia do Nutricionista – data que recorda a criação da Associação Brasileira de Nutricionistas (ABN), fundada no ano de 1949. O Hospital de Amor, preocupado em oferecer o melhor e mais digno tratamento aos seus pacientes, reconhece a importância deste especialista e aproveita a data para homenageá-lo.

Dentro de um centro de tratamento oncológico, este profissional exerce funções tanto na produção de refeições, quanto na área clínica. Os nutricionistas de produção acompanham toda a cadeia de recebimento até a distribuição dos alimentos, garantindo condições higiênico-sanitárias adequadas e qualidade no alimento servido ao paciente e ao colaborador da instituição. “O papel do nutricionista é fundamental para a boa saúde do indivíduo. Em um centro oncológico, esta função torna-se ainda mais importante, já que os pacientes, muitas vezes, estão com seu estado nutricional prejudicado pela doença ou pelo tratamento. Comer é uma ação simples, porém de um significado e de uma importância enorme. Devolver, facilitar e/ou melhorar esta atividade na vida de um indivíduo é mais do que nutrir o organismo, é alimentar sua esperança de viver melhor”, afirmou a coordenadora do departamento de nutrição do HA, Camila Avi.

Em média, 60% dos alimentos utilizados pelo Hospital de Amor vêm de doação.

Nutricionistas no Hospital de Amor
O departamento de nutrição do Hospital de Amor conta com 113 colaboradores (técnicos, administrativos e operacionais), dentre eles, 14 são nutricionistas, que se dividem entre as unidades: central, Hospital de Amor Infantojuvenil, Hospital São Judas Tadeu – a unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso, Hospital Nossa Senhora, AME, alojamentos e creche.

São 3 toneladas (em média) de alimentos produzidas por dia e 200 mil (em média) refeições servidas por mês. E não são só os pacientes que recebem acompanhamento nutricional. De acordo com a coordenadora, o cardápio destinado aos colaboradores da instituição, que contém café da manhã, almoço, jantar e ceia, também é elaborado de forma balanceada, afim de atender todas as necessidades nutricionais. “Há um controle higiênico-sanitário para garantir a segurança alimentar e saúde do indivíduo. Além disso, em datas comemorativas, a equipe prepara um cardápio diferenciado, com o objetivo de acolher o funcionário, para que ele tenha uma refeição mais agradável”, esclareceu Camila.

A importância das doações
A mobilização da sociedade é de extrema relevância para o bom andamento do setor de nutrição do Hospital de Amor. Em média, 60% dos alimentos utilizados pela instituição vêm de doação.

Entre os alimentos doados mais solicitados, destacam-se: arroz, feijão, café, açúcar, óleo, leite, macarrão, fubá, sal, vinagre, achocolatado e biscoitos, por serem alimentos utilizados diariamente pela entidade.

O departamento de nutrição do HAr conta com 113 colaboradores (técnicos, administrativos e operacionais), dentre eles, 14 são nutricionistas, que se dividem entre as unidades: central, Hospital de Amor Infantojuvenil, Hospital São Judas Tadeu – a unidade de cuidados paliativos e de atenção ao idoso, Hospital Nossa Senhora, AME, alojamentos e creche.

Espirrar, coçar, tossir ou sentir outros sintomas parecidos com esses é muito comum na vida de diversas pessoas que sofrem com alguma alergia. Reconhecida pelos especialistas como uma reação de hipersensibilidade, essa doença é uma resposta exagerada do sistema imunológico, após contato com algum agente causador. Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% da população brasileira possui algum tipo de alergia. Dentre elas, está a ‘alergia alimentar’ – reação adversa a determinado alimento, que, quando não evitada, pode causar inchaço ou coceira nos lábios, diarreia, vômitos e até mesmo rouquidão.

O “Bem-Vindo Alérgico” é um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”, um projeto de conscientização em alergia alimentar que oferece soluções para organizações que servem alimentação, como hotéis, restaurantes, escolas e hospitais, liderado pela farmacêutica e idealizadora da iniciativa, Dra. Danila Blanco de Carvalho.

Nos dias 20 e 21 de fevereiro, cozinheiros e auxiliares da instituição participaram da capacitação. Já nos dias 27 e 28, foi a vez dos nutricionistas, técnicos e residentes em nutrição receberem as orientações. Através de treinamentos personalizados, os profissionais tiveram a oportunidade de aprender mais sobre o que é a alergia alimentar; os riscos para a vida dos pacientes e colaboradores que sofrem com essa reação; as diferenças entre alergia e intolerância; alergia alimentar em pacientes imunodeprimidos; os cuidados nas preparações dos alimentos; alternativas de substituição dos alimentos, além da revisão de mapeamento de riscos dentro da cozinha da instituição.

Após ganhar o selo “Bem-Vindo Alérgico: aqui eu posso comer”, o Hospital de Amor tornou-se apto para acolher pessoas com alergia e intolerâncias alimentares, oferecendo muito mais segurança. “A partir de agora, a instituição tornou-se pioneira na capacitação em alergia alimentar”, afirmou a coordenadora do departamento de nutrição do Hospital de Amor, Camila Avi.

Alérgicos no Hospital de Amor
De acordo com a nutricionista do HA, estima-se que 8% das crianças e 4% dos adultos possuem algum tipo de alergia alimentar. As intolerâncias mais comuns estão relacionadas a: leite, ovo, trigo, soja, amendoim, peixes, crustáceos e castanhas. No Brasil, a maior incidência em crianças é a alergia à proteína do leite da vaca, e em adultos, a peixes e crustáceos. “Quando nos referimos à intolerância alimentar, o número chega a 15% da população geral. No Hospital de Amor, vemos a recorrência desses problemas principalmente em pacientes com doença celíaca (aquela que é causada pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, aveia, cevada, centeio e seus derivados). Por isso, já era uma prática da equipe de cozinheiros evita servir refeições com esses tipos de alimentos a pacientes com restrições. A partir de agora, com os conhecimentos mais aprofundados, os cuidados foram tecnicamente intensificados” afirmou Camila.

Sabendo da importância de se ter protocolos de segurança que protejam pacientes e colaboradores acometidos por essa reação, o Serviço de Nutrição do Hospital de Amor recebeu o treinamento da técnica “Bem-Vindo Alérgico”.

Publicado em 08 de abr de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Pacientes e Familiares