fbpx

V Curso de Inverno em Oncologia Molecular recebe participantes de todo o Brasil

O curso recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição.

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM), ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, realizou, entre os dias 22 e 26 de julho, a quinta edição do Curso de Inverno em Oncologia Molecular (CIOM), que recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição. O intuito é permitir o contato mais próximo destes alunos com toda a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

O curso intensivo oferece conteúdos sobre oncologia e biologia molecular, por meio de aulas e palestras com pesquisadores do HA, que também ficam disponíveis para atender aos participantes durante todo o decorrer do evento. Segundo a integrante da comissão organizadora do CIOM, Flávia Fernandes, neste ano, o curso foi pensado para tornar a ciência mais próxima da realidade dos estudantes, com palestras que foram na aplicação da pesquisa na prática clínica. “Nós trouxemos temas como câncer hereditário e imunoterapia, que foram apresentados por médicos oncologistas da instituição. Com isso, os alunos conseguiram ver, de fato, o impacto e importância da pesquisa e como ela muda a vida dos pacientes. Além de conhecerem um pouco da rotina do hospital, que se equipara aos melhores do mundo”.

Outra novidade deste ano foi a utilização de um aplicativo que propiciou um maior envolvimento dos alunos, que puderam compartilhar opiniões, tirar suas dúvidas e também votar sobre a qualidade das atividades de forma anônima em tempo real. A intenção, de acordo com a comissão organizadora, foi criar um ambiente mais confortável de interação. “Percebemos que os alunos mais introvertidos puderam também ter voz e participar das discussões, em um espaço onde ficaram bastante à vontade para elogiar, criticar e perguntar ao final de cada palestra. O aplicativo realmente trouxe contribuições relevantes que talvez não teriam surgido sem ele”, ressaltou Flávia.

Muitos dos atuais pesquisadores e discentes do programa de pós-graduação do HA passaram pelo Curso de Inverno em Oncologia Molecular em edições passadas, o que serve de incentivo aos futuros alunos e contribui para a divulgação e avanço da pesquisa instituição.

O V Curso de Inverno em Oncologia Molecular se propôs a tornar a pesquisa mais próxima da realidade dos alunos, permitindo um contato deles com a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

Há muitos anos, o Hospital de Amor conta com uma parceria importante com a Rice University – respeitável centro acadêmico localizado em Houston, nos Estados Unidos. Durante todo esse período, a universidade vem contribuído significativamente com a instituição, através do desenvolvimento de projetos nas áreas de Prevenção, Cuidados Paliativos, Saúde Primária e Secundária, e Medicina Nuclear, além de apresentar ideias inovadoras e ações.

O objetivo da visita foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo HA.

De 8 a 11 de outubro, o HA recebeu a visita da diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, e três alunos: Annie Graff, Sylvie Kalikoff e Kevin Smith, que atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist). O objetivo foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo hospital, seja na criação de softwares e equipamentos ou na adequação de protocolos já existentes. Além disso, eles aproveitaram a oportunidade para conhecer o departamento de ortopedia e discutir possíveis novas ações e seus desdobramentos.

Anualmente, estudantes de graduação e pós-graduação realizam intercâmbio na instituição na tentativa de trazer ideias inovadoras para o desenvolvimento de diversos projetos, buscando enriquecer suas experiências acadêmicas. Ao todo, 22 pessoas, entre alunos e diretores, já passaram pelo HA em missões de intercâmbio.

De acordo com o oncologista e diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, Dr. Vinicius de Lima Vazquez, a interação entre áreas diversas, como por exemplo, tecnologia, biologia ou ciências da vida, é muito rica e capaz de produzir conhecimentos novos. “Imaginamos que esta parceria possa resultar em avanços importantes, tanto na criação de aprendizado, quanto na aplicação prática. O convívio com alunos de outra formação e cultura também é enriquecedor, com a internacionalização do nosso centro de pesquisa e ampliação dos horizontes dos nossos estudantes e profissionais. Além disso, o HA ganha visibilidade e, principalmente, a possibilidade de conquistar parcerias em projetos, como psicologia comportamental e ciências tecnológicas, cuja expertise nós não possuímos”, afirmou.

No HA, os três estudantes atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist).

Graças à relação com o centro acadêmico norte-americano, muitos projetos foram desenvolvidos e estão em execução. Para a diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, a grande expectativa é que o relacionamento entre o Hospital de Amor e a Rice University cresça ainda mais, para que outros estudantes e profissionais possam conhecer a estrutura da instituição e contribuir com a solução de problemas mais complexos relacionados à saúde. “Essa relação entre as duas entidades é muito importante. Eu já tinha visitado outras instituições no Brasil, mas o Hospital de Amor foi a que mais me impressionou! A qualidade do tratamento e das instalações é igual e, muitas vezes, até melhor do que hospitais nos Estados Unidos”, relatou Sarah.

Experiência
Os estudantes de bioengenharia da faculdade texana estiveram pela primeira vez no Brasil e ficaram impressionados com Hospital de Amor. Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade. “Eu escolhi vir para cá, porque sei que o HA oferece um tratamento de qualidade para todos que precisam, e não apenas para quem pode pagar por ele. Nosso desejo é que essa parceria com a Rice continue. Todos aqui são muito amigáveis, gentis e hospitaleiros, por isso, estamos muito empolgados em nos envolver com nesse trabalho, que é tão importante e único”, relatou Kevin Smith, de 22 anos.

 

Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade.

Publicado em 16 de out de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa, Prevenção
O curso recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição.

O Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM), ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, realizou, entre os dias 22 e 26 de julho, a quinta edição do Curso de Inverno em Oncologia Molecular (CIOM), que recebe anualmente 60 alunos de graduação e mestrado de todo o Brasil, interessados em conhecer as linhas de pesquisa, pós-graduação e projetos realizados na instituição. O intuito é permitir o contato mais próximo destes alunos com toda a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

O curso intensivo oferece conteúdos sobre oncologia e biologia molecular, por meio de aulas e palestras com pesquisadores do HA, que também ficam disponíveis para atender aos participantes durante todo o decorrer do evento. Segundo a integrante da comissão organizadora do CIOM, Flávia Fernandes, neste ano, o curso foi pensado para tornar a ciência mais próxima da realidade dos estudantes, com palestras que foram na aplicação da pesquisa na prática clínica. “Nós trouxemos temas como câncer hereditário e imunoterapia, que foram apresentados por médicos oncologistas da instituição. Com isso, os alunos conseguiram ver, de fato, o impacto e importância da pesquisa e como ela muda a vida dos pacientes. Além de conhecerem um pouco da rotina do hospital, que se equipara aos melhores do mundo”.

Outra novidade deste ano foi a utilização de um aplicativo que propiciou um maior envolvimento dos alunos, que puderam compartilhar opiniões, tirar suas dúvidas e também votar sobre a qualidade das atividades de forma anônima em tempo real. A intenção, de acordo com a comissão organizadora, foi criar um ambiente mais confortável de interação. “Percebemos que os alunos mais introvertidos puderam também ter voz e participar das discussões, em um espaço onde ficaram bastante à vontade para elogiar, criticar e perguntar ao final de cada palestra. O aplicativo realmente trouxe contribuições relevantes que talvez não teriam surgido sem ele”, ressaltou Flávia.

Muitos dos atuais pesquisadores e discentes do programa de pós-graduação do HA passaram pelo Curso de Inverno em Oncologia Molecular em edições passadas, o que serve de incentivo aos futuros alunos e contribui para a divulgação e avanço da pesquisa instituição.

O V Curso de Inverno em Oncologia Molecular se propôs a tornar a pesquisa mais próxima da realidade dos alunos, permitindo um contato deles com a estrutura de ciência, ensino e pesquisa do HA.

Há muitos anos, o Hospital de Amor conta com uma parceria importante com a Rice University – respeitável centro acadêmico localizado em Houston, nos Estados Unidos. Durante todo esse período, a universidade vem contribuído significativamente com a instituição, através do desenvolvimento de projetos nas áreas de Prevenção, Cuidados Paliativos, Saúde Primária e Secundária, e Medicina Nuclear, além de apresentar ideias inovadoras e ações.

O objetivo da visita foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo HA.

De 8 a 11 de outubro, o HA recebeu a visita da diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, e três alunos: Annie Graff, Sylvie Kalikoff e Kevin Smith, que atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist). O objetivo foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo hospital, seja na criação de softwares e equipamentos ou na adequação de protocolos já existentes. Além disso, eles aproveitaram a oportunidade para conhecer o departamento de ortopedia e discutir possíveis novas ações e seus desdobramentos.

Anualmente, estudantes de graduação e pós-graduação realizam intercâmbio na instituição na tentativa de trazer ideias inovadoras para o desenvolvimento de diversos projetos, buscando enriquecer suas experiências acadêmicas. Ao todo, 22 pessoas, entre alunos e diretores, já passaram pelo HA em missões de intercâmbio.

De acordo com o oncologista e diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, Dr. Vinicius de Lima Vazquez, a interação entre áreas diversas, como por exemplo, tecnologia, biologia ou ciências da vida, é muito rica e capaz de produzir conhecimentos novos. “Imaginamos que esta parceria possa resultar em avanços importantes, tanto na criação de aprendizado, quanto na aplicação prática. O convívio com alunos de outra formação e cultura também é enriquecedor, com a internacionalização do nosso centro de pesquisa e ampliação dos horizontes dos nossos estudantes e profissionais. Além disso, o HA ganha visibilidade e, principalmente, a possibilidade de conquistar parcerias em projetos, como psicologia comportamental e ciências tecnológicas, cuja expertise nós não possuímos”, afirmou.

No HA, os três estudantes atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist).

Graças à relação com o centro acadêmico norte-americano, muitos projetos foram desenvolvidos e estão em execução. Para a diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, a grande expectativa é que o relacionamento entre o Hospital de Amor e a Rice University cresça ainda mais, para que outros estudantes e profissionais possam conhecer a estrutura da instituição e contribuir com a solução de problemas mais complexos relacionados à saúde. “Essa relação entre as duas entidades é muito importante. Eu já tinha visitado outras instituições no Brasil, mas o Hospital de Amor foi a que mais me impressionou! A qualidade do tratamento e das instalações é igual e, muitas vezes, até melhor do que hospitais nos Estados Unidos”, relatou Sarah.

Experiência
Os estudantes de bioengenharia da faculdade texana estiveram pela primeira vez no Brasil e ficaram impressionados com Hospital de Amor. Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade. “Eu escolhi vir para cá, porque sei que o HA oferece um tratamento de qualidade para todos que precisam, e não apenas para quem pode pagar por ele. Nosso desejo é que essa parceria com a Rice continue. Todos aqui são muito amigáveis, gentis e hospitaleiros, por isso, estamos muito empolgados em nos envolver com nesse trabalho, que é tão importante e único”, relatou Kevin Smith, de 22 anos.

 

Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade.

Publicado em 16 de out de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa, Prevenção