fbpx

IAD: conheça o trabalho do Institutional Affairs Department

O IAD tem como principal objetivo dar suporte aos pesquisadores, estudantes e profissionais visitantes provenientes de parcerias institucionais, sobretudo, as internacionais.

O Hospital de Amor, referência no atendimento de pacientes oncológicos e também no desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao câncer, acredita que a colaboração possui um papel muito importante em suas conquistas. Por conta disso, criou, em 2016, o Institutional Affairs Department (IAD) – cujo nome, em português, pode ser traduzido como Departamento de Assuntos Institucionais – que compõe a frente de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) da instituição, e tem como principal objetivo dar suporte aos pesquisadores, estudantes e profissionais visitantes provenientes de parcerias institucionais, sobretudo, as internacionais, promovendo uma assistência padronizada que resulte em uma maior qualidade nos processos e, consequentemente, na otimização de seus resultados.

O departamento também centraliza o apoio oferecido aos colaboradores do Hospital de Amor que buscam intercâmbio profissional e de formação, assim como, o acolhimento de profissionais que venham até a instituição com este fim, além de auxiliar na organização de eventos internacionais e na elaboração e encaminhamento de projetos que visem parcerias com instituições estrangeiras.

Parceiros internacionais

Atualmente, o Hospital de Amor possui parcerias internacionais importantes, como a que existe com o MD Anderson Cancer Center, maior centro de tratamento e pesquisa em câncer do mundo, e instituições de ensino que são consideradas referência mundialmente, como as norte-americanas Rice University, em Houston, no Texas, e University of Miami, na Flórida, por meio do Sylvester Comprehensive Cancer Center, que trazem resultados tanto na parte assistencial quanto no desenvolvimento científico.

Só em 2018, o IAD foi responsável pelo acompanhamento de mais de 30 grupos de visitas, com rotação de mais de 100 visitantes, além de cerca de 20 intercâmbios institucionais, contabilizando entradas e saídas.

No último ano, o IAD foi responsável pelo acompanhamento de mais de 30 grupos de visitas, com rotação de mais de 100 visitantes, além de cerca de 20 intercâmbios institucionais.

 

Há muitos anos, o Hospital de Amor conta com uma parceria importante com a Rice University – respeitável centro acadêmico localizado em Houston, nos Estados Unidos. Durante todo esse período, a universidade vem contribuído significativamente com a instituição, através do desenvolvimento de projetos nas áreas de Prevenção, Cuidados Paliativos, Saúde Primária e Secundária, e Medicina Nuclear, além de apresentar ideias inovadoras e ações.

O objetivo da visita foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo HA.

De 8 a 11 de outubro, o HA recebeu a visita da diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, e três alunos: Annie Graff, Sylvie Kalikoff e Kevin Smith, que atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist). O objetivo foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo hospital, seja na criação de softwares e equipamentos ou na adequação de protocolos já existentes. Além disso, eles aproveitaram a oportunidade para conhecer o departamento de ortopedia e discutir possíveis novas ações e seus desdobramentos.

Anualmente, estudantes de graduação e pós-graduação realizam intercâmbio na instituição na tentativa de trazer ideias inovadoras para o desenvolvimento de diversos projetos, buscando enriquecer suas experiências acadêmicas. Ao todo, 22 pessoas, entre alunos e diretores, já passaram pelo HA em missões de intercâmbio.

De acordo com o oncologista e diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, Dr. Vinicius de Lima Vazquez, a interação entre áreas diversas, como por exemplo, tecnologia, biologia ou ciências da vida, é muito rica e capaz de produzir conhecimentos novos. “Imaginamos que esta parceria possa resultar em avanços importantes, tanto na criação de aprendizado, quanto na aplicação prática. O convívio com alunos de outra formação e cultura também é enriquecedor, com a internacionalização do nosso centro de pesquisa e ampliação dos horizontes dos nossos estudantes e profissionais. Além disso, o HA ganha visibilidade e, principalmente, a possibilidade de conquistar parcerias em projetos, como psicologia comportamental e ciências tecnológicas, cuja expertise nós não possuímos”, afirmou.

No HA, os três estudantes atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist).

Graças à relação com o centro acadêmico norte-americano, muitos projetos foram desenvolvidos e estão em execução. Para a diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, a grande expectativa é que o relacionamento entre o Hospital de Amor e a Rice University cresça ainda mais, para que outros estudantes e profissionais possam conhecer a estrutura da instituição e contribuir com a solução de problemas mais complexos relacionados à saúde. “Essa relação entre as duas entidades é muito importante. Eu já tinha visitado outras instituições no Brasil, mas o Hospital de Amor foi a que mais me impressionou! A qualidade do tratamento e das instalações é igual e, muitas vezes, até melhor do que hospitais nos Estados Unidos”, relatou Sarah.

Experiência
Os estudantes de bioengenharia da faculdade texana estiveram pela primeira vez no Brasil e ficaram impressionados com Hospital de Amor. Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade. “Eu escolhi vir para cá, porque sei que o HA oferece um tratamento de qualidade para todos que precisam, e não apenas para quem pode pagar por ele. Nosso desejo é que essa parceria com a Rice continue. Todos aqui são muito amigáveis, gentis e hospitaleiros, por isso, estamos muito empolgados em nos envolver com nesse trabalho, que é tão importante e único”, relatou Kevin Smith, de 22 anos.

 

Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade.

Publicado em 16 de out de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa, Prevenção
O IAD tem como principal objetivo dar suporte aos pesquisadores, estudantes e profissionais visitantes provenientes de parcerias institucionais, sobretudo, as internacionais.

O Hospital de Amor, referência no atendimento de pacientes oncológicos e também no desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao câncer, acredita que a colaboração possui um papel muito importante em suas conquistas. Por conta disso, criou, em 2016, o Institutional Affairs Department (IAD) – cujo nome, em português, pode ser traduzido como Departamento de Assuntos Institucionais – que compõe a frente de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) da instituição, e tem como principal objetivo dar suporte aos pesquisadores, estudantes e profissionais visitantes provenientes de parcerias institucionais, sobretudo, as internacionais, promovendo uma assistência padronizada que resulte em uma maior qualidade nos processos e, consequentemente, na otimização de seus resultados.

O departamento também centraliza o apoio oferecido aos colaboradores do Hospital de Amor que buscam intercâmbio profissional e de formação, assim como, o acolhimento de profissionais que venham até a instituição com este fim, além de auxiliar na organização de eventos internacionais e na elaboração e encaminhamento de projetos que visem parcerias com instituições estrangeiras.

Parceiros internacionais

Atualmente, o Hospital de Amor possui parcerias internacionais importantes, como a que existe com o MD Anderson Cancer Center, maior centro de tratamento e pesquisa em câncer do mundo, e instituições de ensino que são consideradas referência mundialmente, como as norte-americanas Rice University, em Houston, no Texas, e University of Miami, na Flórida, por meio do Sylvester Comprehensive Cancer Center, que trazem resultados tanto na parte assistencial quanto no desenvolvimento científico.

Só em 2018, o IAD foi responsável pelo acompanhamento de mais de 30 grupos de visitas, com rotação de mais de 100 visitantes, além de cerca de 20 intercâmbios institucionais, contabilizando entradas e saídas.

No último ano, o IAD foi responsável pelo acompanhamento de mais de 30 grupos de visitas, com rotação de mais de 100 visitantes, além de cerca de 20 intercâmbios institucionais.

 

Há muitos anos, o Hospital de Amor conta com uma parceria importante com a Rice University – respeitável centro acadêmico localizado em Houston, nos Estados Unidos. Durante todo esse período, a universidade vem contribuído significativamente com a instituição, através do desenvolvimento de projetos nas áreas de Prevenção, Cuidados Paliativos, Saúde Primária e Secundária, e Medicina Nuclear, além de apresentar ideias inovadoras e ações.

O objetivo da visita foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo HA.

De 8 a 11 de outubro, o HA recebeu a visita da diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, e três alunos: Annie Graff, Sylvie Kalikoff e Kevin Smith, que atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist). O objetivo foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo hospital, seja na criação de softwares e equipamentos ou na adequação de protocolos já existentes. Além disso, eles aproveitaram a oportunidade para conhecer o departamento de ortopedia e discutir possíveis novas ações e seus desdobramentos.

Anualmente, estudantes de graduação e pós-graduação realizam intercâmbio na instituição na tentativa de trazer ideias inovadoras para o desenvolvimento de diversos projetos, buscando enriquecer suas experiências acadêmicas. Ao todo, 22 pessoas, entre alunos e diretores, já passaram pelo HA em missões de intercâmbio.

De acordo com o oncologista e diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, Dr. Vinicius de Lima Vazquez, a interação entre áreas diversas, como por exemplo, tecnologia, biologia ou ciências da vida, é muito rica e capaz de produzir conhecimentos novos. “Imaginamos que esta parceria possa resultar em avanços importantes, tanto na criação de aprendizado, quanto na aplicação prática. O convívio com alunos de outra formação e cultura também é enriquecedor, com a internacionalização do nosso centro de pesquisa e ampliação dos horizontes dos nossos estudantes e profissionais. Além disso, o HA ganha visibilidade e, principalmente, a possibilidade de conquistar parcerias em projetos, como psicologia comportamental e ciências tecnológicas, cuja expertise nós não possuímos”, afirmou.

No HA, os três estudantes atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist).

Graças à relação com o centro acadêmico norte-americano, muitos projetos foram desenvolvidos e estão em execução. Para a diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, a grande expectativa é que o relacionamento entre o Hospital de Amor e a Rice University cresça ainda mais, para que outros estudantes e profissionais possam conhecer a estrutura da instituição e contribuir com a solução de problemas mais complexos relacionados à saúde. “Essa relação entre as duas entidades é muito importante. Eu já tinha visitado outras instituições no Brasil, mas o Hospital de Amor foi a que mais me impressionou! A qualidade do tratamento e das instalações é igual e, muitas vezes, até melhor do que hospitais nos Estados Unidos”, relatou Sarah.

Experiência
Os estudantes de bioengenharia da faculdade texana estiveram pela primeira vez no Brasil e ficaram impressionados com Hospital de Amor. Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade. “Eu escolhi vir para cá, porque sei que o HA oferece um tratamento de qualidade para todos que precisam, e não apenas para quem pode pagar por ele. Nosso desejo é que essa parceria com a Rice continue. Todos aqui são muito amigáveis, gentis e hospitaleiros, por isso, estamos muito empolgados em nos envolver com nesse trabalho, que é tão importante e único”, relatou Kevin Smith, de 22 anos.

 

Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade.

Publicado em 16 de out de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Ensino e Pesquisa, Prevenção