Simpósio comemora os 20 anos da videolaparoscopia no Hospital de Amor

Para celebrar os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia no HA e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo.

Neste ano, o Hospital de Amor comemora os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia realizada na instituição, técnica que hoje é rotina no tratamento de muitos pacientes. Para celebrar a data e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo, no último dia 29 de novembro, que, além de abordar a evolução na indicação do procedimento ao longo dos anos, trouxe discussões sobre o que há de mais inovador na área, sobretudo, na segurança e utilização da tecnologia e novos materiais para a realização da videolaparoscopia.

Segundo o presidente do Hospital de Amor, Henrique Duarte Prata, a decisão de trazer a técnica para a instituição, mesmo com as dificuldades apresentadas na época, foi baseada no objetivo de sempre levar o melhor e mais adequado tratamento aos pacientes. De acordo com o médico titular do departamento do digestivo baixo do HA, Dr. Marcos Denadai, o uso da videolaparoscopia no HA foi fundamental para o avanço e melhoria da tecnologia no Brasil e no mundo, sobretudo, no tratamento oncológico.

Desde 2011, a parceria entre o Hospital de Amor e o Instituto de Treinamento em Técnicas Minimante Invasivas e Cirurgia Robótica – IRCAD – transformou a cidade de Barretos em uma referência também na formação de cirurgiões especialistas técnicas minimamente invasivas, recebendo profissionais de toda a América Latina.

O evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.

Além do presidente do HA, Henrique Prata, médicos e profissionais do instituição, o evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.
O evento, que reuniu mais de 120 profissionais e acadêmicos, também contou com o apoio de grandes parceiros.

Reconhecido mundialmente por oferecer o que há de mais avançado a pacientes em tratamento oncológico, o Hospital de Amor trabalha também para se tornar referência no que diz respeito à Educação em Saúde. Este é o principal objetivo do Simpósio de Educação em Saúde, promovido pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) – ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) da instituição – que este ano chegou à sua terceira edição, trazendo como tema principal a perspectiva de paradigmas metodológicos.

O evento contou com workshops e uma programação pré-simpósio, com a presença de profissionais de referência na área.

De acordo com o coordenador do NEC, Gerson Vieira, até o ano passado, o evento acontecia em formato de encontro científico, mas uma mudança de estrutura e objetivo geral possibilitou o formato de simpósio. Esta edição, que aconteceu nos dias 6 e 7 de novembro e reuniu cerca de 120 profissionais e acadêmicos, também contou com o apoio de quatro grandes parceiros: Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB), Fundação Ilumina, SESC e Liga Nacional de Comunicação Científica, o que permitiu a promoção de workshops e uma programação pré-simpósio, com a presença de profissionais de referência na área.

“Nosso intuito é promover e estimular o diálogo sobre temáticas que versam sobre os campos da educação e da saúde, tendo em vista a troca de experiências e a oportunidade de desenvolver estratégias que embasem os trabalhos e projetos neste campo. As parcerias ampliaram os nossos horizontes, principalmente no campo da divulgação cientifica, sobretudo dentro da temática que pretendeu debater as tendências metodológicas”, ressaltou o coordenador. A expectativa para o evento nos próximos anos é fortalecer, cada vez mais, as parcerias já existentes e conquistar outros públicos, ampliando o alcance e a capilaridade da proposta.

Cris Cousseau é bióloga, mestranda do CPOM do Hospital de Amor e coordenadora da Liga Nacional de Comunicação Científica.

Os desafios e a importância da divulgação e comunicação científica, bem como a possibilidade de aproximar a temática de toda a população ao falar sobre ciência de maneira clara e objetiva, guiaram o primeiro dia de evento, definido como pré-simpósio, organizado pela Liga Nacional de Divulgação Científica (criada em abril de 2017 com o intuito de reunir interessados em comunicação e divulgação científica de todo Brasil). “Sabemos da importância da ciência na vida das pessoas e o quanto falta para que a informação científica chegue ao outro lado da ponte, a quem de fato interessa, então precisamos melhorar nossa ponte para que isso aconteça, melhorar a maneira como estamos comunicando informações científicas para a população leiga. Este é o principal objetivo da Liga: comunicar a ciência de uma maneira acessível, conscientizar os cientistas que precisamos simplificar nossa linguagem para que a informação realmente chegue”, explicou a bióloga, mestranda do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do Hospital de Amor e coordenadora da Liga, Cris Cousseau.

O evento também marcou a etapa final do concurso de divulgação científica “Ligando a Ciência”, que trouxe participantes do Rio de Janeiro, Mato Grosso e São Paulo, além de expor e premiar trabalhos desenvolvidos na área de Educação em Saúde, que foram avaliados por uma banca externa, formada por docentes da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto.

O “III Simpósio Internacional de Rastreamento Mamográfico” contou com 300 participantes e 35 palestrantes.
Dra. Sílvia Sabino, médica radiologista do Instituto de Prevenção do Hospital de Amor.

Há mais de 20 anos, o Hospital de Amor atua levando a prevenção para homens e mulheres de todo o Brasil, desenvolvendo um trabalho pioneiro, com qualidade e excelência, em suas 11 unidades fixas de prevenção e 18 unidades móveis. Com o objetivo de difundir conhecimentos médicos e técnicos sobre o diagnóstico do câncer de mama em suas fases mais iniciais, o Instituto de Prevenção do HA promoveu o “III Simpósio Internacional de Rastreamento Mamográfico”.

O evento, que aconteceu nos dias 31 de agosto e 1 de setembro, no Centro de Convenções do Barretos Country Hotel, em Barretos (SP), em parceria com o instituto holandês The Dutch Nacional Expert and Training Center for Breast Cancer Screening (LRCB), contou com 300 participantes e 35 palestrantes, entre eles, o renomado radiologista mamário, presidente do LRCB e professor (que também atua no departamento de radiologia da University Medical Center Utrecht), da Holanda, Dr. Ruud Pijnappel; a epidemiologista holandesa, Meirelle Broeders; a instrutora coordenadora dos técnicos de radiologia do programa holandês de rastreamento mamográfico, Cary Van Landsveld-Verhoeven; e a radiologista mamária do Hospital de Mar, da Espanha, Ana Rodrigues Arana.

Durante os dois dias de intensa troca de conhecimentos, duas salas simultâneas foram montadas: uma médica, envolvendo as diversas especialidades relacionadas com o diagnóstico precoce e tratamento do câncer de mama, e uma técnica, onde os técnicos de radiologia puderam ter contato com renomados palestrantes, conceitos internacionais e as mais novas tecnologias disponíveis para o rastreamento mamográfico. Além disso, o curso foi disponibilizado, através de transmissões ao vivo, para mais de 100 pessoas remotamente nas unidades fixas de prevenção do Hospital de Amor.

De acordo com a médica radiologista do Instituto de Prevenção do HA, Dra. Sílvia Sabino, o simpósio foi um sucesso, pois possibilitou o compartilhamento de reflexões sobre o rastreamento mamográfico entre os pesquisadores e profissionais da área, nacionais e internacionais, abordando temas de diferentes aspectos que constituem lesões mamárias diferenciais e tumores precoces, além das lesões precoces diagnosticadas. Para ela, os programas de rastreamento do câncer de mama (doença mais frequente na população feminina) realizados no Brasil são essencialmente de cunho oportunístico, isto é, as mulheres realizam os exames se o desejarem, sem nenhum tipo de controle efetivo sobre a adesão, casos alterados ou seus desdobramentos. “A presença de pessoas que trabalham com um rastreamento organizado, em que absolutamente todos os dados são controlados, traz uma excelente oportunidade de incremento de qualidade ao serviço que prestamos à população e nos faz olhar de maneira mais crítica para o nosso trabalho”, afirmou Dra. Sílvia.

Segundo o presidente da LRCB, as palestras realizadas no evento foram muito proveitosas, pois envolveram os assuntos sobre rastreamento, diagnóstico e tratamento da doença de maneira muito bem estruturada. “Quando nós chegamos no Hospital de Amor pela primeira vez, a instituição ainda estava começando seu programa de rastreamento mamográfico. Agora, é impressionante como ela construiu um sistema tão organizado. Claro, que sempre há o que se aprimorar, mas é nítido que essa equipe sempre procura dar passos para alcançar a excelência e, com nossas orientações, eles têm conseguido ótimos resultados”, relatou.

Resultados positivos
Após promover um evento tão grandioso como este, é possível reconhecer que o Hospital de Amor, especialmente o Instituto de Prevenção da entidade, está intensamente alinhado com diretrizes internacionais da mais alta qualidade. “É gratificante perceber que estamos no caminho certo, mas, o caminho para a perfeição é longo e árduo. Somente com educação continuada e conscientização dos gestores de serviços médicos é que poderemos alcançar nosso objetivo: diagnóstico precoce do câncer de mama na tentativa de redução da morbidade dos tratamentos, devolvendo a mulher o quanto antes à sua vida habitual e, finalmente, redução da mortalidade das mulheres brasileiras”, contou Dr. Silvia Sabino.

Dr. Ruud Pijnappel – presidente do LRCB – durante palestra no evento.

O Dr. Ruud Pijnappel também reconheceu o crescimento da instituição na área da prevenção. “O trabalho realizado aqui é diferente do que fazemos na Holanda, mas isso não é um problema, afinal, são contextos e realidades diferentes, mas a qualidade da realização dos exames, a preocupação em treinar e qualificar cada profissional envolvido no processo e essa essência que norteia o projeto são exatamente as mesmas”, finalizou.

“Com o III Simpósio Internacional de Rastreamento Mamográfico, ganhamos notoriedade e consolidamos, cada vez mais, nosso papel de formadores de opinião e estimuladores da busca constante pela qualidade (em todas as áreas). Esta é a nossa marca, este é o legado que estamos deixando para todos que se aproximam do Hospital de Amor”, declarou a médica radiologista.

Auditoria Internacional do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama
A segunda fase desse projeto foi a submissão do serviço de prevenção do Hospital de Amor à 3ª edição da ‘Auditoria Internacional do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama’. Desta forma, os participantes do simpósio também aproveitaram para prestigiar esse outro momento, realizado na primeira semana do mês de setembro.

Este segundo processo conta com avaliação dos mamógrafos digitais da instituição, qualidade de imagem e treinamento dos técnicos de radiologia, performance dos médicos radiologistas e controle dos dados e resultados do Programa de Rastreamento – que culminou com a conquista da Certificação Internacional (única fora da Europa) por mais dois anos. “A certificação é o coroamento de um árduo e contínuo trabalho, de uma grande equipe multiprofissional. Gostaria de expressar os meus parabéns a todos que participaram, de alguma forma, destes momentos”, finalizou Dra. Sílvia.

O evento reuniu, em Barretos (SP), especialistas renomados vindos de outros países para compartilhar conhecimentos médicos e técnicos sobre o diagnóstico do câncer de mama.

Publicado em 11 de set de 2018   |   Artigos, Destaques, Ensino e Pesquisa, Prevenção
Para celebrar os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia no HA e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo.

Neste ano, o Hospital de Amor comemora os 20 anos da realização da primeira videolaparoscopia realizada na instituição, técnica que hoje é rotina no tratamento de muitos pacientes. Para celebrar a data e os milhares de procedimentos realizados até o momento, médicos e profissionais que fazem parte dessa história se reuniram em um simpósio comemorativo, no último dia 29 de novembro, que, além de abordar a evolução na indicação do procedimento ao longo dos anos, trouxe discussões sobre o que há de mais inovador na área, sobretudo, na segurança e utilização da tecnologia e novos materiais para a realização da videolaparoscopia.

Segundo o presidente do Hospital de Amor, Henrique Duarte Prata, a decisão de trazer a técnica para a instituição, mesmo com as dificuldades apresentadas na época, foi baseada no objetivo de sempre levar o melhor e mais adequado tratamento aos pacientes. De acordo com o médico titular do departamento do digestivo baixo do HA, Dr. Marcos Denadai, o uso da videolaparoscopia no HA foi fundamental para o avanço e melhoria da tecnologia no Brasil e no mundo, sobretudo, no tratamento oncológico.

Desde 2011, a parceria entre o Hospital de Amor e o Instituto de Treinamento em Técnicas Minimante Invasivas e Cirurgia Robótica – IRCAD – transformou a cidade de Barretos em uma referência também na formação de cirurgiões especialistas técnicas minimamente invasivas, recebendo profissionais de toda a América Latina.

O evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.

Além do presidente do HA, Henrique Prata, médicos e profissionais do instituição, o evento também contou com a presença do fundador e coordenador científico IRCAD, Jacques Marescaux; do médico que iniciou o trabalho com essas técnicas em Barretos e um dos maiores nomes no tratamento cirúrgico das afecções do colón e reto, Dr. Armando Melani; e do cirurgião e coordenador científico do IRCAD, Dr. Luís Gustavo Romagnolo.
O evento, que reuniu mais de 120 profissionais e acadêmicos, também contou com o apoio de grandes parceiros.

Reconhecido mundialmente por oferecer o que há de mais avançado a pacientes em tratamento oncológico, o Hospital de Amor trabalha também para se tornar referência no que diz respeito à Educação em Saúde. Este é o principal objetivo do Simpósio de Educação em Saúde, promovido pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) – ligado ao Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) da instituição – que este ano chegou à sua terceira edição, trazendo como tema principal a perspectiva de paradigmas metodológicos.

O evento contou com workshops e uma programação pré-simpósio, com a presença de profissionais de referência na área.

De acordo com o coordenador do NEC, Gerson Vieira, até o ano passado, o evento acontecia em formato de encontro científico, mas uma mudança de estrutura e objetivo geral possibilitou o formato de simpósio. Esta edição, que aconteceu nos dias 6 e 7 de novembro e reuniu cerca de 120 profissionais e acadêmicos, também contou com o apoio de quatro grandes parceiros: Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB), Fundação Ilumina, SESC e Liga Nacional de Comunicação Científica, o que permitiu a promoção de workshops e uma programação pré-simpósio, com a presença de profissionais de referência na área.

“Nosso intuito é promover e estimular o diálogo sobre temáticas que versam sobre os campos da educação e da saúde, tendo em vista a troca de experiências e a oportunidade de desenvolver estratégias que embasem os trabalhos e projetos neste campo. As parcerias ampliaram os nossos horizontes, principalmente no campo da divulgação cientifica, sobretudo dentro da temática que pretendeu debater as tendências metodológicas”, ressaltou o coordenador. A expectativa para o evento nos próximos anos é fortalecer, cada vez mais, as parcerias já existentes e conquistar outros públicos, ampliando o alcance e a capilaridade da proposta.

Cris Cousseau é bióloga, mestranda do CPOM do Hospital de Amor e coordenadora da Liga Nacional de Comunicação Científica.

Os desafios e a importância da divulgação e comunicação científica, bem como a possibilidade de aproximar a temática de toda a população ao falar sobre ciência de maneira clara e objetiva, guiaram o primeiro dia de evento, definido como pré-simpósio, organizado pela Liga Nacional de Divulgação Científica (criada em abril de 2017 com o intuito de reunir interessados em comunicação e divulgação científica de todo Brasil). “Sabemos da importância da ciência na vida das pessoas e o quanto falta para que a informação científica chegue ao outro lado da ponte, a quem de fato interessa, então precisamos melhorar nossa ponte para que isso aconteça, melhorar a maneira como estamos comunicando informações científicas para a população leiga. Este é o principal objetivo da Liga: comunicar a ciência de uma maneira acessível, conscientizar os cientistas que precisamos simplificar nossa linguagem para que a informação realmente chegue”, explicou a bióloga, mestranda do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do Hospital de Amor e coordenadora da Liga, Cris Cousseau.

O evento também marcou a etapa final do concurso de divulgação científica “Ligando a Ciência”, que trouxe participantes do Rio de Janeiro, Mato Grosso e São Paulo, além de expor e premiar trabalhos desenvolvidos na área de Educação em Saúde, que foram avaliados por uma banca externa, formada por docentes da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto.

O “III Simpósio Internacional de Rastreamento Mamográfico” contou com 300 participantes e 35 palestrantes.
Dra. Sílvia Sabino, médica radiologista do Instituto de Prevenção do Hospital de Amor.

Há mais de 20 anos, o Hospital de Amor atua levando a prevenção para homens e mulheres de todo o Brasil, desenvolvendo um trabalho pioneiro, com qualidade e excelência, em suas 11 unidades fixas de prevenção e 18 unidades móveis. Com o objetivo de difundir conhecimentos médicos e técnicos sobre o diagnóstico do câncer de mama em suas fases mais iniciais, o Instituto de Prevenção do HA promoveu o “III Simpósio Internacional de Rastreamento Mamográfico”.

O evento, que aconteceu nos dias 31 de agosto e 1 de setembro, no Centro de Convenções do Barretos Country Hotel, em Barretos (SP), em parceria com o instituto holandês The Dutch Nacional Expert and Training Center for Breast Cancer Screening (LRCB), contou com 300 participantes e 35 palestrantes, entre eles, o renomado radiologista mamário, presidente do LRCB e professor (que também atua no departamento de radiologia da University Medical Center Utrecht), da Holanda, Dr. Ruud Pijnappel; a epidemiologista holandesa, Meirelle Broeders; a instrutora coordenadora dos técnicos de radiologia do programa holandês de rastreamento mamográfico, Cary Van Landsveld-Verhoeven; e a radiologista mamária do Hospital de Mar, da Espanha, Ana Rodrigues Arana.

Durante os dois dias de intensa troca de conhecimentos, duas salas simultâneas foram montadas: uma médica, envolvendo as diversas especialidades relacionadas com o diagnóstico precoce e tratamento do câncer de mama, e uma técnica, onde os técnicos de radiologia puderam ter contato com renomados palestrantes, conceitos internacionais e as mais novas tecnologias disponíveis para o rastreamento mamográfico. Além disso, o curso foi disponibilizado, através de transmissões ao vivo, para mais de 100 pessoas remotamente nas unidades fixas de prevenção do Hospital de Amor.

De acordo com a médica radiologista do Instituto de Prevenção do HA, Dra. Sílvia Sabino, o simpósio foi um sucesso, pois possibilitou o compartilhamento de reflexões sobre o rastreamento mamográfico entre os pesquisadores e profissionais da área, nacionais e internacionais, abordando temas de diferentes aspectos que constituem lesões mamárias diferenciais e tumores precoces, além das lesões precoces diagnosticadas. Para ela, os programas de rastreamento do câncer de mama (doença mais frequente na população feminina) realizados no Brasil são essencialmente de cunho oportunístico, isto é, as mulheres realizam os exames se o desejarem, sem nenhum tipo de controle efetivo sobre a adesão, casos alterados ou seus desdobramentos. “A presença de pessoas que trabalham com um rastreamento organizado, em que absolutamente todos os dados são controlados, traz uma excelente oportunidade de incremento de qualidade ao serviço que prestamos à população e nos faz olhar de maneira mais crítica para o nosso trabalho”, afirmou Dra. Sílvia.

Segundo o presidente da LRCB, as palestras realizadas no evento foram muito proveitosas, pois envolveram os assuntos sobre rastreamento, diagnóstico e tratamento da doença de maneira muito bem estruturada. “Quando nós chegamos no Hospital de Amor pela primeira vez, a instituição ainda estava começando seu programa de rastreamento mamográfico. Agora, é impressionante como ela construiu um sistema tão organizado. Claro, que sempre há o que se aprimorar, mas é nítido que essa equipe sempre procura dar passos para alcançar a excelência e, com nossas orientações, eles têm conseguido ótimos resultados”, relatou.

Resultados positivos
Após promover um evento tão grandioso como este, é possível reconhecer que o Hospital de Amor, especialmente o Instituto de Prevenção da entidade, está intensamente alinhado com diretrizes internacionais da mais alta qualidade. “É gratificante perceber que estamos no caminho certo, mas, o caminho para a perfeição é longo e árduo. Somente com educação continuada e conscientização dos gestores de serviços médicos é que poderemos alcançar nosso objetivo: diagnóstico precoce do câncer de mama na tentativa de redução da morbidade dos tratamentos, devolvendo a mulher o quanto antes à sua vida habitual e, finalmente, redução da mortalidade das mulheres brasileiras”, contou Dr. Silvia Sabino.

Dr. Ruud Pijnappel – presidente do LRCB – durante palestra no evento.

O Dr. Ruud Pijnappel também reconheceu o crescimento da instituição na área da prevenção. “O trabalho realizado aqui é diferente do que fazemos na Holanda, mas isso não é um problema, afinal, são contextos e realidades diferentes, mas a qualidade da realização dos exames, a preocupação em treinar e qualificar cada profissional envolvido no processo e essa essência que norteia o projeto são exatamente as mesmas”, finalizou.

“Com o III Simpósio Internacional de Rastreamento Mamográfico, ganhamos notoriedade e consolidamos, cada vez mais, nosso papel de formadores de opinião e estimuladores da busca constante pela qualidade (em todas as áreas). Esta é a nossa marca, este é o legado que estamos deixando para todos que se aproximam do Hospital de Amor”, declarou a médica radiologista.

Auditoria Internacional do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama
A segunda fase desse projeto foi a submissão do serviço de prevenção do Hospital de Amor à 3ª edição da ‘Auditoria Internacional do Programa de Rastreamento do Câncer de Mama’. Desta forma, os participantes do simpósio também aproveitaram para prestigiar esse outro momento, realizado na primeira semana do mês de setembro.

Este segundo processo conta com avaliação dos mamógrafos digitais da instituição, qualidade de imagem e treinamento dos técnicos de radiologia, performance dos médicos radiologistas e controle dos dados e resultados do Programa de Rastreamento – que culminou com a conquista da Certificação Internacional (única fora da Europa) por mais dois anos. “A certificação é o coroamento de um árduo e contínuo trabalho, de uma grande equipe multiprofissional. Gostaria de expressar os meus parabéns a todos que participaram, de alguma forma, destes momentos”, finalizou Dra. Sílvia.

O evento reuniu, em Barretos (SP), especialistas renomados vindos de outros países para compartilhar conhecimentos médicos e técnicos sobre o diagnóstico do câncer de mama.

Publicado em 11 de set de 2018   |   Artigos, Destaques, Ensino e Pesquisa, Prevenção