fbpx

7º Concurso de Redação do Hospital de Amor premia finalistas

Mais de 15 mil redações enviadas por alunos de aproximadamente 300 escolas de todo o estado de São Paulo. Estes são os números do 7º Concurso de Redação do Hospital de Amor, organizado pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) da instituição, que se encerrou na sexta-feira, 9 de agosto, com a premiação dos cinco finalistas e anúncio da grande vencedora: Joana Albuquerque Copetti. A cerimônia, que reuniu alunos e professores de Barretos (SP) e região, contou com a presença do secretário executivo de educação do estado de São Paulo, Haroldo Corrêa Rocha, além da dirigente regional de ensino de Barretos, Solange de Oliveira Bellini, do diretor executivo e científico do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HA, Rui Reis, e do diretor de extensão do IEP, Vinicius de Lima Vazquez.

Os 5 finalistas participaram de um estágio guiado no CPOM do HA.

Nos três dias que antecederam a premiação, os finalistas participaram de um estágio guiado no Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do HA, onde puderam conhecer, na prática, a rotina dos pesquisadores e saber mais sobre o seu papel na instituição. “O Concurso de Redação tem como principal objetivo difundir o conhecimento, popularizar a ciência e estimular jovens talentos na investigação científica, por isso, entendemos que é extremamente importante proporcionar esta experiência aos autores das melhores redações. É uma maneira de trazê-los para mais perto desta realidade e, quem sabe, despertá-los para uma futura profissão”, ressaltou o coordenador do NEC, Gerson Lúcio Vieira. Além do estágio, a primeira colocada também ganhou um notebook, assim como, a sua professora orientadora, e os demais finalistas foram premiados com tablets.

Haroldo Corrêa Rocha, que visitou a instituição pela primeira vez, enfatizou a importância da ação e reafirmou o compromisso da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que é parceria do projeto desde 2016. “Sabemos do valor – e as dificuldades – em se trabalhar com Saúde e Educação e é louvável a maneira como essas duas áreas tão essenciais se unem aqui. Com certeza é um exemplo a ser replicado!”.

A grande vencedora do concurso foi: Joana Albuquerque Copetti, de Borborema (SP).

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal, que, apesar de pouco falado, é o terceiro mais frequente entre homens.

Confira a classificação dos finalistas de 2019:
1º lugar: Joana Albuquerque Copetti

Unidade Escolar: E.E. Manoel Silveira Bueno
Cidade: Borborema (SP)
Diretoria de Ensino: Taquaritinga (SP)

2º lugar: Yzadora Calza Siqueira

Unidade Escolar: E. E. Conde do Pinhal
Cidade: São Carlos (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

3º lugar: Emanuelle Carvalho Oliveira

Unidade Escolar: E. E. Professora Regina Dias Antunes da Silva
Cidade: Apiaí (SP)
Diretoria de Ensino: Apiaí (SP)

4º lugar: Adrian Mais dos Santos de Jesus

Unidade Escolar: E.E. João Jacinto do Nascimento
Cidade: Ibaté (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

5º lugar: Gabriela Marini de Lima

Unidade Escolar: E. E. Doutora Isabel Campos
Cidade: Presidente Venceslau (SP)
Diretoria de Ensino: Santo Anastácio (SP)

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal.

 

“Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal” é o tema do 7º Concurso de Redação.

O Concurso de Redação, iniciativa promovida pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor, já virou tradição entre os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II, matriculados nas escolas estaduais do Estado de São Paulo e nas escolas privadas da cidade de Barretos (SP). Com o objetivo de difundir o conhecimento e popularizar a ciência, os jovens talentos são estimulados na investigação científica para que, no futuro, possam gerar aprendizado e inovações que beneficiem toda a sociedade.

No último dia 29 de março, o NEC, em parceria com o Departamento de Prevenção e apoio das Secretarias Municipais de Esporte e Cultura, lançou a 7ª edição do concurso, que neste ano traz como tema a prevenção do câncer colorretal (“Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”), assunto abordado durante o mês de março (conhecido como Março Marinho). O evento, que aconteceu no estacionamento do Ginásio de Esportes João Batista da Rocha – o Rochão, foi aberto a toda comunidade do município e da região e contou com uma programação especial, repleta de atividades físicas e educativas, orientações sobre prevenção, saúde e qualidade, além da presença da unidade móvel de educação ‘Missão Gênese’.

“O Concurso de Redação é, atualmente, uma das principais ferramentas na ampliação do nosso Programa de Divulgação Científica, e as importantes parcerias estabelecidas por meio dele, como o apoio da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que é composta por 91 Diretorias Regionais de Ensino, e da Secretaria Municipal de Educação de Barretos, são de extrema relevância na obtenção de grandes resultados. A expectativa para este ano é ultrapassar as mais de 19 mil redações produzidas em 2018, levando, assim, para mais pessoas e lugares a mensagem de prevenção, qualidade de vida e, consequentemente, uma cultura de autocuidado e de vida mais saudável”, afirmou coordenador do Núcleo de Educação em Câncer, Gerson Vieira.

A iniciativa é gerar o conhecimento sobre o câncer colorretal, além de dar destaque para a prevenção, que acontece de maneira simples através da atividade física e alimentação saudável em todas as idades.

Março Marinho no Concurso de Redação
Não por acaso, neste ano, o lançamento do Concurso de Redação foi realizado junto ao encerramento da campanha “Março Marinho” – já marcada pela conscientização da importância de se prevenir do câncer colorretal (aquele que acomete o intestino grosso e o reto). Segundo a médica endoscopista e responsável pelo Programa de Rastreamento do Câncer Colorretal do Hospital de Amor, Dra. Denise Guimarães, implantado em Barretos há 3 anos, a incidência da doença vem aumentando progressivamente no país e, ações como esta, trazem resultados importantes. “Assim como o resto do mundo, nós adotamos o mês de março para fazer a campanha e elaboramos uma série de atividades que promovem o conhecimento sobre o câncer colorretal, além de dar destaque para a prevenção, que acontece de maneira simples através da atividade física e alimentação saudável em todas as idades, e do rastreamento para aqueles entre 50 e 65 anos”, declarou.

O Concurso de Redação possui, ao todo, cinto etapas que iniciam hoje, 2 de abril, e seguem até o dia 19 de agosto. Entre as milhares de redações, cinco serão selecionadas e os autores serão premiados com três dias de estágio no Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do HA, onde desenvolverão atividades científicas e laboratoriais, além de serem estimulados a respeito da conscientização sobre os fatores ambientais que podem desencadear o desenvolvido do câncer e outras doenças. Já o primeiro colocado ganhará um notebook, assim como o professor orientador, e os demais finalistas ganharão um tablet. “Os temas das redações são anualmente escolhidos com a intenção de que os estudantes participantes se aproximem da pesquisa”, completou o coordenador do NEC.

Para a dirigente regional de ensino da Diretoria de Ensino da Região de Barretos, Solange de Oliveira Bellini, o projeto tem oferecido oportunidade para implementar e enriquecer o currículo escolar, tanto na área das ciências biológicas, quanto na área de linguagens. “Criou-se, entre os estudantes e profissionais das escolas, a expectativa sobre qual temática a ser desenvolvida a cada ano e quais desafios eles terão que vencer para a melhor colocação dos candidatos e instituições. Isso também colabora para um aprendizado voltado para melhoria das habilidades de investigação, pesquisa, criticidade e criatividade na competência escritora dos jovens, diante das temáticas apresentadas. Paralelo a isso, o desafio de competir com um número maior de candidatos também os coloca diante de uma situação real do aprendizado para a vida cotidiana. Neste sentido, muito ganhamos e muito aprendemos com esta parceria”, declarou.

O professor da Escola Estadual Embaixador Macedo Soares (uma das participantes do concurso), Rildo Vasconcelos, afirma que todo o conteúdo absorvido e repassado aos alunos se torna uma importante ferramenta de prevenção do câncer e de outras doenças, além se tornar uma importante ferramenta de criação de autonomia sobre o saber. “Eu tenho certeza de que tudo que os alunos aprendem por meio deste projeto ultrapassa os muros das escolas e, muitas vezes, se sobrepõe ao que chamamos de educação formal”, declarou.

Confira o cronograma do 7º Concurso de Redação:

 Fase I Período de Produção das Redações nas escolas  Entre 02/04 e 24/05
Fase II

 

Banca de Avaliação nas escolas

Envio das Redações para as Diretorias Regionais de Ensino

Entre 27/05 e 07/06

Até 07/06

Fase III Banca de Avaliação nas Diretorias de Ensino Regionais

Envio das Redações para o NEC

Entre 10/06 e 28/06

 

Até 28/06

Fase IV Banca de Avaliação no Hospital de Câncer de Barretos

Publicação dos nomes dos finalistas no site do Hospital

Entre 01/07 e 26/07

 

 

29/07

Fase V Cerimônia de Premiação dos finalistas

Estágio no Hospital de Câncer de Barretos

07/08

07/08 A 09/08

A expectativa para o Concurso de Redação deste ano é ultrapassar as mais de 19 mil redações produzidas em 2018, levando, assim, para mais pessoas e lugares a mensagem de prevenção, qualidade de vida e, consequentemente, uma cultura de autocuidado e de vida mais saudável.
A expectativa para o próximo ano é expandir o acesso da carreta educativa “Missão Gênese” para outras cidades do estado de São Paulo.

Um evento muito especial marcou o encerramento do segundo ano do projeto da carreta educativa “Missão Gênese – Uma Jornada Nanocientífica”. No dia 23 de novembro, o Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor reuniu parceiros, amigos e viabilizadores da iniciativa, com o intuito de apresentar os resultados obtidos nos anos de 2017 e 2018, além de possibilitar o reencontro de todos que participaram do desenvolvimento e da execução desta importante missão.

Iniciado em agosto de 2017, o projeto ‘Missão Gênese’ surgiu da necessidade de aproximar o público do conhecimento produzido no HA. Diante disso, elaborou-se um trabalho de imersão voltado aos adolescentes, de 11 a 15 anos, na tentativa de difundir a cultura e o conhecimento sobre autocuidado e a prevenção do câncer, levando conscientização às crianças, fazendo com que elas compartilhem essas informações tão importantes em seus meios de convívio. A Missão faz uso de gamificação (uso de mecânicas e dinâmicas de jogos para engajar pessoas, resolver problemas e melhorar o aprendizado, motivando ações e comportamentos em ambientes fora do contexto de jogos) visando proporcionar uma experiência que aborda um tema complexo de maneira lúdica, transformando estudantes em protagonistas de uma aventura de investigação científica.

De acordo com coordenador do NEC, Gerson Vieira, o objetivo do evento de prestação de contas é apresentar para toda a comunidade os resultados obtidos nesse período de um ano e meio e o quanto essas estratégias deram certo. Para ele, a satisfação de todo esse projeto está nos números alcançados. “Encerramos o programa em 2017 abrangendo 90 participantes. Neste ano, os números nos surpreenderam: foram 4.313 alunos que vivenciaram esse experimento e puderam expandir os conhecimentos para dentro de suas casas”, afirmou.

Números
Em 2017, a carreta educativa esteve na cidade de Barretos (SP) e passou pelas escolas E. M. São Francisco, P. E. I Valois Scortecci e E. E. Cel. Silvestre de Lima. Já em 2018, os alunos das escolas P. E. I Prof. Aymoré do Brasil, E. E. Dr. Antônio Olympio, E. E. Cel. Almeida Pinto e E. M. Giuseppe Carnímeo também passaram pela missão.

Confira outras cidades e colégios que também receberam a unidade móvel: Colina (SP) – Colégio Cecília Meireles e Colégio e E. M. Lamounier de Andrade; Piracicaba (SP) – P. E. I Adolpho Carvalho; Brotas (SP) – Colégio Construindo, COC, SESI, Sinhá, Dinah, E. M. Álvaro Calhado; Severínia (SP) – E. M. Victória Maldonado Cazarine e E. M. Esmeralda Duarte da Silva; Colômbia (SP) – E. M. Santa do Prado; Guaíra (SP) – E. E. Enoch Garcia.

Resultados: 4.313 alunos, 466 professores, 1.690 visitações, 6.469 de público total, 25.876 de público atingido indiretamente, 10 cidades, 20 escolas e 6 eventos.

Para o procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT) de Campinas, Dr. Ronaldo José de Lira, a parceria entre o órgão público e a instituição beneficiou milhares de adolescentes, mas o maior mérito são os frutos que o HA conseguiu colher, através de seu trabalho de seriedade, em prol da sociedade. “Em 20 anos de ministério, eu nunca me senti tão realizado e feliz como nesses últimos 4 em que estive tão próximo do Hospital de Amor, graças à parceria com o MPT (Ministério Público do Trabalho). Vocês sempre me agradecem, mas sou eu quem preciso agradecer vocês. Quem quer fazer o bem, encontra obstáculos de todos os tamanhos, mas é preciso ter muita fé para conseguir! Aqui, a gente encontra amor e é isso que eu sinto todas as vezes que venho. Muito obrigado”, declarou.

A expectativa para o próximo ano é expandir o acesso da carreta educativa “Missão Gênese” para outras cidades do estado de São Paulo, especialmente para os municípios onde estão localizadas as unidades do Hospital de Amor. “Após esse momento, a nossa intenção é chegar nos outros estados e em cidades que possuem parcerias com a instituição”, esclareceu o coordenador do NEC.

Dr. Ronaldo Lira, ao lado dos alunos e da diretora da Escola Estadual Prof. Valois Scortecci, Sônia Goreti Baldan Levi.

Depoimentos
Durante a cerimônia de prestação de contas, alguns professores e alunos deram seus depoimentos sobre a experiência de receber a carreta educativa, vivenciar a missão e aprender mais sobre prevenção de câncer e qualidade de vida. Segundo a diretora da Escola Estadual Prof. Valois Scortecci, Sônia Goreti Baldan Levi, os estudantes que tiveram a oportunidade de conhecer a unidade móvel nunca mais serão os mesmos. “Fazer parte desse projeto foi mais do que um sonho! Pudemos ver nossos alunos conversando sobre oncologia, realizando atividades relacionadas ao assunto, entendendo sobre a importância da prevenção e divulgando os conhecimentos adquiridos em suas casas e bairros, foi muito gratificante. Só temos que agradecer pelo conhecimento que todos nós ganhamos”, finalizou Sônia.

Sobre a Carreta Educativa
A concretização do projeto só foi possível graças às verbas do Ministério Público do Trabalho da 15ª Região. Parte dos recursos obtidos em uma ação civil pública foram destinados para cinco iniciativas relacionadas à pesquisa e atendimentos de saúde. O maior deles, orçado em R$ 69,9 milhões, foi para o Hospital de Amor. Desse montante, R$ 34 milhões foram dispostos para a construção do Instituto de Prevenção em Campinas (SP) e de cinco unidades móveis, entre elas, a carreta educativa Missão Gênese.
As tecnologias utilizadas na unidade foram desenvolvidas pela empresa YDreams Global, que opera como parceira de instituições e marcas para reformular a estratégia de atuação por meio de iniciativas relevantes que integrem a experiência digital com o espaço físico e presencial.

O HA reuniu parceiros, amigos e viabilizadores da iniciativa, com o intuito de apresentar os resultados obtidos nos anos de 2017 e 2018, além de possibilitar o reencontro de todos que participaram do desenvolvimento e da execução desta importante missão.

Há muitos anos, o Hospital de Amor conta com uma parceria importante com a Rice University – respeitável centro acadêmico localizado em Houston, nos Estados Unidos. Durante todo esse período, a universidade vem contribuído significativamente com a instituição, através do desenvolvimento de projetos nas áreas de Prevenção, Cuidados Paliativos, Saúde Primária e Secundária, e Medicina Nuclear, além de apresentar ideias inovadoras e ações.

O objetivo da visita foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo HA.

De 8 a 11 de outubro, o HA recebeu a visita da diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, e três alunos: Annie Graff, Sylvie Kalikoff e Kevin Smith, que atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist). O objetivo foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo hospital, seja na criação de softwares e equipamentos ou na adequação de protocolos já existentes. Além disso, eles aproveitaram a oportunidade para conhecer o departamento de ortopedia e discutir possíveis novas ações e seus desdobramentos.

Anualmente, estudantes de graduação e pós-graduação realizam intercâmbio na instituição na tentativa de trazer ideias inovadoras para o desenvolvimento de diversos projetos, buscando enriquecer suas experiências acadêmicas. Ao todo, 22 pessoas, entre alunos e diretores, já passaram pelo HA em missões de intercâmbio.

De acordo com o oncologista e diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, Dr. Vinicius de Lima Vazquez, a interação entre áreas diversas, como por exemplo, tecnologia, biologia ou ciências da vida, é muito rica e capaz de produzir conhecimentos novos. “Imaginamos que esta parceria possa resultar em avanços importantes, tanto na criação de aprendizado, quanto na aplicação prática. O convívio com alunos de outra formação e cultura também é enriquecedor, com a internacionalização do nosso centro de pesquisa e ampliação dos horizontes dos nossos estudantes e profissionais. Além disso, o HA ganha visibilidade e, principalmente, a possibilidade de conquistar parcerias em projetos, como psicologia comportamental e ciências tecnológicas, cuja expertise nós não possuímos”, afirmou.

No HA, os três estudantes atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist).

Graças à relação com o centro acadêmico norte-americano, muitos projetos foram desenvolvidos e estão em execução. Para a diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, a grande expectativa é que o relacionamento entre o Hospital de Amor e a Rice University cresça ainda mais, para que outros estudantes e profissionais possam conhecer a estrutura da instituição e contribuir com a solução de problemas mais complexos relacionados à saúde. “Essa relação entre as duas entidades é muito importante. Eu já tinha visitado outras instituições no Brasil, mas o Hospital de Amor foi a que mais me impressionou! A qualidade do tratamento e das instalações é igual e, muitas vezes, até melhor do que hospitais nos Estados Unidos”, relatou Sarah.

Experiência
Os estudantes de bioengenharia da faculdade texana estiveram pela primeira vez no Brasil e ficaram impressionados com Hospital de Amor. Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade. “Eu escolhi vir para cá, porque sei que o HA oferece um tratamento de qualidade para todos que precisam, e não apenas para quem pode pagar por ele. Nosso desejo é que essa parceria com a Rice continue. Todos aqui são muito amigáveis, gentis e hospitaleiros, por isso, estamos muito empolgados em nos envolver com nesse trabalho, que é tão importante e único”, relatou Kevin Smith, de 22 anos.

 

Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade.
A ação trouxe personagens de grande sucesso da atualidade e figuras que marcaram gerações.

A magia da 2ª arte tomou conta do Centro de Eventos Dr. Paulo Prata na última semana do mês de setembro. Mais de 500 crianças das escolas municipais e estaduais de Barretos (SP) e região se encantaram ao assistir, cantar e se divertir com a apresentação da peça “O Livro Encantado de Mila – Uma viagem ao mundo do faz de conta”.

A ação, promovida pelo Instituto Sociocultural do Hospital de Amor, em parceria com o Ministério da Cultura e o grupo ‘Coringas Comunicação com Arte’, trouxe personagens de grande sucesso da atualidade e figuras que marcaram gerações. Na história, a pequena Mila ganha um livro, mas percebe que os contos dentro dele haviam sumido e o ‘faz de conta’ estava ameaçado. Firula e Lilica, suas bonecas preferidas, agora têm uma grande missão: levar Mila para o mundo do imaginário e mostrar que tudo é real, mágico e muito mais divertido. Dentro desse universo especial, elas encontraram a Fada Encantada, Galinha Pintadinha, Ladybug, Masha e o Urso, Batman, Moana e a Rainha Má.

O projeto faz parte do cronograma do Instituto Sociocultural de 2018, com o objetivo de disseminar cultura de qualidade para Barretos e região, principalmente, aos alunos matriculados nas escolas públicas. De acordo com a coordenadora de projetos do Instituto, Marcella Marchioreto, a apresentação da peça teve classificação livre e os ingressos foram oferecidos gratuitamente. “Nossa intenção é proporcionar às crianças carentes a oportunidade de participar de um teatro de qualidade. Ficamos extremamente felizes com cada sorriso estampado no rostinho delas”, afirmou.

Coordenadora Luiza ao lado da aluna Bianca, que interpretou a personagem principal da peça, Mila.

O sucesso dessa primeira edição foi tão grande que as escolas que prestigiaram a peça já se cadastraram para os próximos eventos. Para a diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (CEMEI) Maria Fernandes Rodrigues, Luiza Aparecida do Carmo Pacheco, ações de cunho culturais como essas são excelentes oportunidades para o enriquecimento desses alunos. “A iniciativa é fantástica e nós estamos encantados! Trazer nossos alunos para prestigiar um evento como esse, inteiramente gratuito para as escolas de educação pública, é maravilhoso. O acesso à cultura fora das escolas e das salas de aulas contribui muito para o aprendizado deles. Agradecemos a oportunidade e parabenizamos o Hospital de Amor pelo projeto. Nossa presença está confirmada para as próximas ações”, declarou Luiza.

Para atender os alunos deficientes auditivos, uma professora especialista em libras (Língua Brasileira de Sinais) foi convidada.

Da aluna à atriz
A pequena atriz, Bianca Fontes de Oliveira, de 11 anos, que, desta vez, interpretou a personagem principal da peça, Mila, já esteve do outro lado do palco. Aluna exemplar da Escola Municipal João Baroni, de Barretos, ela se sente importante se apresentando para seus amigos. “Uma das minhas professoras precisava de alguém para fazer esse papel. Eu topei o desafio e estou muito feliz em me apresentar para eles. Quero continuar estudando para me tornar uma grande atriz”, finalizou Bianca.

Agenda
Esse foi o primeiro dos quatro espetáculos que ocorrerão até o final do ano. Confira as próximas peças: 22/10 – “Um dia no Sítio do Pica Pau Amarelo”, Unifeb; 23/10 – “As meninas e o quase bebê”, Unifeb; 1/11 – “Show Trupe da Firula”, Centro de Eventos Paulo Prata.

Instituto Sociocultural
Com a missão de viabilizar e realizar projetos que incentivem a cultura de qualidade e o desenvolvimento social com o público do Hospital de Amor e também com a população de Barretos e região, o Instituto Sociocultural contempla ações que visam a comunidade. Neste ano, o espetáculo de dança “A Bela e a Fera”, por exemplo, foi recorde de público.

Todos os projetos acontecem através da Lei Rouanet, além da parceria com o Ministério da Cultura e a colaboração de patrocinadores, como as empresas Cutrale, JBT e Garen.

Mais de 500 crianças das escolas municipais e estaduais de Barretos (SP) e região se encantaram ao assistir, cantar e se divertir com a apresentação da peça.

 


Publicado em 04 de out de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional

Mais de 15 mil redações enviadas por alunos de aproximadamente 300 escolas de todo o estado de São Paulo. Estes são os números do 7º Concurso de Redação do Hospital de Amor, organizado pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) da instituição, que se encerrou na sexta-feira, 9 de agosto, com a premiação dos cinco finalistas e anúncio da grande vencedora: Joana Albuquerque Copetti. A cerimônia, que reuniu alunos e professores de Barretos (SP) e região, contou com a presença do secretário executivo de educação do estado de São Paulo, Haroldo Corrêa Rocha, além da dirigente regional de ensino de Barretos, Solange de Oliveira Bellini, do diretor executivo e científico do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do HA, Rui Reis, e do diretor de extensão do IEP, Vinicius de Lima Vazquez.

Os 5 finalistas participaram de um estágio guiado no CPOM do HA.

Nos três dias que antecederam a premiação, os finalistas participaram de um estágio guiado no Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do HA, onde puderam conhecer, na prática, a rotina dos pesquisadores e saber mais sobre o seu papel na instituição. “O Concurso de Redação tem como principal objetivo difundir o conhecimento, popularizar a ciência e estimular jovens talentos na investigação científica, por isso, entendemos que é extremamente importante proporcionar esta experiência aos autores das melhores redações. É uma maneira de trazê-los para mais perto desta realidade e, quem sabe, despertá-los para uma futura profissão”, ressaltou o coordenador do NEC, Gerson Lúcio Vieira. Além do estágio, a primeira colocada também ganhou um notebook, assim como, a sua professora orientadora, e os demais finalistas foram premiados com tablets.

Haroldo Corrêa Rocha, que visitou a instituição pela primeira vez, enfatizou a importância da ação e reafirmou o compromisso da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que é parceria do projeto desde 2016. “Sabemos do valor – e as dificuldades – em se trabalhar com Saúde e Educação e é louvável a maneira como essas duas áreas tão essenciais se unem aqui. Com certeza é um exemplo a ser replicado!”.

A grande vencedora do concurso foi: Joana Albuquerque Copetti, de Borborema (SP).

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal, que, apesar de pouco falado, é o terceiro mais frequente entre homens.

Confira a classificação dos finalistas de 2019:
1º lugar: Joana Albuquerque Copetti

Unidade Escolar: E.E. Manoel Silveira Bueno
Cidade: Borborema (SP)
Diretoria de Ensino: Taquaritinga (SP)

2º lugar: Yzadora Calza Siqueira

Unidade Escolar: E. E. Conde do Pinhal
Cidade: São Carlos (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

3º lugar: Emanuelle Carvalho Oliveira

Unidade Escolar: E. E. Professora Regina Dias Antunes da Silva
Cidade: Apiaí (SP)
Diretoria de Ensino: Apiaí (SP)

4º lugar: Adrian Mais dos Santos de Jesus

Unidade Escolar: E.E. João Jacinto do Nascimento
Cidade: Ibaté (SP)
Diretoria de Ensino: São Carlos (SP)

5º lugar: Gabriela Marini de Lima

Unidade Escolar: E. E. Doutora Isabel Campos
Cidade: Presidente Venceslau (SP)
Diretoria de Ensino: Santo Anastácio (SP)

O concurso é voltado aos alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental II e, neste ano, trouxe como tema central “Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”, onde os alunos puderam refletir sobre prevenção, as influências ambientais e os fatores externos que estão associados ao desenvolvimento do câncer colorretal.

 

“Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal” é o tema do 7º Concurso de Redação.

O Concurso de Redação, iniciativa promovida pelo Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor, já virou tradição entre os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental II, matriculados nas escolas estaduais do Estado de São Paulo e nas escolas privadas da cidade de Barretos (SP). Com o objetivo de difundir o conhecimento e popularizar a ciência, os jovens talentos são estimulados na investigação científica para que, no futuro, possam gerar aprendizado e inovações que beneficiem toda a sociedade.

No último dia 29 de março, o NEC, em parceria com o Departamento de Prevenção e apoio das Secretarias Municipais de Esporte e Cultura, lançou a 7ª edição do concurso, que neste ano traz como tema a prevenção do câncer colorretal (“Alimentação saudável e atividade física: de olho no futuro sem câncer colorretal”), assunto abordado durante o mês de março (conhecido como Março Marinho). O evento, que aconteceu no estacionamento do Ginásio de Esportes João Batista da Rocha – o Rochão, foi aberto a toda comunidade do município e da região e contou com uma programação especial, repleta de atividades físicas e educativas, orientações sobre prevenção, saúde e qualidade, além da presença da unidade móvel de educação ‘Missão Gênese’.

“O Concurso de Redação é, atualmente, uma das principais ferramentas na ampliação do nosso Programa de Divulgação Científica, e as importantes parcerias estabelecidas por meio dele, como o apoio da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, que é composta por 91 Diretorias Regionais de Ensino, e da Secretaria Municipal de Educação de Barretos, são de extrema relevância na obtenção de grandes resultados. A expectativa para este ano é ultrapassar as mais de 19 mil redações produzidas em 2018, levando, assim, para mais pessoas e lugares a mensagem de prevenção, qualidade de vida e, consequentemente, uma cultura de autocuidado e de vida mais saudável”, afirmou coordenador do Núcleo de Educação em Câncer, Gerson Vieira.

A iniciativa é gerar o conhecimento sobre o câncer colorretal, além de dar destaque para a prevenção, que acontece de maneira simples através da atividade física e alimentação saudável em todas as idades.

Março Marinho no Concurso de Redação
Não por acaso, neste ano, o lançamento do Concurso de Redação foi realizado junto ao encerramento da campanha “Março Marinho” – já marcada pela conscientização da importância de se prevenir do câncer colorretal (aquele que acomete o intestino grosso e o reto). Segundo a médica endoscopista e responsável pelo Programa de Rastreamento do Câncer Colorretal do Hospital de Amor, Dra. Denise Guimarães, implantado em Barretos há 3 anos, a incidência da doença vem aumentando progressivamente no país e, ações como esta, trazem resultados importantes. “Assim como o resto do mundo, nós adotamos o mês de março para fazer a campanha e elaboramos uma série de atividades que promovem o conhecimento sobre o câncer colorretal, além de dar destaque para a prevenção, que acontece de maneira simples através da atividade física e alimentação saudável em todas as idades, e do rastreamento para aqueles entre 50 e 65 anos”, declarou.

O Concurso de Redação possui, ao todo, cinto etapas que iniciam hoje, 2 de abril, e seguem até o dia 19 de agosto. Entre as milhares de redações, cinco serão selecionadas e os autores serão premiados com três dias de estágio no Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do HA, onde desenvolverão atividades científicas e laboratoriais, além de serem estimulados a respeito da conscientização sobre os fatores ambientais que podem desencadear o desenvolvido do câncer e outras doenças. Já o primeiro colocado ganhará um notebook, assim como o professor orientador, e os demais finalistas ganharão um tablet. “Os temas das redações são anualmente escolhidos com a intenção de que os estudantes participantes se aproximem da pesquisa”, completou o coordenador do NEC.

Para a dirigente regional de ensino da Diretoria de Ensino da Região de Barretos, Solange de Oliveira Bellini, o projeto tem oferecido oportunidade para implementar e enriquecer o currículo escolar, tanto na área das ciências biológicas, quanto na área de linguagens. “Criou-se, entre os estudantes e profissionais das escolas, a expectativa sobre qual temática a ser desenvolvida a cada ano e quais desafios eles terão que vencer para a melhor colocação dos candidatos e instituições. Isso também colabora para um aprendizado voltado para melhoria das habilidades de investigação, pesquisa, criticidade e criatividade na competência escritora dos jovens, diante das temáticas apresentadas. Paralelo a isso, o desafio de competir com um número maior de candidatos também os coloca diante de uma situação real do aprendizado para a vida cotidiana. Neste sentido, muito ganhamos e muito aprendemos com esta parceria”, declarou.

O professor da Escola Estadual Embaixador Macedo Soares (uma das participantes do concurso), Rildo Vasconcelos, afirma que todo o conteúdo absorvido e repassado aos alunos se torna uma importante ferramenta de prevenção do câncer e de outras doenças, além se tornar uma importante ferramenta de criação de autonomia sobre o saber. “Eu tenho certeza de que tudo que os alunos aprendem por meio deste projeto ultrapassa os muros das escolas e, muitas vezes, se sobrepõe ao que chamamos de educação formal”, declarou.

Confira o cronograma do 7º Concurso de Redação:

 Fase I Período de Produção das Redações nas escolas  Entre 02/04 e 24/05
Fase II

 

Banca de Avaliação nas escolas

Envio das Redações para as Diretorias Regionais de Ensino

Entre 27/05 e 07/06

Até 07/06

Fase III Banca de Avaliação nas Diretorias de Ensino Regionais

Envio das Redações para o NEC

Entre 10/06 e 28/06

 

Até 28/06

Fase IV Banca de Avaliação no Hospital de Câncer de Barretos

Publicação dos nomes dos finalistas no site do Hospital

Entre 01/07 e 26/07

 

 

29/07

Fase V Cerimônia de Premiação dos finalistas

Estágio no Hospital de Câncer de Barretos

07/08

07/08 A 09/08

A expectativa para o Concurso de Redação deste ano é ultrapassar as mais de 19 mil redações produzidas em 2018, levando, assim, para mais pessoas e lugares a mensagem de prevenção, qualidade de vida e, consequentemente, uma cultura de autocuidado e de vida mais saudável.
A expectativa para o próximo ano é expandir o acesso da carreta educativa “Missão Gênese” para outras cidades do estado de São Paulo.

Um evento muito especial marcou o encerramento do segundo ano do projeto da carreta educativa “Missão Gênese – Uma Jornada Nanocientífica”. No dia 23 de novembro, o Núcleo de Educação em Câncer (NEC) do Hospital de Amor reuniu parceiros, amigos e viabilizadores da iniciativa, com o intuito de apresentar os resultados obtidos nos anos de 2017 e 2018, além de possibilitar o reencontro de todos que participaram do desenvolvimento e da execução desta importante missão.

Iniciado em agosto de 2017, o projeto ‘Missão Gênese’ surgiu da necessidade de aproximar o público do conhecimento produzido no HA. Diante disso, elaborou-se um trabalho de imersão voltado aos adolescentes, de 11 a 15 anos, na tentativa de difundir a cultura e o conhecimento sobre autocuidado e a prevenção do câncer, levando conscientização às crianças, fazendo com que elas compartilhem essas informações tão importantes em seus meios de convívio. A Missão faz uso de gamificação (uso de mecânicas e dinâmicas de jogos para engajar pessoas, resolver problemas e melhorar o aprendizado, motivando ações e comportamentos em ambientes fora do contexto de jogos) visando proporcionar uma experiência que aborda um tema complexo de maneira lúdica, transformando estudantes em protagonistas de uma aventura de investigação científica.

De acordo com coordenador do NEC, Gerson Vieira, o objetivo do evento de prestação de contas é apresentar para toda a comunidade os resultados obtidos nesse período de um ano e meio e o quanto essas estratégias deram certo. Para ele, a satisfação de todo esse projeto está nos números alcançados. “Encerramos o programa em 2017 abrangendo 90 participantes. Neste ano, os números nos surpreenderam: foram 4.313 alunos que vivenciaram esse experimento e puderam expandir os conhecimentos para dentro de suas casas”, afirmou.

Números
Em 2017, a carreta educativa esteve na cidade de Barretos (SP) e passou pelas escolas E. M. São Francisco, P. E. I Valois Scortecci e E. E. Cel. Silvestre de Lima. Já em 2018, os alunos das escolas P. E. I Prof. Aymoré do Brasil, E. E. Dr. Antônio Olympio, E. E. Cel. Almeida Pinto e E. M. Giuseppe Carnímeo também passaram pela missão.

Confira outras cidades e colégios que também receberam a unidade móvel: Colina (SP) – Colégio Cecília Meireles e Colégio e E. M. Lamounier de Andrade; Piracicaba (SP) – P. E. I Adolpho Carvalho; Brotas (SP) – Colégio Construindo, COC, SESI, Sinhá, Dinah, E. M. Álvaro Calhado; Severínia (SP) – E. M. Victória Maldonado Cazarine e E. M. Esmeralda Duarte da Silva; Colômbia (SP) – E. M. Santa do Prado; Guaíra (SP) – E. E. Enoch Garcia.

Resultados: 4.313 alunos, 466 professores, 1.690 visitações, 6.469 de público total, 25.876 de público atingido indiretamente, 10 cidades, 20 escolas e 6 eventos.

Para o procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT) de Campinas, Dr. Ronaldo José de Lira, a parceria entre o órgão público e a instituição beneficiou milhares de adolescentes, mas o maior mérito são os frutos que o HA conseguiu colher, através de seu trabalho de seriedade, em prol da sociedade. “Em 20 anos de ministério, eu nunca me senti tão realizado e feliz como nesses últimos 4 em que estive tão próximo do Hospital de Amor, graças à parceria com o MPT (Ministério Público do Trabalho). Vocês sempre me agradecem, mas sou eu quem preciso agradecer vocês. Quem quer fazer o bem, encontra obstáculos de todos os tamanhos, mas é preciso ter muita fé para conseguir! Aqui, a gente encontra amor e é isso que eu sinto todas as vezes que venho. Muito obrigado”, declarou.

A expectativa para o próximo ano é expandir o acesso da carreta educativa “Missão Gênese” para outras cidades do estado de São Paulo, especialmente para os municípios onde estão localizadas as unidades do Hospital de Amor. “Após esse momento, a nossa intenção é chegar nos outros estados e em cidades que possuem parcerias com a instituição”, esclareceu o coordenador do NEC.

Dr. Ronaldo Lira, ao lado dos alunos e da diretora da Escola Estadual Prof. Valois Scortecci, Sônia Goreti Baldan Levi.

Depoimentos
Durante a cerimônia de prestação de contas, alguns professores e alunos deram seus depoimentos sobre a experiência de receber a carreta educativa, vivenciar a missão e aprender mais sobre prevenção de câncer e qualidade de vida. Segundo a diretora da Escola Estadual Prof. Valois Scortecci, Sônia Goreti Baldan Levi, os estudantes que tiveram a oportunidade de conhecer a unidade móvel nunca mais serão os mesmos. “Fazer parte desse projeto foi mais do que um sonho! Pudemos ver nossos alunos conversando sobre oncologia, realizando atividades relacionadas ao assunto, entendendo sobre a importância da prevenção e divulgando os conhecimentos adquiridos em suas casas e bairros, foi muito gratificante. Só temos que agradecer pelo conhecimento que todos nós ganhamos”, finalizou Sônia.

Sobre a Carreta Educativa
A concretização do projeto só foi possível graças às verbas do Ministério Público do Trabalho da 15ª Região. Parte dos recursos obtidos em uma ação civil pública foram destinados para cinco iniciativas relacionadas à pesquisa e atendimentos de saúde. O maior deles, orçado em R$ 69,9 milhões, foi para o Hospital de Amor. Desse montante, R$ 34 milhões foram dispostos para a construção do Instituto de Prevenção em Campinas (SP) e de cinco unidades móveis, entre elas, a carreta educativa Missão Gênese.
As tecnologias utilizadas na unidade foram desenvolvidas pela empresa YDreams Global, que opera como parceira de instituições e marcas para reformular a estratégia de atuação por meio de iniciativas relevantes que integrem a experiência digital com o espaço físico e presencial.

O HA reuniu parceiros, amigos e viabilizadores da iniciativa, com o intuito de apresentar os resultados obtidos nos anos de 2017 e 2018, além de possibilitar o reencontro de todos que participaram do desenvolvimento e da execução desta importante missão.

Há muitos anos, o Hospital de Amor conta com uma parceria importante com a Rice University – respeitável centro acadêmico localizado em Houston, nos Estados Unidos. Durante todo esse período, a universidade vem contribuído significativamente com a instituição, através do desenvolvimento de projetos nas áreas de Prevenção, Cuidados Paliativos, Saúde Primária e Secundária, e Medicina Nuclear, além de apresentar ideias inovadoras e ações.

O objetivo da visita foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo HA.

De 8 a 11 de outubro, o HA recebeu a visita da diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, e três alunos: Annie Graff, Sylvie Kalikoff e Kevin Smith, que atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist). O objetivo foi buscar soluções diante dos problemas clínicos enfrentados diariamente pelo hospital, seja na criação de softwares e equipamentos ou na adequação de protocolos já existentes. Além disso, eles aproveitaram a oportunidade para conhecer o departamento de ortopedia e discutir possíveis novas ações e seus desdobramentos.

Anualmente, estudantes de graduação e pós-graduação realizam intercâmbio na instituição na tentativa de trazer ideias inovadoras para o desenvolvimento de diversos projetos, buscando enriquecer suas experiências acadêmicas. Ao todo, 22 pessoas, entre alunos e diretores, já passaram pelo HA em missões de intercâmbio.

De acordo com o oncologista e diretor de extensão do Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP) do Hospital de Amor, Dr. Vinicius de Lima Vazquez, a interação entre áreas diversas, como por exemplo, tecnologia, biologia ou ciências da vida, é muito rica e capaz de produzir conhecimentos novos. “Imaginamos que esta parceria possa resultar em avanços importantes, tanto na criação de aprendizado, quanto na aplicação prática. O convívio com alunos de outra formação e cultura também é enriquecedor, com a internacionalização do nosso centro de pesquisa e ampliação dos horizontes dos nossos estudantes e profissionais. Além disso, o HA ganha visibilidade e, principalmente, a possibilidade de conquistar parcerias em projetos, como psicologia comportamental e ciências tecnológicas, cuja expertise nós não possuímos”, afirmou.

No HA, os três estudantes atuaram em projetos de prevenção e cuidados paliativos (ClaroScope e PalliAssist).

Graças à relação com o centro acadêmico norte-americano, muitos projetos foram desenvolvidos e estão em execução. Para a diretora de inovação global em biotecnologia, Sarah Michel, a grande expectativa é que o relacionamento entre o Hospital de Amor e a Rice University cresça ainda mais, para que outros estudantes e profissionais possam conhecer a estrutura da instituição e contribuir com a solução de problemas mais complexos relacionados à saúde. “Essa relação entre as duas entidades é muito importante. Eu já tinha visitado outras instituições no Brasil, mas o Hospital de Amor foi a que mais me impressionou! A qualidade do tratamento e das instalações é igual e, muitas vezes, até melhor do que hospitais nos Estados Unidos”, relatou Sarah.

Experiência
Os estudantes de bioengenharia da faculdade texana estiveram pela primeira vez no Brasil e ficaram impressionados com Hospital de Amor. Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade. “Eu escolhi vir para cá, porque sei que o HA oferece um tratamento de qualidade para todos que precisam, e não apenas para quem pode pagar por ele. Nosso desejo é que essa parceria com a Rice continue. Todos aqui são muito amigáveis, gentis e hospitaleiros, por isso, estamos muito empolgados em nos envolver com nesse trabalho, que é tão importante e único”, relatou Kevin Smith, de 22 anos.

 

Após passarem uma semana conhecendo o trabalho desenvolvido pela instituição e disponibilizando seus conhecimentos em diversos setores, os alunos partiram satisfeitos com a oportunidade.
A ação trouxe personagens de grande sucesso da atualidade e figuras que marcaram gerações.

A magia da 2ª arte tomou conta do Centro de Eventos Dr. Paulo Prata na última semana do mês de setembro. Mais de 500 crianças das escolas municipais e estaduais de Barretos (SP) e região se encantaram ao assistir, cantar e se divertir com a apresentação da peça “O Livro Encantado de Mila – Uma viagem ao mundo do faz de conta”.

A ação, promovida pelo Instituto Sociocultural do Hospital de Amor, em parceria com o Ministério da Cultura e o grupo ‘Coringas Comunicação com Arte’, trouxe personagens de grande sucesso da atualidade e figuras que marcaram gerações. Na história, a pequena Mila ganha um livro, mas percebe que os contos dentro dele haviam sumido e o ‘faz de conta’ estava ameaçado. Firula e Lilica, suas bonecas preferidas, agora têm uma grande missão: levar Mila para o mundo do imaginário e mostrar que tudo é real, mágico e muito mais divertido. Dentro desse universo especial, elas encontraram a Fada Encantada, Galinha Pintadinha, Ladybug, Masha e o Urso, Batman, Moana e a Rainha Má.

O projeto faz parte do cronograma do Instituto Sociocultural de 2018, com o objetivo de disseminar cultura de qualidade para Barretos e região, principalmente, aos alunos matriculados nas escolas públicas. De acordo com a coordenadora de projetos do Instituto, Marcella Marchioreto, a apresentação da peça teve classificação livre e os ingressos foram oferecidos gratuitamente. “Nossa intenção é proporcionar às crianças carentes a oportunidade de participar de um teatro de qualidade. Ficamos extremamente felizes com cada sorriso estampado no rostinho delas”, afirmou.

Coordenadora Luiza ao lado da aluna Bianca, que interpretou a personagem principal da peça, Mila.

O sucesso dessa primeira edição foi tão grande que as escolas que prestigiaram a peça já se cadastraram para os próximos eventos. Para a diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (CEMEI) Maria Fernandes Rodrigues, Luiza Aparecida do Carmo Pacheco, ações de cunho culturais como essas são excelentes oportunidades para o enriquecimento desses alunos. “A iniciativa é fantástica e nós estamos encantados! Trazer nossos alunos para prestigiar um evento como esse, inteiramente gratuito para as escolas de educação pública, é maravilhoso. O acesso à cultura fora das escolas e das salas de aulas contribui muito para o aprendizado deles. Agradecemos a oportunidade e parabenizamos o Hospital de Amor pelo projeto. Nossa presença está confirmada para as próximas ações”, declarou Luiza.

Para atender os alunos deficientes auditivos, uma professora especialista em libras (Língua Brasileira de Sinais) foi convidada.

Da aluna à atriz
A pequena atriz, Bianca Fontes de Oliveira, de 11 anos, que, desta vez, interpretou a personagem principal da peça, Mila, já esteve do outro lado do palco. Aluna exemplar da Escola Municipal João Baroni, de Barretos, ela se sente importante se apresentando para seus amigos. “Uma das minhas professoras precisava de alguém para fazer esse papel. Eu topei o desafio e estou muito feliz em me apresentar para eles. Quero continuar estudando para me tornar uma grande atriz”, finalizou Bianca.

Agenda
Esse foi o primeiro dos quatro espetáculos que ocorrerão até o final do ano. Confira as próximas peças: 22/10 – “Um dia no Sítio do Pica Pau Amarelo”, Unifeb; 23/10 – “As meninas e o quase bebê”, Unifeb; 1/11 – “Show Trupe da Firula”, Centro de Eventos Paulo Prata.

Instituto Sociocultural
Com a missão de viabilizar e realizar projetos que incentivem a cultura de qualidade e o desenvolvimento social com o público do Hospital de Amor e também com a população de Barretos e região, o Instituto Sociocultural contempla ações que visam a comunidade. Neste ano, o espetáculo de dança “A Bela e a Fera”, por exemplo, foi recorde de público.

Todos os projetos acontecem através da Lei Rouanet, além da parceria com o Ministério da Cultura e a colaboração de patrocinadores, como as empresas Cutrale, JBT e Garen.

Mais de 500 crianças das escolas municipais e estaduais de Barretos (SP) e região se encantaram ao assistir, cantar e se divertir com a apresentação da peça.

 


Publicado em 04 de out de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional