Hospital de Amor realiza 22º “Encontro Nacional de Coordenadores” em Barretos (SP)

Para o gerente de captação de recursos, o encontro é uma forma de agradecer todas essas pessoas que atuam unicamente por amor ao próximo.

Como diz o ditado popular: ‘depois da tempestade, vem a bonança’, e o propósito do ”Encontro Nacional de Coordenadores” do Hospital de Amor não é diferente! Depois de vestirem a camisa da solidariedade, abraçarem com muito amor e dedicação a causa, e desempenharem um trabalho árduo em seus municípios, de maneira gratuita e durante todo o ano, os coordenadores voluntários de eventos (leilão, quermesses, festas, almoços, ação entre amigos, etc.) se unem, em Barretos (SP), para comemorar.

Neste ano, o evento – que já é tradição e faz parte do calendário de ações do HA – aconteceu no dia 26 de outubro, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, e reuniu mais de 1.000 pessoas. Com o objetivo de integrar os voluntários de todo o Brasil, eles tiveram a oportunidade de celebrar as conquistas alcançadas ao longo do ano, além de compartilhar as metas e desafios para 2020.

Emerson Rodrigues é coordenador voluntário de Bela Vista (MS).

O encontro contou com palestras ministradas pelo presidente da instituição, Henrique Prata, e pelo gerente de captação de recursos, Luiz Antônio Zardini. Os dois ressaltaram a importância do trabalho desenvolvido pelos coordenadores, na tentativa de diminuir o alto déficit mensal do hospital e melhorar, ainda mais, os atendimentos de excelência oferecidos aos pacientes. “De coração, eu agradeço a todos pela presença em mais esse encontro. Eu acho muito importante prestar contas pra vocês, dos nossos planos, dos nossos sonhos e projetos. Os tamanhos dos desafios que nos surgem são muito grandes e eu fico muito feliz de saber que eu consigo contar com cada um de vocês. Eu me apoio na fé para gerir essa obra e eu sei que vocês também são movidos por esse sentimento. Nossa instituição está vivendo uma experiência de crescimento que eu mesmo me impressiono com o que tem acontecido. Por isso, eu conto com vocês pra cada vez mais tragam mais pessoas para abraçar essa causa das mais diversas formas”, declarou o Henrique Prata.

Para o gerente de captação de recursos, o encontro é uma forma de agradecer todas essas pessoas que atuam unicamente por amor ao próximo. “Eles são responsáveis por uma importante parte das receitas do Hospital. É um trabalho fundamental e muito amoroso. É gratificante ver a cumplicidade deles com a instituição e, sem dúvidas, é isso que mantém as portas abertas, oferecendo assistência e tratamento de qualidade”, afirmou Zardini.

Além disso, o radio-oncologista e coordenador do projeto de reabilitação Bella Vita, Dr. Daniel Marconi; e a coordenadora do Centro de Transplante de Medula Óssea, Dra. Neysimelia Costa Villela, carinhosamente conhecida como Dra. Neysi, apresentaram seus departamentos e as novidades em tecnologia e tratamento que eles proporcionam aos pacientes do hospital.

Rita Lilian é coordenadora do município de Goiandira (GO).

Trabalho Voluntário
O coordenador voluntário Emerson Rodrigues, o Buiu, veio de Bela Vista (MS), na divisa com o Paraguai, andando mais de 1.000 KM e compareceu ao evento. Há 3 anos comandando o leilão de seu município, ele se sente completamente motivado a continuar esse trabalho de solidariedade. “É muito gratificante poder ajudar aquelas pessoas que precisam de um atendimento especializado. Quando surgiu a oportunidade de ocupar esse cargo, eu abracei de corpo, alma, mente e coração e, desde então, eu tenho feito esse trabalho. Faça tudo isso com muito amor! Estar aqui, trocando experiências com os meus colegas coordenadores de todo o país e buscando conhecimento junto a equipe do HA é maravilhoso”, contou.

A coordenadora do município de Goiandira (GO), Rita Lilian, esteve pela primeira vez no encontro e ficou encantada com o evento. “Tive o prazer de realizar o primeiro leilão na minha cidade e o prazer maior de estar aqui, nesta festa linda dedicada aos coordenadores. Acredito que o motivo maior de ajudarmos essa instituição é confiar e respeitar o trabalho que é desenvolvido aqui. Só quem conhece, consegue sentir esse amor que é o Hospital de Amor. Vale muito a pena!”, finalizou Rita.

O evento, que já é tradição e faz parte do calendário de ações do HA, reuniu mais de 1.000 voluntários, com o objetivo refletir sobre o trabalho e comemorar os feitos de 2019.
A equipe de organização, composta pela comissão de voluntários Renato Junqueira (presidente do Rodeio pela Vida) e Luiz Cândido Junqueira (vice-presidente do Rodeio pela Vida), afirma que a ideia é fixar o “Rodeio pela Vida” no calendário da cidade.

O Hospital de Amor (HA) – referência em oncologia, que acolhe pacientes de todo o país – realiza, entre os dias 17 e 20 de outubro, a 1ª edição do “Rodeio pela Vida”, na cidade de Barretos (SP). O evento, que acontece no Recinto Paulo de Lima Corrêa, em prol do HA, Santa Casa de Misericórdia e entidades assistenciais do município, contará com atrações musicais, rodeio em touros e cavalos (sela americana, bareback e cutiano), provas de Team Penning e Três Tambores.

Renato Junqueira (presidente da comissão), ao lado de Osmar Marchi (responsável pelas montarias), durante o lançamento do Rodeio pela Vida.

A equipe de organização, coordenada pelo presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, e composta pela comissão de voluntários Renato Junqueira (presidente do Rodeio pela Vida) e Luiz Cândido Junqueira (vice-presidente do Rodeio pela Vida), afirma que a ideia é fixar o “Rodeio pela Vida” no calendário da cidade. “Nosso objetivo é fazer uma festa para toda população de Barretos e região”, afirmou o presidente da comissão. Neste ano, o mesmo formato também será realizado na cidade de Jaborandi (SP).

Atrações
No primeiro dia, 17/10 (quinta-feira), o evento será marcado com show da dupla Edson & Hudson e com o trio de DJs da Make U Sweat (MUS) – composto por Dudu Linhares, Guga Guizelini e Pedro Almeida. No dia 18/10 (sexta-feira), as apresentações ficam por conta das duplas Carreiro & Capataz e Jads & Jadson; e no dia 19/10 (sábado), a dupla sertaneja Munhoz & Mariano e o cantor Juliano Cézar finalizam as atrações musicais, abrilhantando ainda mais essa ação solidária.

Para encerrar a festa, no domingo (20/10), acontece o “Festival do Arroz”, organizado pelos “Amigos do Caçu”, que prometem agradar o público com diversos pratos deliciosos.

De acordo com a comissão organizadora do rodeio, os preços serão acessíveis ao público, para que toda a população de Barretos e região possa prestigiar o evento, aproveitando as atrações e contribuindo com a causa. No dia 17/10, a pista custará R$ 20,00 e a área VIP, R$ 80,00. No dia 18/10, a pista terá o valor de R$ 30,00 e a área VIP, R$ 100,00. No dia 19/10, a pista custará R$ 30,00 e a área VIP, R$ 120,00. Já no domingo, a entrada no Recinto será gratuita e o almoço custará R$ 20,00.

Orlando Oliveira Silva coordena o Festival de Arroz – Amigos do Caçu.

Festival de Arroz
Reunir os amigos, preparar uma boa comida e fazer o bem é o que une os vinte voluntários que promovem o “Festival do Arroz – Amigos do Caçu”. Liderado pelo aposentado Orlando Oliveira Silva, 62 anos, o festival irá encerrar as atrações do 1º ‘Rodeio pela Vida’.

A 1ª edição do festival ocorreu em 2018, em Caçu (GO), e foi um grande sucesso, o que estimulou os organizadores a seguirem com o projeto continuamente, em prol do Hospital de Amor e demais entidade da cidade goiana.

De acordo com Orlando, “ver o sucesso dos cofrinhos do Hospital de Amor e como esse trabalho é importante para a instituição, nos motivou a iniciar esse projeto. Temos o maior prazer de poder participar do rodeio, apenas pela satisfação de conseguir ajudar”, afirma o líder da iniciativa.

A tradicional culinária goiana é a principal referência durante o preparo dos pratos. A grande atração é o famoso arroz com pequi, fruto nativo do cerrado e muito consumido no estado de Goiás e no Norte de Minas Gerais. O fruto, que possui o tamanho aproximado de uma maçã pequena, tem um caroço revestido por uma polpa comestível macia e amarela, que libera seu peculiar sabor. O segredo da preparação é o cuidado necessário com a camada de espinhos extremamente finos que a fruta possui. De acordo com a Embrapa, o fruto é rico em vitaminas A e C, além de possuir propriedades antioxidantes e ácidos graxos, que contribuem com a redução dos níveis de colesterol LDL do sangue.

Outro prato que também promete agradar é o arroz com gariroba, palmeira nativa do cerrado, também conhecida como gueroba, gariroba, gairova e coqueiro-amargoso. O palmito extraído do alimento tem um sabor marcante, pois o seu amargor consegue trazer autenticidade e um sabor forte. O palmito é tão utilizado em Goiás que até existe uma lenda local sobre ele. Segunda a mesma, em tempos de lua cheia, o amargo da gariroba é menor. Já em períodos de lua nova, é maior.

Já os demais pratos do festival, como: arroz com galinha (a tradicional galinhada), arroz com linguiça, arroz com carne seca, bolinho de arroz e arroz com suan de porco são mais comuns nos demais estados do país. E para os amantes de doce, não poderia faltar o clássico arroz doce.

A expectativa dos organizadores é de servir 1.200 pratos, no dia 20 de outubro (último dia do RPV), com estimativa de arrecadação superior a 20 mil reais, em prol do Hospital de Amor, Santa Casa de Misericórdia e entidades assistências de Barretos (SP).

Munhoz & Mariano cantaram dois dos seus maiores sucessos com o coral “Papo Furado” e emocionaram a todos.

Lançamento
Neste dia 19 de setembro, comissão organizadora, parceiros, doadores, entidades assistenciais, autoridades locais, imprensa e convidados se reuniram no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, em Barretos, para o lançamento do 1º “Rodeio pela Vida”.

Durante a solenidade, os participantes puderam entender mais detalhes desta grande festa em favor da vida e conhecer as atrações, montarias e provas envolvendo competidores renomados do universo do rodeio. O presidente do HA, Henrique Prata, destacou a importância do apoio da sociedade para a realização desse evento. “Decidimos fazer uma festa com preços acessíveis para que muita gente consiga participar. Aguardamos cinco mil pessoas nos dias de semana e dez mil no final de semana, para conseguir arrecadar recursos. Esperamos plantar essa semente para que, no próximo ano, mais patrocinadores acreditem e abracem a nossa causa. Esperamos que a nossa cidade acolha esse projeto, pois ele foi pensado com muito carinho”, afirmou.

A dupla parceira do hospital e também uma das escolhidas para se apresentar no rodeio, Munhoz & Mariano, prestigiou o evento. Padrinho do coral “Papo Furado”, projeto do HA que reúne pacientes laringectomizados, o cantor Mariano contou sobre seu envolvimento com a instituição e sua gratidão, por ter tido sua mãe curada de um câncer na garganta. “Para nós é mais do que um privilégio estar aqui hoje, pois somos colaboradores do Hospital há bastante tempo. No final do ano passado, eu estive aqui no HA com a minha mãe, quando ela iniciou seu tratamento, e realmente eu pude viver o Hospital de Amor, ficando completamente apaixonado e encantando com o que eu vi. Durante os seis meses que eu fiquei ali, eu pude sentir, a cada dia, um pouco do amor que existe em todas as pessoas que atuam nessa instituição. Hoje, graças a Deus minha mãe está curada e, apesar dela já ter saído do hospital, eu não consigo sair nunca mais! Eu tenho certeza de que o Rodeio pela Vida será muito melhor que muitos outros que existem pelo Brasil e tem de tudo para ser um marco e entrar no calendário anual de festas de Barretos e do país. Só temos que agradecer à equipe, aos colaboradores e a todos que irão contribuir com essa causa”, declarou Mariano.

Para fechar com chave de ouro, a dupla cantou dois dos seus maiores sucessos (“Camaro Amarelo” e “A Bela e a Fera”) com o coral e emocionou todas as pessoas que ali estavam. No final, um delicioso almoço com algumas das delícias do Festival de Arroz foi servido – um convite mais do que especial para a grande festa!

Ingressos
Os ingressos já estão à venda nos seguintes locais: Casa das Fraldas (Bom Jesus), Proservice Auto Posto e Conveniência (Jockey), Lela’s Mania Auto Posto e Conveniência, Bar e Lanchonete do Raimundinho (Baroni), Cantina da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB), Cadam (av. 43), Golf Class (North Shopping Barretos), Bão Barretos – Western e Fazendinha Agropecuária e Pet Shop (av. 43).

Em Colina (SP), os pontos de venda são: Paro Verde – Viveiro de Mudas e Misturinha Fina.

Mais informações no departamento de captação de recursos do Hospital de Amor, através do telefone, (17) 3321-6607. Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 17:00.

No dia 19/10 (sábado), a dupla sertaneja Munhoz & Mariano e o cantor Juliano Cézar finalizam as atrações musicais do 1º Rodeio pela Vida, abrilhantando ainda mais essa ação solidária.
Para oficializar o ato, Henrique Prata e Pereira Calças assinaram o Termo de Doação em uma cerimônia realizada no auditório do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular do hospital.

No dia 30 de agosto, o presidente do Hospital de Amor (HA), Henrique Prata, junto dos diretores, médicos e colaboradores da instituição, recebeu um importante visitante: o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças. O motivo do encontro foi ainda mais especial: a entrega da doação de cinco motorhomes (veículos equipados com espaço de convivência e a estrutura encontrada em uma residência, conhecido como ‘casa sobre rodas’) à instituição.

A doação – permitida exclusivamente para fins e uso de interesse social, após avaliação de sua oportunidade e conveniência socioeconômica – só foi possível porque, graças ao avanço dos processos digitais, não há mais a necessidade de o Judiciário ter unidades itinerantes. Depois de os veículos passarem por dois leilões sem êxito de venda, a Presidência do TJSP optou pela doação ao HA. Os micro-ônibus serão utilizados pelo centro oncológico na realização de exames e transporte de equipe multidisciplinar e de passageiros.

Os micro-ônibus serão utilizados pelo HA na realização de exames e transporte de equipe multidisciplinar e de passageiros.

Para oficializar o ato, Henrique Prata e Pereira Calças assinaram o Termo de Doação, em uma cerimônia realizada no auditório do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do hospital. Também participaram a esposa do desembargador, Maria Amélia Junqueira de Andrade Pereira Calças; o coordenador da 14ª Circunscrição Judiciária – Barretos, desembargador Fábio de Oliveira Quadros; os magistrados de Barretos Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez (1ª Vara Criminal e diretora do fórum), Luciano de Oliveira Silva (2ª Vara Criminal e coordenador da Associação Paulista de Magistrados na comarca, representando o presidente da Apamagis) e Hélio Alberto de Oliveira Serra e Navarro (auxiliar); os juízes Hermano Flávio Montanini de Castro (Vara do Juizado Especial Cível e Criminal de Bebedouro) e Hélio Rubens Pereira Navarro (aposentado e integrante do Conselho Curador do Hospital de Amor); os promotores de Justiça da Comarca de Barretos Renato Gonçalves Azevedo (representando o procurador-geral de Justiça) e Walter de Souza Vicentini Vilela; e o delegado seccional de Polícia de Barretos, José Luiz Ramos Cavalcanti.

Após a solenidade, o desembargador conheceu as instalações do Hospital de Amor Infantojuvenil, Lar de Amor, Fábrica de Unidades Móveis, Instituto de Prevenção e Instituto de Ensino e Pesquisa da instituição. “Essa obra tem que ser mostrada para o Brasil e para o mundo. Vocês são do amor e trabalham no Hospital de Amor. Tive aqui uma visão importante da oncologia humanista, tive uma aula com os médicos que me receberam. Fico muito feliz que os veículos possam servir a essa instituição de saúde. Esses veículos são do contribuinte e o que o hospital faz pelo contribuinte paulista, não tem preço. Não é o Tribunal de Justiça que está doando e sim o povo paulista, que está devolvendo um pouco do que recebe”, afirmou Pereira Calças.

Para Henrique Prata, o momento foi de emoção. “Nossos ônibus estão sucateados porque damos prioridade à compra de remédios. Temos muito orgulho em receber essa doação do Poder Judiciário e sua presença é motivo de reconhecimento ao trabalho que fazemos com a medicina pública, que é superior à privada. Em câncer, se não restabelecermos a autoestima do paciente, o remédio não faz efeito. Aqui, todas as pessoas são tratadas de forma igual e com o mesmo amor”, finalizou o presidente.

O presidente do TJSP, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, visitou a unidade infantojuvenil do HA ao lado do diretor médico, Dr. Luiz Fernando Lopes, do presidente da instituição, Henrique Prata, sua esposa Maria Amélia Junqueira de Andrade Pereira Calças, do integrante do Conselho Curador do HA, Hélio Rubens Pereira Navarro, da oncologista e coordenadora do Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico, Dra. Neysimélia Villela e da magistrada de Barretos e diretora do fórum, Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez.
José Rubens de Carvalho, o ‘Rubikinho’, é coordenador do projeto.

Com um déficit mensal de mais de R$ 24 milhões e dependendo dos mais diversos tipos de doações para manter suas portas abertas e oferecer um tratamento de excelência a seus pacientes, o Hospital de Amor (HA) também conta com um projeto de arrecadação de recursos voltado ao agronegócio. ‘O Agro Contra o Câncer’ busca atingir todos os setores do segmento no país, tanto na área de produção de matéria-prima, quanto na agroindústria, para combater uma doença que só no Brasil afeta mais de meio milhão de pessoas todos os anos.

A iniciativa surgiu após uma conversa dos empresários barretenses, Geovane Barroti e José Rubens de Carvalho (conhecido como ‘Rubikinho’ e coordenador do projeto), na tentativa de encontrar outras formas de arrecadação para o Hospital diferente das já existentes. A primeira ação foi solicitar aos produtores de laranja a doação de alguns caminhões, tendo uma ótima adesão por parte deles. “Foi a partir daí que nasceu ‘O Agro Contra o Câncer’, inicialmente voltado para a soja, cana, café e boi, e agora abrangendo todo o meio rural”, afirmou o coordenador.

Além dos frigoríficos, 4 usinas, 1 cooperativa de café e 1 armazém de recebimento e comercialização de soja estão envolvidos no projeto.

O público-alvo são os produtores rurais, as indústrias processadoras de matéria-prima e as de insumos em geral. A parceria começou com o Frigorífico Minerva, em novembro de 2017, mas, desde janeiro de 2018, várias outras empresas do setor, como por exemplo, Estrela, Marfrig e JBS, já estão engajadas. Além dos frigoríficos, quatro usinas, uma cooperativa de café e um armazém de recebimento e comercialização de soja estão envolvidos no projeto. “Tudo o que estiver relacionado ao agro está na nossa mira! As doações pedidas são muito razoáveis, mas, com o volume de adesões, tornam-se valores expressivos. Estamos solicitando sempre um percentual da produção no momento da comercialização dos produtos”, explicou Rubikinho.

Apesar do setor ainda ser pouco explorado pela instituição, o coordenador (também produtor rural na cidade de Barretos/SP e Miranorte/SP) está otimista quanto aos resultados que o Hospital de Amor receberá com a nova forma de arrecadação. “Queremos alcançar todos os estados do país. Não estamos pedindo uma doação única, mas sim parceiros fiéis, que vão nos doar todas as vezes em que comercializarem seus produtos. Desta forma, esperamos sanar uma boa parte do déficit mensal que a instituição possui”, finalizou.

Se você deseja contribuir com o projeto e receber mais informações, basta ligar para: (17) 3321-6600, ramal 6624, ou enviar um e-mail para: rubikinho@hcancerbarretos.com.br.

Você também pode salvar vidas
Confira as várias formas de ajudar o Hospital de Amor em: hospitaldeamor.com.br/ajude.

‘O Agro Contra o Câncer’ busca atingir todos os setores do segmento no país, tanto na área de produção de matéria-prima, quanto na agroindústria, para combater uma doença que só no Brasil afeta mais de meio milhão de pessoas todos os anos.

 

O espetacular “Gala de Amor” aconteceu no último dia 29 de maio, na Casa Fasano, em São Paulo (SP). Um jantar beneficente organizado para refletir, celebrar e apoiar o trabalho do Hospital de Amor. Foto: Talita Tavares.
O Gala de Amor foi promovido pelo casal de empresários Tom e Ana Paneguini. Foto: Talita Tavares.

No último dia 29 de maio foi realizado, na Casa Fasano, em São Paulo (SP), o espetacular “Gala e Amor”. Um jantar beneficente organizado para refletir, celebrar e apoiar o trabalho do Hospital de Amor. Promovido pelo casal de empresários Tom e Ana Paneguini e dirigido por Stella Matos, da empresa ‘1 Coisa & Outra Produções’, o evento contou com mais de 500 convidados de gala, além da presença de artistas ilustres que apoiam a causa, como Xuxa Meneghel, Ivete Sangalo, Ana Paula Padrão, Érick Jacquin, Paola Carosella, Sidney Oliveira, Raul Gil, Sílvia Poppovic, Denilson, Renata Fan, Dom Odilo Scherer, entre outras personalidades, arrecadando mais de R$ 2 milhões para o Hospital.

Durante o coquetel, 5 personagens simbolizando os ‘sentimentos’ e inspirados na delicadeza e profundidade do atendimento realizado no HA, circulavam entre os convidados, dando as boas-vindas ao evento. “Coração de Ouro”, “Senhorita Esperança”, Alegria do Dia”, “Felicidade Sonhadora”, “Carinho Doce” e “Nuvem Passageira” usavam figurinos e maquiagens produzidos especialmente para o evento, para despertar a emoção das pessoas.

O ambiente também foi cuidadosamente decorado, tendo como inspiração o vídeo “O amor é maior que o medo”, que conta a história da Nina, uma pequena valente que enfrentou corajosamente o câncer com o apoio de sua família, amigos e toda a equipe do HA.

Marisa Orth e Daniel Boaventura subiram ao palco para comandar a noite. Foto: Talita Tavares.

Para abrilhantar ainda mais a festa, a atriz Marisa Orth e o ator Daniel Boaventura subiram ao palco para comandar a noite. Após citarem a emoção do evento e a seriedade e profundidade da causa, chamaram alguns convidados mais do que especiais. Entre eles, Marcelo Marcon, que enfrentou uma batalha contra um câncer de pulmão, foi curado e hoje atua na instituição como o “Palhaço Mingal”, levando alegria para os pacientes da unidade infantojuvenil. Após contar sua história de superação, foi sucedido no palco pela jornalista e apresentadora, Ana Paula Padrão, que explicou a importância das doações para que o hospital possa, não apenas cumprir suas funções, mas também superar as metas de atendimento e serviço. Ela também destacou os benefícios fiscais que as contribuições de pessoas físicas e jurídicas podem trazer.

E as surpresas não pararam por aí! Todos os garçons e garçonetes estavam vestidos como médicos, de jalecos com o nome Hospital de Amor, estetoscópio e com seus verdadeiros nomes trocados por novas identidades: “Dra. Compreensão”, “Dr. Bem-Querer”, “Dra. Solidariedade”, “Dr. Sorriso”, “Dra. Esperança” e muitos outros. Em um certo momento, lindas modelos invadiram o salão e iniciaram um desfile de vestidos assinados por outra grande apoiadora do HA, a estilista Martha Madeiros.

O presidente do HA, Henrique Prata, presentou a cantora Ivete Sangalo durante show, no Gala de Amor. Foto: Talita Tavares.

Além dos organizadores, outros grandes parceiros contribuíram e fizeram da noite do Gala de Amor um encontro simplesmente único São eles: Ultrafarma, Hiper Saúde, Ideamaker, Safe Ink, Diageo, Moet&Chandon, Rede Bandeirantes, Rede TV, Adega Alentejana, Wine Collection, EMS, Marfrig, Embramaco, Martha Medeiros, Louis Vuitton, Shopping Cidade Jardim, Dolce & Gabbana, Maison Alexandrine, Ana Abelha Doces, D. Filipa, Grupo Formigres, Banco Maxima, Barbero Advogados e Horaios.

De acordo com o diretor de responsabilidade social do Hospital de Amor, Henrique Moraes Prata, que também esteve presente no jantar, a realização do evento tem uma grande importância para a entidade. “Sempre quisemos realizar um jantar de gala para falar sobre o trabalho do hospital a um público de São Paulo e de outras capitais que não conhecem Barretos. O evento de maio foi muito mais do que algum dia sonhamos, foi perfeito e inesquecível para todos que lá estiveram. Com certeza, os voluntários que trabalharam na organização ajudaram a mudar, para sempre, a percepção que o público da capital tem de nossa obra e também nossa esperança em realizar novos eventos como este para grandes captações. No que diz respeito ao meu trabalho, ouvir a Ana Paula Padrão falando com tanta autoridade a todos os convidados sobre a importância de doarem imposto de renda, dá novo ânimo para seguirmos com esta pauta, que é nossa e do terceiro setor como um todo”, concluiu.

Personagens simbolizando os ‘sentimentos’ e inspirados na delicadeza e profundidade do atendimento realizado no HA, circulavam entre os convidados, dando as boas-vindas ao evento. “Coração de Ouro”, “Senhorita Esperança”, Alegria do Dia”, “Felicidade Sonhadora”, “Carinho Doce” e “Nuvem Passageira” usavam figurinos e maquiagens produzidos especialmente para o evento, para despertar a emoção das pessoas. Foto: Talita Tavares.

 

A campanha nacional de captação de recursos do Hospital de Amor foi carinhosamente nominada de “Caminhos de Amor”.

No mês de dezembro, o Hospital de Amor – maior centro de tratamento oncológico gratuito da América Latina – lançou na última terça-feira, 27 de novembro, a campanha nacional de captação de recursos, carinhosamente nominada de “Caminhos de Amor”. Criada pela agência WMcCANN, a campanha tem uma razão de ser, afinal, existem muitos caminhos para doar amor aos milhares de pacientes que lutam contra o câncer na instituição.

Com o objetivo de motivar e conscientizar a população brasileira sobre a importância das doações para o funcionamento e manutenção dos 11 hospitais fixos de prevenção, cinco unidades de tratamento e mais 18 unidades móveis, o HA apresenta diferentes formas de doação, com destaque para os números de telefone (0500), disponibilizados pela Anatel, e também para as renúncias fiscais no imposto de renda (de pessoas físicas e jurídicas).

A escolha da data para o início da campanha tem um motivo especial: 27/11 é marcado pelo “Dia Mundial de Doar” e pelo “Dia Nacional de Combate ao Câncer”. De acordo com informações da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), o caminho para um Brasil melhor passa por uma sociedade civil mais forte e esse fortalecimento depende da existência de organizações e de projetos financeiramente sustentáveis.

O Hospital de Amor estenderá a ação às suas redes sociais e canais oficiais até o dia 30 de dezembro. “As doações são fundamentais para mantermos os nossos programas com excelência e continuar beneficiando milhares de pessoas”, afirmou o diretor de responsabilidade social do HA, Henrique Moraes Prata. Parte das despesas da instituição, incluindo cirurgias e salários dos profissionais, é bancada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Sendo assim, os eventos e doações (de empresas e pessoas) realizados solidariamente são essenciais para completar a renda. Em 2017, o Hospital encerrou o ano com um déficit operacional de R$ 292,7 milhões.

Caminhos de Amor
O amor sempre encontra um caminho para chegar ao seu objetivo. É por isso que o Hospital de Amor oferece os mais diferentes caminhos para que esse amor chegue até as pessoas que mais precisam dele. Na campanha “Caminhos de Amor” não existe um valor mínimo e nem máximo para a doação. Conheça as várias formas para ajudar o HA a continuar salvando vidas através de: ligação telefônica, depósito bancário, boleto bancário, cartão de crédito e imposto de renda.

– Ligação telefônica (0500)
0500 504 1210 – para doar R$ 10,00
0500 504 1220 – para doar R$ 20,00
0500 504 1250 – para doar R$ 50,00

* R$ 0,39 – impostos por ligações de telefone fixo.
* R$ 0,71 – impostos por ligações de celular.
Essas doações não são dedutíveis do imposto de renda. As ligações não podem ser feitas de telefones pré-pagos (de crédito) e comerciais. Os números de 0500 funcionam de 01/12 a 30/12. Após esta data, deve-se entrar em contato no (17) 3321-6607.

– Site
Na página do Hospital de Amor (hospitaldeamor.com.br) as contribuições podem ser feitas por depósito bancário, boleto ou utilizando o cartão de crédito.

– Incentivo fiscal
Através de renúncias fiscais, pessoas físicas e jurídicas podem destinar percentuais do imposto de renda para projetos de saúde, idosos e crianças. Acesse bit.do/incentivosfiscais e doe.

Sobre o #DiaDeDoar
A campanha anual que busca chamar a atenção para a importância da doação e da captação de recursos, foi inspirada numa iniciativa que surgiu nos Estados Unidos em 2012 com o nome de #GivingTuesday (em tradução livre: Terça-feira de Doar), na tentativa de ser um contraponto solidário à data comercial do ‘Black Friday’. No Brasil, o movimento ficou conhecido como #DiaDeDoar. A ação também aconteceu em mais de 50 outros países, na terça-feira, 27 de novembro.

O alcance da campanha no país tem sido cada vez maior, com cada vez mais pessoas e entidades participando ativamente. Segundo dados da ABCR, em 2017, foram mais de 16 milhões de engajamentos nas redes sociais e, pelo menos, R$ 700 mil doados a diversas causas no Brasil inteiro.

O Hospital de Amor registra cerca de 880 mil atendimentos por ano, 100% gratuitos. Por dia, são realizados mais de 6.000 atendimentos em suas unidades.

Sobre o Hospital de Amor
O Hospital de Amor registra cerca de 880 mil atendimentos por ano, 100% gratuitos. Por dia, são realizados mais de 6.000 atendimentos em suas unidades. A entidade trabalha com um déficit operacional mensal acima de R$ 20 milhões. Em 2017, a instituição atendeu 171.454 pacientes procedentes de 2.107 municípios de todos os estados do país – um recorde de cobertura. Foram realizadas 23.048 internações, 93.254 quimioterapias e 7 mil refeições são servidas diariamente. O HA reúne 380 médicos e mais e mais de 3.500 funcionários.

Uma única bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas. Os tipos sanguíneos mais utilizados sãos: O+, O- e A-.

Doar sangue é sinônimo de generosidade, de humanização e de amor ao próximo. É um ato de solidariedade simples, mas que pode salvar a vida de milhares de pessoas. No dia 25 de novembro, data em que é celebrado o ‘Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue’, o Hospital de Amor homenageia todas as pessoas que reservam um tempo de suas rotinas para doar sangue, e conscientiza a população sobre a importância dessa atitude.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3 a 5% do total da população. Entretanto, dados do Ministério da Saúde apontam que, no Brasil, este índice está bem abaixo do aconselhável, não chegando a 2%. Atualmente são doadas cerca de 3,6 milhões de bolsas de sangue por ano, segundo informações da Fundação Pró-Sangue (instituição pública ligada à Secretaria de Estado da Saúde e ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

De acordo com a coordenadora de captação de doadores do Hemonúcleo do Hospital de Amor, Ana Paula Borges, a instituição atende muitos pacientes que necessitam de transfusão de sangue diariamente, o que resulta em um árduo trabalho de captação de doadores para que os estoques se mantenham sempre alinhados às necessidades. “O nosso maior desejo é garantir estoques de sangue satisfatórios no nosso Hemonúcleo”, afirmou.

Para falar sobre o assunto e esclarecer as principais dúvidas sobre a doação de sangue, o Hospital de Amor entrevistou a coordenadora. Confira:

1) Atualmente, qual é a necessidade de sangue do Hospital de Amor?
R.: O Hospital de Amor necessita, em média, de 35 a 40 doadores por dia. Infelizmente, essa ainda não é a nossa realidade.

2) Uma bolsa de sangue pode salvar a vida de quantas pessoas?
R.: Uma doação pode salvar até quatro vidas! Com uma bolsa de sangue, é possível obter:
– Concentrado de Hemácias (glóbulos vermelhos do sangue): é indicado no tratamento de anemias crônicas, hemorragias e complicações cirúrgicas.
– Plasma fresco congelado: indicado para pacientes com deficiência de fatores de coagulação ou para produção de derivados plasma.
– Concentrado de plaquetas: indicado para hemorragias graves com deficiência plaquetária, tratamento de leucemias e deficiência medular.
– Crioprecipitado: utilizado em tratamentos de hemofilia.

3) O Hemonúcleo do Hospital de Amor atende quantas outras instituições? Quantas e quais outras cidades da região?
R.: O Hemonúcleo atende todo o Hospital de Amor Barretos e suas unidades localizadas na cidade, como o Hospital de Amor Infantojuvenil e Hospital de Amor Nossa Senhora. Além disso, fornece sangue para a Santa Casa de Misericórdia, Hospital São Jorge, em Barretos (SP), e os municípios de Guaíra (SP), Colina (SP), Jaborandi (SP) e Colômbia (SP).

4) Quais são os tipos de sangue mais utilizados?
R.: Os tipos sanguíneos mais utilizados sãos: O+, O- e A-. É importante lembrar que o sangue O- é considerado universal e doa para todos os tipos. Porém, as pessoas com sangue do tipo O – só podem receber doações de pessoas com o mesmo tipo de sangue.

5) Quem pode ser doador de sangue?
R.: Todas as pessoas com boas condições de saúde. Para doar é necessário:
– Pesar mais do que 50 kg;
– Ter dormido, no mínimo, 6 horas na noite que antecede a doação;
– Não estar resfriado ou gripado;
– Não estar em jejum, porém, evitar alimentos gordurosos e frituras antes da doação;
– Ter entre 16 e 69 anos. (Pessoas de 16 e 17 anos devem estar acompanhados pelos pais ou responsáveis legais). A primeira doação deverá ser realizada antes dos 61 anos.

6) Quais documentos são necessários para doar?
R.: É necessário estar com documento oficial com foto, podendo ser RG, Carteira de Habilitação ou Carteira de Trabalho.

7) Além do sangue, o que mais pode ser doado neste ato de solidariedade?
R.: Pode ser realizada a doação tradicional, aférese de hemácias, aférese de plaquetas e também o cadastro de medula óssea.

8) Quais são as principais restrições para ser um doador de sangue?
R.: Situações que impendem a pessoa de doar sangue:
– Gravidez
– Gripe ou febre;
– Se tiver feito manipulação dentária (até 72 horas antes);
– Se tiver feito tatuagem, piercing, endoscopia ou colonoscopia (tatuagem e/ou piercing realizados há menos de 6 meses. Caso o estúdio não seja inspecionado pela Vigilância Sanitária, é necessário esperar 1 ano para doar);
– Se tiver sido submetido à cirurgia (de 3 meses a 1 ano);
– Se tiver sofrido aborto (até 3 meses antes);
– Se tiver recebido transfusão de sangue (até 1 ano antes);
– Se tiver tido hepatite após os 10 anos de idade.

9) De quanto em quanto tempo pode-se doar sangue?
R.: Doadores de sangue (tradicionais) – Homens podem doar de 2 em 2 meses, não ultrapassando 4 vezes ao ano. Mulheres podem doar de 3 em 3 meses, não ultrapassando 3 vezes ao ano;
Doadores de aférese de hemácias – Homens podem doar de 4 em 4 meses. Mulheres de 6 em 6 meses.
Doadores de plaquetas – Homens e Mulheres podem doar até 24 vezes no ano, pois ela se reconstitui no organismo em 3 dias.

Mitos x Verdades
– A doação é restrita a pessoas sem piercing e tatuagem?
Mito. A doação só é restrita para quem possui tatuagem realizada a menos de 6 meses. Caso o estúdio não seja inspecionado pela Vigilância Sanitária, é necessário esperar 1 ano para doar (tanto para tatuagens, quanto para piercings).

– Gestantes e lactantes não podem doar?
Verdade. Gestantes não podem doar. Já as lactantes devem esperar 12 meses da data do parto.

– Descanso e alimentação influenciam na doação?
Verdade. É preciso estar descansado, dormir no mínimo 6 horas na noite que antecede a doação e estar bem alimentado, evitando comidas gordurosas e frituras.

– Doadores estão suscetíveis a doenças transmissíveis via sangue?
Mito. O kit utilizado é individual e descartável, sendo assim, o risco de contaminação é de 0%.

– Após a doação, vou ficar sem sangue?
Mito. O sangue doado é rapidamente reposto no organismo com a ingestão de líquidos.

– Doar sangue engrossa o sangue, afina, engorda, emagrece ou vicia?
Mito. Ao contrário de todas essas especulações, ao doar sangue, o indivíduo estará renovando as suas células e em dia com a saúde.

Para mais informações, entre em contato com o Hemonúcleo do Hospital de Amor pelo telefone (17) 3321-6600, ramal 6941. O departamento atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h, e sábados e domingos, das 7h às 11h.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3 a 5% do total da população. Entretanto, dados do Ministério da Saúde apontam que, no Brasil, este índice está bem abaixo do aconselhável, não chegando a 2%.

 

O “Encontro Nacional de Coordenadores” reuniu mais de 1.100 pessoas que desempenham um trabalho árduo em seus municípios, de maneira gratuita, por uma única causa: ajudar o HA a salvar vidas!

Já é tradição e faz parte do calendário do Hospital de Amor a realização do “Encontro Nacional de Coordenadores”. A 21ª edição do evento, que aconteceu dia 27 de outubro, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, em Barretos (SP), reuniu mais de 1.100 pessoas que desempenham um trabalho árduo em seus municípios, de maneira gratuita, por uma única causa: ajudar o HA a salvar vidas!
Esse é um dos momentos mais esperados pelos “coordenadores voluntários de eventos”. Neste encontro, que visa integrar os voluntários de todo o Brasil que realizam ações em prol da entidade, eles têm a oportunidade de comemorar as conquistas alcançadas ao longo do ano, além de compartilhar metas e desafios para 2019.

O evento contou com palestras ministradas pelo presidente da instituição, Henrique Prata, e pelo gerente de captação de recursos, Luiz Antônio Zardini. Os dois ressaltaram a importância do trabalho desenvolvido pelos coordenadores, na tentativa de diminuir o alto déficit mensal do hospital e melhorar, ainda mais, os atendimentos de excelência oferecidos aos pacientes. Os participantes também ganharam espaço para expor suas dúvidas e ideias, além de partilhar as dificuldades e alegrias.

De acordo com o gerente de captação de recursos, o Encontro Nacional de Coordenadores é uma forma de agradecer todas essas pessoas que atuam unicamente por amor ao próximo. “Eles são responsáveis por 2/3 de todas as receitas do Hospital. É um trabalho fundamental e muito amoroso. É gratificante ver a cumplicidade deles com a instituição e, sem dúvidas, é isso que mantém as portas abertas, oferecendo assistência e tratamento de qualidade”, afirmou Zardini.

Nilar Martins é coordenadora voluntária de Araguaína (TO).

Exemplos de solidariedade
Há 28 anos, a tocantinense Nilar Martins perdeu o pai por conta de um câncer. Sem conhecer o HA e impossibilitada de oferecer a ele um tratamento digno e de qualidade, ela decidiu abraçar a causa e ajudar outras pessoas. Há 3 anos, tornou-se coordenadora voluntária de Araguaína (TO) e passou a desenvolver um trabalho maravilhoso em prol da instituição. Nem os milhares de quilômetros de distância a impediram de participar do encontro.

“O primeiro motivo para me tornar coordenadora voluntária foi a oportunidade de ajudar pessoas. O segundo foi o fato de eu ter perdido meu pai por conta dessa doença que ainda mata tanta gente. E o terceiro é porque se trata de uma obra abençoada, que nos gratifica muito, enriquece a alma e transmite paz. É muito importante participar desse evento, afinal, como eu vou transmitir essa mensagem à população do meu estado, sem conhecer o trabalho desenvolvido pelo Hospital, me reciclar e acompanhar as novidades? Esses 1.700 km não são nada perto do conhecimento que eu estou levando para o meu Tocantins. É muito especial ser voluntária!”, declarou.

Otávio Fernandes é coordenador voluntário de Onda Verde (SP).

Otávio Fernandes também conheceu o Hospital de Amor por conta do pai. Após acompanhar seu tratamento e cura do câncer de próstata, ele sentiu que devia fazer algo para retribuir. “Eu pensei: o que eu posso fazer para agradecer esse hospital pelo atendimento oferecido ao meu pai. Hoje, já são 8 anos nessa estrada, trabalhando voluntariamente por amor. E eu não me canso! Comecei sozinho e agora conto com uma equipe de mais de 100 pessoas. É uma honra muito grande poder trabalhar em favor desse lugar abençoado”, finalizou o coordenador voluntário de eventos de Onda Verde (SP).

Os interessados em se tornar ‘coordenadores voluntários de eventos’ do Hospital de Amor podem encaminhar um e-mail para zardini@hcancerbarretos.com.br ou através do telefone (17) 3321-6607.

 

Primeira turma de voluntários da instituição durante palestras. Neste primeiro momento, o projeto piloto será realizado para atender as demandas da unidade infantojuvenil do HA.
As oficinas de Reiki são uma das atividades desenvolvidas no Programa de Voluntariado.

O voluntário é aquele indivíduo que, de forma livre, desinteressada e responsável, se compromete, de acordo com as suas aptidões e dentro do seu tempo livre, a realizar ações de voluntariado. Segundo a lei que regula a atividade, o trabalho voluntário deve beneficiar uma pessoa/organização/comunidade, assumindo uma postura proativa, comprometendo-se com o exercício da atividade a realizar e atuar em conformidade com a cultura e objetivos da organização beneficiária.

Sabendo que essa é uma prática comum em diversas instituições e, em sua maioria, bem-sucedida, o Hospital de Amor (HA) passou a contar com o apoio de uma iniciativa que irá contribuir com a organização de novas ações voluntárias direcionadas para as suas unidades. O “Programa de Voluntariado”, que é ligado ao novo departamento de Projetos Sociais do hospital, irá oferecer suporte em diversas áreas, que vão desde serviços administrativos, eventuais, até assistência e acompanhamento de pacientes.

De acordo com a assistente de projetos do novo setor, Ana Carolina Abdo, a implantação do projeto aconteceu por conta da percepção do crescimento de uma cultura de cidadania e solidariedade, onde as pessoas passaram a buscar espaços onde podem desenvolver um trabalho que vai além dos interesses próprios e que seja, também, enriquecedor de maneira cultural, espiritual e afetiva. “A procura da população para realizar um trabalho no Hospital Infantojuvenil, por exemplo, é muito grande e, apesar de sabermos que muitas coisas podem ser feitas, é necessário organização e planejamento. Para o voluntário desenvolver um bom trabalho, ele precisa ser orientado, treinado e amparado, e a instituição deve contar com uma equipe que ofereça esse suporte”, afirmou.

Com a mediação entre essas duas demandas e seguindo o mesmo contexto de humanização – uma das grandes características do Hospital de Amor – o Programa de Voluntariado conta com iniciativas voltadas especialmente aos pacientes, e não apenas à doença e/ou tratamento. “É um olhar para a família, para a manutenção do desenvolvimento social, econômico e cultural do paciente. Nosso objetivo é pensar em maneiras de como esses voluntários podem se inserir na entidade e quais ferramentas são necessárias para que isso ocorra. É claro, sempre sob comando de uma consultora que nos contextualizará sobre os melhores programas já existentes e nos orientará, de acordo com a nossa realidade, sobre a melhor maneira de desenvolvermos as ações”, contou Ana.

Projeto Piloto
No dia 25 de setembro, a primeira turma esteve na instituição e participou de palestras. Neste primeiro momento, o projeto piloto será realizado para atender as demandas da unidade infantojuvenil do HA. Os voluntários, que ocuparão as 20 vagas disponíveis, desenvolverão diversas atividades administrativas e sociais junto aos pacientes em tratamento e seus familiares.

Voluntários durante visita à unidade infantojuvenil do Hospital de Amor.

“A ideia do projeto piloto é perceber as principais necessidades do Hospital Infantojuvenil e conhecer o perfil do nosso voluntário, para saber onde ele se encaixa melhor. Desta forma, considerando esse ponto de partida, poderemos estudar novas possibilidades diante de tantos desafios no que diz respeito ao Hospital, alojamentos e casas de apoio, que é para onde pretendemos ampliar o nosso atendimento”, finalizou Ana Carolina.

Distribuição das atividades iniciais
Categoria: Apoio à administração e comunicação.
Vagas: Acolhimento de paciente; Ajudar a fazer sobremesas; Planilha de dados.

Categoria: Apoio ao paciente e família.
Vagas: Contador de história; Oficina de artesanato; Atividade de relaxamento; Auxiliar na brinquedoteca; Auxiliar na recepção; oficinas de Reiki; Apoio à família no pré e pós-óbito.

Categoria: Apoio à captação e desenvolvimento institucional.
Vagas: Suporte na organização e calendário de festividades.

Categoria: Apoio na gestão de voluntariado.
Vagas: Suporte nas organizações das atividades voluntárias.

Como fazer parte dessa corrente de amor?
As pessoas interessadas em se inscrever para o programa de voluntariado do Hospital de Amor podem entrar em contato através do e-mail ‘projetossociais@hcancerbarretos.com.br’, ou pelo telefone (17) 98210-0502. Depois desse passo, é agendada uma visita na unidade infantojuvenil e uma palestra, abordando as possibilidades de trabalho a ser desenvolvido. É válido reforçar que, neste primeiro momento, o programa está limitado à unidade infantojuvenil do HA, em Barretos (SP).


Publicado em 25 de set de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Captação de Recursos, Pacientes e Familiares
Para o gerente de captação de recursos, o encontro é uma forma de agradecer todas essas pessoas que atuam unicamente por amor ao próximo.

Como diz o ditado popular: ‘depois da tempestade, vem a bonança’, e o propósito do ”Encontro Nacional de Coordenadores” do Hospital de Amor não é diferente! Depois de vestirem a camisa da solidariedade, abraçarem com muito amor e dedicação a causa, e desempenharem um trabalho árduo em seus municípios, de maneira gratuita e durante todo o ano, os coordenadores voluntários de eventos (leilão, quermesses, festas, almoços, ação entre amigos, etc.) se unem, em Barretos (SP), para comemorar.

Neste ano, o evento – que já é tradição e faz parte do calendário de ações do HA – aconteceu no dia 26 de outubro, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, e reuniu mais de 1.000 pessoas. Com o objetivo de integrar os voluntários de todo o Brasil, eles tiveram a oportunidade de celebrar as conquistas alcançadas ao longo do ano, além de compartilhar as metas e desafios para 2020.

Emerson Rodrigues é coordenador voluntário de Bela Vista (MS).

O encontro contou com palestras ministradas pelo presidente da instituição, Henrique Prata, e pelo gerente de captação de recursos, Luiz Antônio Zardini. Os dois ressaltaram a importância do trabalho desenvolvido pelos coordenadores, na tentativa de diminuir o alto déficit mensal do hospital e melhorar, ainda mais, os atendimentos de excelência oferecidos aos pacientes. “De coração, eu agradeço a todos pela presença em mais esse encontro. Eu acho muito importante prestar contas pra vocês, dos nossos planos, dos nossos sonhos e projetos. Os tamanhos dos desafios que nos surgem são muito grandes e eu fico muito feliz de saber que eu consigo contar com cada um de vocês. Eu me apoio na fé para gerir essa obra e eu sei que vocês também são movidos por esse sentimento. Nossa instituição está vivendo uma experiência de crescimento que eu mesmo me impressiono com o que tem acontecido. Por isso, eu conto com vocês pra cada vez mais tragam mais pessoas para abraçar essa causa das mais diversas formas”, declarou o Henrique Prata.

Para o gerente de captação de recursos, o encontro é uma forma de agradecer todas essas pessoas que atuam unicamente por amor ao próximo. “Eles são responsáveis por uma importante parte das receitas do Hospital. É um trabalho fundamental e muito amoroso. É gratificante ver a cumplicidade deles com a instituição e, sem dúvidas, é isso que mantém as portas abertas, oferecendo assistência e tratamento de qualidade”, afirmou Zardini.

Além disso, o radio-oncologista e coordenador do projeto de reabilitação Bella Vita, Dr. Daniel Marconi; e a coordenadora do Centro de Transplante de Medula Óssea, Dra. Neysimelia Costa Villela, carinhosamente conhecida como Dra. Neysi, apresentaram seus departamentos e as novidades em tecnologia e tratamento que eles proporcionam aos pacientes do hospital.

Rita Lilian é coordenadora do município de Goiandira (GO).

Trabalho Voluntário
O coordenador voluntário Emerson Rodrigues, o Buiu, veio de Bela Vista (MS), na divisa com o Paraguai, andando mais de 1.000 KM e compareceu ao evento. Há 3 anos comandando o leilão de seu município, ele se sente completamente motivado a continuar esse trabalho de solidariedade. “É muito gratificante poder ajudar aquelas pessoas que precisam de um atendimento especializado. Quando surgiu a oportunidade de ocupar esse cargo, eu abracei de corpo, alma, mente e coração e, desde então, eu tenho feito esse trabalho. Faça tudo isso com muito amor! Estar aqui, trocando experiências com os meus colegas coordenadores de todo o país e buscando conhecimento junto a equipe do HA é maravilhoso”, contou.

A coordenadora do município de Goiandira (GO), Rita Lilian, esteve pela primeira vez no encontro e ficou encantada com o evento. “Tive o prazer de realizar o primeiro leilão na minha cidade e o prazer maior de estar aqui, nesta festa linda dedicada aos coordenadores. Acredito que o motivo maior de ajudarmos essa instituição é confiar e respeitar o trabalho que é desenvolvido aqui. Só quem conhece, consegue sentir esse amor que é o Hospital de Amor. Vale muito a pena!”, finalizou Rita.

O evento, que já é tradição e faz parte do calendário de ações do HA, reuniu mais de 1.000 voluntários, com o objetivo refletir sobre o trabalho e comemorar os feitos de 2019.
A equipe de organização, composta pela comissão de voluntários Renato Junqueira (presidente do Rodeio pela Vida) e Luiz Cândido Junqueira (vice-presidente do Rodeio pela Vida), afirma que a ideia é fixar o “Rodeio pela Vida” no calendário da cidade.

O Hospital de Amor (HA) – referência em oncologia, que acolhe pacientes de todo o país – realiza, entre os dias 17 e 20 de outubro, a 1ª edição do “Rodeio pela Vida”, na cidade de Barretos (SP). O evento, que acontece no Recinto Paulo de Lima Corrêa, em prol do HA, Santa Casa de Misericórdia e entidades assistenciais do município, contará com atrações musicais, rodeio em touros e cavalos (sela americana, bareback e cutiano), provas de Team Penning e Três Tambores.

Renato Junqueira (presidente da comissão), ao lado de Osmar Marchi (responsável pelas montarias), durante o lançamento do Rodeio pela Vida.

A equipe de organização, coordenada pelo presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, e composta pela comissão de voluntários Renato Junqueira (presidente do Rodeio pela Vida) e Luiz Cândido Junqueira (vice-presidente do Rodeio pela Vida), afirma que a ideia é fixar o “Rodeio pela Vida” no calendário da cidade. “Nosso objetivo é fazer uma festa para toda população de Barretos e região”, afirmou o presidente da comissão. Neste ano, o mesmo formato também será realizado na cidade de Jaborandi (SP).

Atrações
No primeiro dia, 17/10 (quinta-feira), o evento será marcado com show da dupla Edson & Hudson e com o trio de DJs da Make U Sweat (MUS) – composto por Dudu Linhares, Guga Guizelini e Pedro Almeida. No dia 18/10 (sexta-feira), as apresentações ficam por conta das duplas Carreiro & Capataz e Jads & Jadson; e no dia 19/10 (sábado), a dupla sertaneja Munhoz & Mariano e o cantor Juliano Cézar finalizam as atrações musicais, abrilhantando ainda mais essa ação solidária.

Para encerrar a festa, no domingo (20/10), acontece o “Festival do Arroz”, organizado pelos “Amigos do Caçu”, que prometem agradar o público com diversos pratos deliciosos.

De acordo com a comissão organizadora do rodeio, os preços serão acessíveis ao público, para que toda a população de Barretos e região possa prestigiar o evento, aproveitando as atrações e contribuindo com a causa. No dia 17/10, a pista custará R$ 20,00 e a área VIP, R$ 80,00. No dia 18/10, a pista terá o valor de R$ 30,00 e a área VIP, R$ 100,00. No dia 19/10, a pista custará R$ 30,00 e a área VIP, R$ 120,00. Já no domingo, a entrada no Recinto será gratuita e o almoço custará R$ 20,00.

Orlando Oliveira Silva coordena o Festival de Arroz – Amigos do Caçu.

Festival de Arroz
Reunir os amigos, preparar uma boa comida e fazer o bem é o que une os vinte voluntários que promovem o “Festival do Arroz – Amigos do Caçu”. Liderado pelo aposentado Orlando Oliveira Silva, 62 anos, o festival irá encerrar as atrações do 1º ‘Rodeio pela Vida’.

A 1ª edição do festival ocorreu em 2018, em Caçu (GO), e foi um grande sucesso, o que estimulou os organizadores a seguirem com o projeto continuamente, em prol do Hospital de Amor e demais entidade da cidade goiana.

De acordo com Orlando, “ver o sucesso dos cofrinhos do Hospital de Amor e como esse trabalho é importante para a instituição, nos motivou a iniciar esse projeto. Temos o maior prazer de poder participar do rodeio, apenas pela satisfação de conseguir ajudar”, afirma o líder da iniciativa.

A tradicional culinária goiana é a principal referência durante o preparo dos pratos. A grande atração é o famoso arroz com pequi, fruto nativo do cerrado e muito consumido no estado de Goiás e no Norte de Minas Gerais. O fruto, que possui o tamanho aproximado de uma maçã pequena, tem um caroço revestido por uma polpa comestível macia e amarela, que libera seu peculiar sabor. O segredo da preparação é o cuidado necessário com a camada de espinhos extremamente finos que a fruta possui. De acordo com a Embrapa, o fruto é rico em vitaminas A e C, além de possuir propriedades antioxidantes e ácidos graxos, que contribuem com a redução dos níveis de colesterol LDL do sangue.

Outro prato que também promete agradar é o arroz com gariroba, palmeira nativa do cerrado, também conhecida como gueroba, gariroba, gairova e coqueiro-amargoso. O palmito extraído do alimento tem um sabor marcante, pois o seu amargor consegue trazer autenticidade e um sabor forte. O palmito é tão utilizado em Goiás que até existe uma lenda local sobre ele. Segunda a mesma, em tempos de lua cheia, o amargo da gariroba é menor. Já em períodos de lua nova, é maior.

Já os demais pratos do festival, como: arroz com galinha (a tradicional galinhada), arroz com linguiça, arroz com carne seca, bolinho de arroz e arroz com suan de porco são mais comuns nos demais estados do país. E para os amantes de doce, não poderia faltar o clássico arroz doce.

A expectativa dos organizadores é de servir 1.200 pratos, no dia 20 de outubro (último dia do RPV), com estimativa de arrecadação superior a 20 mil reais, em prol do Hospital de Amor, Santa Casa de Misericórdia e entidades assistências de Barretos (SP).

Munhoz & Mariano cantaram dois dos seus maiores sucessos com o coral “Papo Furado” e emocionaram a todos.

Lançamento
Neste dia 19 de setembro, comissão organizadora, parceiros, doadores, entidades assistenciais, autoridades locais, imprensa e convidados se reuniram no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, em Barretos, para o lançamento do 1º “Rodeio pela Vida”.

Durante a solenidade, os participantes puderam entender mais detalhes desta grande festa em favor da vida e conhecer as atrações, montarias e provas envolvendo competidores renomados do universo do rodeio. O presidente do HA, Henrique Prata, destacou a importância do apoio da sociedade para a realização desse evento. “Decidimos fazer uma festa com preços acessíveis para que muita gente consiga participar. Aguardamos cinco mil pessoas nos dias de semana e dez mil no final de semana, para conseguir arrecadar recursos. Esperamos plantar essa semente para que, no próximo ano, mais patrocinadores acreditem e abracem a nossa causa. Esperamos que a nossa cidade acolha esse projeto, pois ele foi pensado com muito carinho”, afirmou.

A dupla parceira do hospital e também uma das escolhidas para se apresentar no rodeio, Munhoz & Mariano, prestigiou o evento. Padrinho do coral “Papo Furado”, projeto do HA que reúne pacientes laringectomizados, o cantor Mariano contou sobre seu envolvimento com a instituição e sua gratidão, por ter tido sua mãe curada de um câncer na garganta. “Para nós é mais do que um privilégio estar aqui hoje, pois somos colaboradores do Hospital há bastante tempo. No final do ano passado, eu estive aqui no HA com a minha mãe, quando ela iniciou seu tratamento, e realmente eu pude viver o Hospital de Amor, ficando completamente apaixonado e encantando com o que eu vi. Durante os seis meses que eu fiquei ali, eu pude sentir, a cada dia, um pouco do amor que existe em todas as pessoas que atuam nessa instituição. Hoje, graças a Deus minha mãe está curada e, apesar dela já ter saído do hospital, eu não consigo sair nunca mais! Eu tenho certeza de que o Rodeio pela Vida será muito melhor que muitos outros que existem pelo Brasil e tem de tudo para ser um marco e entrar no calendário anual de festas de Barretos e do país. Só temos que agradecer à equipe, aos colaboradores e a todos que irão contribuir com essa causa”, declarou Mariano.

Para fechar com chave de ouro, a dupla cantou dois dos seus maiores sucessos (“Camaro Amarelo” e “A Bela e a Fera”) com o coral e emocionou todas as pessoas que ali estavam. No final, um delicioso almoço com algumas das delícias do Festival de Arroz foi servido – um convite mais do que especial para a grande festa!

Ingressos
Os ingressos já estão à venda nos seguintes locais: Casa das Fraldas (Bom Jesus), Proservice Auto Posto e Conveniência (Jockey), Lela’s Mania Auto Posto e Conveniência, Bar e Lanchonete do Raimundinho (Baroni), Cantina da Faculdade de Ciências da Saúde de Barretos Dr. Paulo Prata (FACISB), Cadam (av. 43), Golf Class (North Shopping Barretos), Bão Barretos – Western e Fazendinha Agropecuária e Pet Shop (av. 43).

Em Colina (SP), os pontos de venda são: Paro Verde – Viveiro de Mudas e Misturinha Fina.

Mais informações no departamento de captação de recursos do Hospital de Amor, através do telefone, (17) 3321-6607. Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8:00 às 17:00.

No dia 19/10 (sábado), a dupla sertaneja Munhoz & Mariano e o cantor Juliano Cézar finalizam as atrações musicais do 1º Rodeio pela Vida, abrilhantando ainda mais essa ação solidária.
Para oficializar o ato, Henrique Prata e Pereira Calças assinaram o Termo de Doação em uma cerimônia realizada no auditório do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular do hospital.

No dia 30 de agosto, o presidente do Hospital de Amor (HA), Henrique Prata, junto dos diretores, médicos e colaboradores da instituição, recebeu um importante visitante: o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP), desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças. O motivo do encontro foi ainda mais especial: a entrega da doação de cinco motorhomes (veículos equipados com espaço de convivência e a estrutura encontrada em uma residência, conhecido como ‘casa sobre rodas’) à instituição.

A doação – permitida exclusivamente para fins e uso de interesse social, após avaliação de sua oportunidade e conveniência socioeconômica – só foi possível porque, graças ao avanço dos processos digitais, não há mais a necessidade de o Judiciário ter unidades itinerantes. Depois de os veículos passarem por dois leilões sem êxito de venda, a Presidência do TJSP optou pela doação ao HA. Os micro-ônibus serão utilizados pelo centro oncológico na realização de exames e transporte de equipe multidisciplinar e de passageiros.

Os micro-ônibus serão utilizados pelo HA na realização de exames e transporte de equipe multidisciplinar e de passageiros.

Para oficializar o ato, Henrique Prata e Pereira Calças assinaram o Termo de Doação, em uma cerimônia realizada no auditório do Centro de Pesquisa em Oncologia Molecular (CPOM) do hospital. Também participaram a esposa do desembargador, Maria Amélia Junqueira de Andrade Pereira Calças; o coordenador da 14ª Circunscrição Judiciária – Barretos, desembargador Fábio de Oliveira Quadros; os magistrados de Barretos Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez (1ª Vara Criminal e diretora do fórum), Luciano de Oliveira Silva (2ª Vara Criminal e coordenador da Associação Paulista de Magistrados na comarca, representando o presidente da Apamagis) e Hélio Alberto de Oliveira Serra e Navarro (auxiliar); os juízes Hermano Flávio Montanini de Castro (Vara do Juizado Especial Cível e Criminal de Bebedouro) e Hélio Rubens Pereira Navarro (aposentado e integrante do Conselho Curador do Hospital de Amor); os promotores de Justiça da Comarca de Barretos Renato Gonçalves Azevedo (representando o procurador-geral de Justiça) e Walter de Souza Vicentini Vilela; e o delegado seccional de Polícia de Barretos, José Luiz Ramos Cavalcanti.

Após a solenidade, o desembargador conheceu as instalações do Hospital de Amor Infantojuvenil, Lar de Amor, Fábrica de Unidades Móveis, Instituto de Prevenção e Instituto de Ensino e Pesquisa da instituição. “Essa obra tem que ser mostrada para o Brasil e para o mundo. Vocês são do amor e trabalham no Hospital de Amor. Tive aqui uma visão importante da oncologia humanista, tive uma aula com os médicos que me receberam. Fico muito feliz que os veículos possam servir a essa instituição de saúde. Esses veículos são do contribuinte e o que o hospital faz pelo contribuinte paulista, não tem preço. Não é o Tribunal de Justiça que está doando e sim o povo paulista, que está devolvendo um pouco do que recebe”, afirmou Pereira Calças.

Para Henrique Prata, o momento foi de emoção. “Nossos ônibus estão sucateados porque damos prioridade à compra de remédios. Temos muito orgulho em receber essa doação do Poder Judiciário e sua presença é motivo de reconhecimento ao trabalho que fazemos com a medicina pública, que é superior à privada. Em câncer, se não restabelecermos a autoestima do paciente, o remédio não faz efeito. Aqui, todas as pessoas são tratadas de forma igual e com o mesmo amor”, finalizou o presidente.

O presidente do TJSP, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, visitou a unidade infantojuvenil do HA ao lado do diretor médico, Dr. Luiz Fernando Lopes, do presidente da instituição, Henrique Prata, sua esposa Maria Amélia Junqueira de Andrade Pereira Calças, do integrante do Conselho Curador do HA, Hélio Rubens Pereira Navarro, da oncologista e coordenadora do Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico, Dra. Neysimélia Villela e da magistrada de Barretos e diretora do fórum, Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez.
José Rubens de Carvalho, o ‘Rubikinho’, é coordenador do projeto.

Com um déficit mensal de mais de R$ 24 milhões e dependendo dos mais diversos tipos de doações para manter suas portas abertas e oferecer um tratamento de excelência a seus pacientes, o Hospital de Amor (HA) também conta com um projeto de arrecadação de recursos voltado ao agronegócio. ‘O Agro Contra o Câncer’ busca atingir todos os setores do segmento no país, tanto na área de produção de matéria-prima, quanto na agroindústria, para combater uma doença que só no Brasil afeta mais de meio milhão de pessoas todos os anos.

A iniciativa surgiu após uma conversa dos empresários barretenses, Geovane Barroti e José Rubens de Carvalho (conhecido como ‘Rubikinho’ e coordenador do projeto), na tentativa de encontrar outras formas de arrecadação para o Hospital diferente das já existentes. A primeira ação foi solicitar aos produtores de laranja a doação de alguns caminhões, tendo uma ótima adesão por parte deles. “Foi a partir daí que nasceu ‘O Agro Contra o Câncer’, inicialmente voltado para a soja, cana, café e boi, e agora abrangendo todo o meio rural”, afirmou o coordenador.

Além dos frigoríficos, 4 usinas, 1 cooperativa de café e 1 armazém de recebimento e comercialização de soja estão envolvidos no projeto.

O público-alvo são os produtores rurais, as indústrias processadoras de matéria-prima e as de insumos em geral. A parceria começou com o Frigorífico Minerva, em novembro de 2017, mas, desde janeiro de 2018, várias outras empresas do setor, como por exemplo, Estrela, Marfrig e JBS, já estão engajadas. Além dos frigoríficos, quatro usinas, uma cooperativa de café e um armazém de recebimento e comercialização de soja estão envolvidos no projeto. “Tudo o que estiver relacionado ao agro está na nossa mira! As doações pedidas são muito razoáveis, mas, com o volume de adesões, tornam-se valores expressivos. Estamos solicitando sempre um percentual da produção no momento da comercialização dos produtos”, explicou Rubikinho.

Apesar do setor ainda ser pouco explorado pela instituição, o coordenador (também produtor rural na cidade de Barretos/SP e Miranorte/SP) está otimista quanto aos resultados que o Hospital de Amor receberá com a nova forma de arrecadação. “Queremos alcançar todos os estados do país. Não estamos pedindo uma doação única, mas sim parceiros fiéis, que vão nos doar todas as vezes em que comercializarem seus produtos. Desta forma, esperamos sanar uma boa parte do déficit mensal que a instituição possui”, finalizou.

Se você deseja contribuir com o projeto e receber mais informações, basta ligar para: (17) 3321-6600, ramal 6624, ou enviar um e-mail para: rubikinho@hcancerbarretos.com.br.

Você também pode salvar vidas
Confira as várias formas de ajudar o Hospital de Amor em: hospitaldeamor.com.br/ajude.

‘O Agro Contra o Câncer’ busca atingir todos os setores do segmento no país, tanto na área de produção de matéria-prima, quanto na agroindústria, para combater uma doença que só no Brasil afeta mais de meio milhão de pessoas todos os anos.

 

O espetacular “Gala de Amor” aconteceu no último dia 29 de maio, na Casa Fasano, em São Paulo (SP). Um jantar beneficente organizado para refletir, celebrar e apoiar o trabalho do Hospital de Amor. Foto: Talita Tavares.
O Gala de Amor foi promovido pelo casal de empresários Tom e Ana Paneguini. Foto: Talita Tavares.

No último dia 29 de maio foi realizado, na Casa Fasano, em São Paulo (SP), o espetacular “Gala e Amor”. Um jantar beneficente organizado para refletir, celebrar e apoiar o trabalho do Hospital de Amor. Promovido pelo casal de empresários Tom e Ana Paneguini e dirigido por Stella Matos, da empresa ‘1 Coisa & Outra Produções’, o evento contou com mais de 500 convidados de gala, além da presença de artistas ilustres que apoiam a causa, como Xuxa Meneghel, Ivete Sangalo, Ana Paula Padrão, Érick Jacquin, Paola Carosella, Sidney Oliveira, Raul Gil, Sílvia Poppovic, Denilson, Renata Fan, Dom Odilo Scherer, entre outras personalidades, arrecadando mais de R$ 2 milhões para o Hospital.

Durante o coquetel, 5 personagens simbolizando os ‘sentimentos’ e inspirados na delicadeza e profundidade do atendimento realizado no HA, circulavam entre os convidados, dando as boas-vindas ao evento. “Coração de Ouro”, “Senhorita Esperança”, Alegria do Dia”, “Felicidade Sonhadora”, “Carinho Doce” e “Nuvem Passageira” usavam figurinos e maquiagens produzidos especialmente para o evento, para despertar a emoção das pessoas.

O ambiente também foi cuidadosamente decorado, tendo como inspiração o vídeo “O amor é maior que o medo”, que conta a história da Nina, uma pequena valente que enfrentou corajosamente o câncer com o apoio de sua família, amigos e toda a equipe do HA.

Marisa Orth e Daniel Boaventura subiram ao palco para comandar a noite. Foto: Talita Tavares.

Para abrilhantar ainda mais a festa, a atriz Marisa Orth e o ator Daniel Boaventura subiram ao palco para comandar a noite. Após citarem a emoção do evento e a seriedade e profundidade da causa, chamaram alguns convidados mais do que especiais. Entre eles, Marcelo Marcon, que enfrentou uma batalha contra um câncer de pulmão, foi curado e hoje atua na instituição como o “Palhaço Mingal”, levando alegria para os pacientes da unidade infantojuvenil. Após contar sua história de superação, foi sucedido no palco pela jornalista e apresentadora, Ana Paula Padrão, que explicou a importância das doações para que o hospital possa, não apenas cumprir suas funções, mas também superar as metas de atendimento e serviço. Ela também destacou os benefícios fiscais que as contribuições de pessoas físicas e jurídicas podem trazer.

E as surpresas não pararam por aí! Todos os garçons e garçonetes estavam vestidos como médicos, de jalecos com o nome Hospital de Amor, estetoscópio e com seus verdadeiros nomes trocados por novas identidades: “Dra. Compreensão”, “Dr. Bem-Querer”, “Dra. Solidariedade”, “Dr. Sorriso”, “Dra. Esperança” e muitos outros. Em um certo momento, lindas modelos invadiram o salão e iniciaram um desfile de vestidos assinados por outra grande apoiadora do HA, a estilista Martha Madeiros.

O presidente do HA, Henrique Prata, presentou a cantora Ivete Sangalo durante show, no Gala de Amor. Foto: Talita Tavares.

Além dos organizadores, outros grandes parceiros contribuíram e fizeram da noite do Gala de Amor um encontro simplesmente único São eles: Ultrafarma, Hiper Saúde, Ideamaker, Safe Ink, Diageo, Moet&Chandon, Rede Bandeirantes, Rede TV, Adega Alentejana, Wine Collection, EMS, Marfrig, Embramaco, Martha Medeiros, Louis Vuitton, Shopping Cidade Jardim, Dolce & Gabbana, Maison Alexandrine, Ana Abelha Doces, D. Filipa, Grupo Formigres, Banco Maxima, Barbero Advogados e Horaios.

De acordo com o diretor de responsabilidade social do Hospital de Amor, Henrique Moraes Prata, que também esteve presente no jantar, a realização do evento tem uma grande importância para a entidade. “Sempre quisemos realizar um jantar de gala para falar sobre o trabalho do hospital a um público de São Paulo e de outras capitais que não conhecem Barretos. O evento de maio foi muito mais do que algum dia sonhamos, foi perfeito e inesquecível para todos que lá estiveram. Com certeza, os voluntários que trabalharam na organização ajudaram a mudar, para sempre, a percepção que o público da capital tem de nossa obra e também nossa esperança em realizar novos eventos como este para grandes captações. No que diz respeito ao meu trabalho, ouvir a Ana Paula Padrão falando com tanta autoridade a todos os convidados sobre a importância de doarem imposto de renda, dá novo ânimo para seguirmos com esta pauta, que é nossa e do terceiro setor como um todo”, concluiu.

Personagens simbolizando os ‘sentimentos’ e inspirados na delicadeza e profundidade do atendimento realizado no HA, circulavam entre os convidados, dando as boas-vindas ao evento. “Coração de Ouro”, “Senhorita Esperança”, Alegria do Dia”, “Felicidade Sonhadora”, “Carinho Doce” e “Nuvem Passageira” usavam figurinos e maquiagens produzidos especialmente para o evento, para despertar a emoção das pessoas. Foto: Talita Tavares.

 

A campanha nacional de captação de recursos do Hospital de Amor foi carinhosamente nominada de “Caminhos de Amor”.

No mês de dezembro, o Hospital de Amor – maior centro de tratamento oncológico gratuito da América Latina – lançou na última terça-feira, 27 de novembro, a campanha nacional de captação de recursos, carinhosamente nominada de “Caminhos de Amor”. Criada pela agência WMcCANN, a campanha tem uma razão de ser, afinal, existem muitos caminhos para doar amor aos milhares de pacientes que lutam contra o câncer na instituição.

Com o objetivo de motivar e conscientizar a população brasileira sobre a importância das doações para o funcionamento e manutenção dos 11 hospitais fixos de prevenção, cinco unidades de tratamento e mais 18 unidades móveis, o HA apresenta diferentes formas de doação, com destaque para os números de telefone (0500), disponibilizados pela Anatel, e também para as renúncias fiscais no imposto de renda (de pessoas físicas e jurídicas).

A escolha da data para o início da campanha tem um motivo especial: 27/11 é marcado pelo “Dia Mundial de Doar” e pelo “Dia Nacional de Combate ao Câncer”. De acordo com informações da Associação Brasileira de Captadores de Recursos (ABCR), o caminho para um Brasil melhor passa por uma sociedade civil mais forte e esse fortalecimento depende da existência de organizações e de projetos financeiramente sustentáveis.

O Hospital de Amor estenderá a ação às suas redes sociais e canais oficiais até o dia 30 de dezembro. “As doações são fundamentais para mantermos os nossos programas com excelência e continuar beneficiando milhares de pessoas”, afirmou o diretor de responsabilidade social do HA, Henrique Moraes Prata. Parte das despesas da instituição, incluindo cirurgias e salários dos profissionais, é bancada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Sendo assim, os eventos e doações (de empresas e pessoas) realizados solidariamente são essenciais para completar a renda. Em 2017, o Hospital encerrou o ano com um déficit operacional de R$ 292,7 milhões.

Caminhos de Amor
O amor sempre encontra um caminho para chegar ao seu objetivo. É por isso que o Hospital de Amor oferece os mais diferentes caminhos para que esse amor chegue até as pessoas que mais precisam dele. Na campanha “Caminhos de Amor” não existe um valor mínimo e nem máximo para a doação. Conheça as várias formas para ajudar o HA a continuar salvando vidas através de: ligação telefônica, depósito bancário, boleto bancário, cartão de crédito e imposto de renda.

– Ligação telefônica (0500)
0500 504 1210 – para doar R$ 10,00
0500 504 1220 – para doar R$ 20,00
0500 504 1250 – para doar R$ 50,00

* R$ 0,39 – impostos por ligações de telefone fixo.
* R$ 0,71 – impostos por ligações de celular.
Essas doações não são dedutíveis do imposto de renda. As ligações não podem ser feitas de telefones pré-pagos (de crédito) e comerciais. Os números de 0500 funcionam de 01/12 a 30/12. Após esta data, deve-se entrar em contato no (17) 3321-6607.

– Site
Na página do Hospital de Amor (hospitaldeamor.com.br) as contribuições podem ser feitas por depósito bancário, boleto ou utilizando o cartão de crédito.

– Incentivo fiscal
Através de renúncias fiscais, pessoas físicas e jurídicas podem destinar percentuais do imposto de renda para projetos de saúde, idosos e crianças. Acesse bit.do/incentivosfiscais e doe.

Sobre o #DiaDeDoar
A campanha anual que busca chamar a atenção para a importância da doação e da captação de recursos, foi inspirada numa iniciativa que surgiu nos Estados Unidos em 2012 com o nome de #GivingTuesday (em tradução livre: Terça-feira de Doar), na tentativa de ser um contraponto solidário à data comercial do ‘Black Friday’. No Brasil, o movimento ficou conhecido como #DiaDeDoar. A ação também aconteceu em mais de 50 outros países, na terça-feira, 27 de novembro.

O alcance da campanha no país tem sido cada vez maior, com cada vez mais pessoas e entidades participando ativamente. Segundo dados da ABCR, em 2017, foram mais de 16 milhões de engajamentos nas redes sociais e, pelo menos, R$ 700 mil doados a diversas causas no Brasil inteiro.

O Hospital de Amor registra cerca de 880 mil atendimentos por ano, 100% gratuitos. Por dia, são realizados mais de 6.000 atendimentos em suas unidades.

Sobre o Hospital de Amor
O Hospital de Amor registra cerca de 880 mil atendimentos por ano, 100% gratuitos. Por dia, são realizados mais de 6.000 atendimentos em suas unidades. A entidade trabalha com um déficit operacional mensal acima de R$ 20 milhões. Em 2017, a instituição atendeu 171.454 pacientes procedentes de 2.107 municípios de todos os estados do país – um recorde de cobertura. Foram realizadas 23.048 internações, 93.254 quimioterapias e 7 mil refeições são servidas diariamente. O HA reúne 380 médicos e mais e mais de 3.500 funcionários.

Uma única bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas. Os tipos sanguíneos mais utilizados sãos: O+, O- e A-.

Doar sangue é sinônimo de generosidade, de humanização e de amor ao próximo. É um ato de solidariedade simples, mas que pode salvar a vida de milhares de pessoas. No dia 25 de novembro, data em que é celebrado o ‘Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue’, o Hospital de Amor homenageia todas as pessoas que reservam um tempo de suas rotinas para doar sangue, e conscientiza a população sobre a importância dessa atitude.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3 a 5% do total da população. Entretanto, dados do Ministério da Saúde apontam que, no Brasil, este índice está bem abaixo do aconselhável, não chegando a 2%. Atualmente são doadas cerca de 3,6 milhões de bolsas de sangue por ano, segundo informações da Fundação Pró-Sangue (instituição pública ligada à Secretaria de Estado da Saúde e ao Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

De acordo com a coordenadora de captação de doadores do Hemonúcleo do Hospital de Amor, Ana Paula Borges, a instituição atende muitos pacientes que necessitam de transfusão de sangue diariamente, o que resulta em um árduo trabalho de captação de doadores para que os estoques se mantenham sempre alinhados às necessidades. “O nosso maior desejo é garantir estoques de sangue satisfatórios no nosso Hemonúcleo”, afirmou.

Para falar sobre o assunto e esclarecer as principais dúvidas sobre a doação de sangue, o Hospital de Amor entrevistou a coordenadora. Confira:

1) Atualmente, qual é a necessidade de sangue do Hospital de Amor?
R.: O Hospital de Amor necessita, em média, de 35 a 40 doadores por dia. Infelizmente, essa ainda não é a nossa realidade.

2) Uma bolsa de sangue pode salvar a vida de quantas pessoas?
R.: Uma doação pode salvar até quatro vidas! Com uma bolsa de sangue, é possível obter:
– Concentrado de Hemácias (glóbulos vermelhos do sangue): é indicado no tratamento de anemias crônicas, hemorragias e complicações cirúrgicas.
– Plasma fresco congelado: indicado para pacientes com deficiência de fatores de coagulação ou para produção de derivados plasma.
– Concentrado de plaquetas: indicado para hemorragias graves com deficiência plaquetária, tratamento de leucemias e deficiência medular.
– Crioprecipitado: utilizado em tratamentos de hemofilia.

3) O Hemonúcleo do Hospital de Amor atende quantas outras instituições? Quantas e quais outras cidades da região?
R.: O Hemonúcleo atende todo o Hospital de Amor Barretos e suas unidades localizadas na cidade, como o Hospital de Amor Infantojuvenil e Hospital de Amor Nossa Senhora. Além disso, fornece sangue para a Santa Casa de Misericórdia, Hospital São Jorge, em Barretos (SP), e os municípios de Guaíra (SP), Colina (SP), Jaborandi (SP) e Colômbia (SP).

4) Quais são os tipos de sangue mais utilizados?
R.: Os tipos sanguíneos mais utilizados sãos: O+, O- e A-. É importante lembrar que o sangue O- é considerado universal e doa para todos os tipos. Porém, as pessoas com sangue do tipo O – só podem receber doações de pessoas com o mesmo tipo de sangue.

5) Quem pode ser doador de sangue?
R.: Todas as pessoas com boas condições de saúde. Para doar é necessário:
– Pesar mais do que 50 kg;
– Ter dormido, no mínimo, 6 horas na noite que antecede a doação;
– Não estar resfriado ou gripado;
– Não estar em jejum, porém, evitar alimentos gordurosos e frituras antes da doação;
– Ter entre 16 e 69 anos. (Pessoas de 16 e 17 anos devem estar acompanhados pelos pais ou responsáveis legais). A primeira doação deverá ser realizada antes dos 61 anos.

6) Quais documentos são necessários para doar?
R.: É necessário estar com documento oficial com foto, podendo ser RG, Carteira de Habilitação ou Carteira de Trabalho.

7) Além do sangue, o que mais pode ser doado neste ato de solidariedade?
R.: Pode ser realizada a doação tradicional, aférese de hemácias, aférese de plaquetas e também o cadastro de medula óssea.

8) Quais são as principais restrições para ser um doador de sangue?
R.: Situações que impendem a pessoa de doar sangue:
– Gravidez
– Gripe ou febre;
– Se tiver feito manipulação dentária (até 72 horas antes);
– Se tiver feito tatuagem, piercing, endoscopia ou colonoscopia (tatuagem e/ou piercing realizados há menos de 6 meses. Caso o estúdio não seja inspecionado pela Vigilância Sanitária, é necessário esperar 1 ano para doar);
– Se tiver sido submetido à cirurgia (de 3 meses a 1 ano);
– Se tiver sofrido aborto (até 3 meses antes);
– Se tiver recebido transfusão de sangue (até 1 ano antes);
– Se tiver tido hepatite após os 10 anos de idade.

9) De quanto em quanto tempo pode-se doar sangue?
R.: Doadores de sangue (tradicionais) – Homens podem doar de 2 em 2 meses, não ultrapassando 4 vezes ao ano. Mulheres podem doar de 3 em 3 meses, não ultrapassando 3 vezes ao ano;
Doadores de aférese de hemácias – Homens podem doar de 4 em 4 meses. Mulheres de 6 em 6 meses.
Doadores de plaquetas – Homens e Mulheres podem doar até 24 vezes no ano, pois ela se reconstitui no organismo em 3 dias.

Mitos x Verdades
– A doação é restrita a pessoas sem piercing e tatuagem?
Mito. A doação só é restrita para quem possui tatuagem realizada a menos de 6 meses. Caso o estúdio não seja inspecionado pela Vigilância Sanitária, é necessário esperar 1 ano para doar (tanto para tatuagens, quanto para piercings).

– Gestantes e lactantes não podem doar?
Verdade. Gestantes não podem doar. Já as lactantes devem esperar 12 meses da data do parto.

– Descanso e alimentação influenciam na doação?
Verdade. É preciso estar descansado, dormir no mínimo 6 horas na noite que antecede a doação e estar bem alimentado, evitando comidas gordurosas e frituras.

– Doadores estão suscetíveis a doenças transmissíveis via sangue?
Mito. O kit utilizado é individual e descartável, sendo assim, o risco de contaminação é de 0%.

– Após a doação, vou ficar sem sangue?
Mito. O sangue doado é rapidamente reposto no organismo com a ingestão de líquidos.

– Doar sangue engrossa o sangue, afina, engorda, emagrece ou vicia?
Mito. Ao contrário de todas essas especulações, ao doar sangue, o indivíduo estará renovando as suas células e em dia com a saúde.

Para mais informações, entre em contato com o Hemonúcleo do Hospital de Amor pelo telefone (17) 3321-6600, ramal 6941. O departamento atende de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h, e sábados e domingos, das 7h às 11h.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que o número de doadores de um país seja de 3 a 5% do total da população. Entretanto, dados do Ministério da Saúde apontam que, no Brasil, este índice está bem abaixo do aconselhável, não chegando a 2%.

 

O “Encontro Nacional de Coordenadores” reuniu mais de 1.100 pessoas que desempenham um trabalho árduo em seus municípios, de maneira gratuita, por uma única causa: ajudar o HA a salvar vidas!

Já é tradição e faz parte do calendário do Hospital de Amor a realização do “Encontro Nacional de Coordenadores”. A 21ª edição do evento, que aconteceu dia 27 de outubro, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, em Barretos (SP), reuniu mais de 1.100 pessoas que desempenham um trabalho árduo em seus municípios, de maneira gratuita, por uma única causa: ajudar o HA a salvar vidas!
Esse é um dos momentos mais esperados pelos “coordenadores voluntários de eventos”. Neste encontro, que visa integrar os voluntários de todo o Brasil que realizam ações em prol da entidade, eles têm a oportunidade de comemorar as conquistas alcançadas ao longo do ano, além de compartilhar metas e desafios para 2019.

O evento contou com palestras ministradas pelo presidente da instituição, Henrique Prata, e pelo gerente de captação de recursos, Luiz Antônio Zardini. Os dois ressaltaram a importância do trabalho desenvolvido pelos coordenadores, na tentativa de diminuir o alto déficit mensal do hospital e melhorar, ainda mais, os atendimentos de excelência oferecidos aos pacientes. Os participantes também ganharam espaço para expor suas dúvidas e ideias, além de partilhar as dificuldades e alegrias.

De acordo com o gerente de captação de recursos, o Encontro Nacional de Coordenadores é uma forma de agradecer todas essas pessoas que atuam unicamente por amor ao próximo. “Eles são responsáveis por 2/3 de todas as receitas do Hospital. É um trabalho fundamental e muito amoroso. É gratificante ver a cumplicidade deles com a instituição e, sem dúvidas, é isso que mantém as portas abertas, oferecendo assistência e tratamento de qualidade”, afirmou Zardini.

Nilar Martins é coordenadora voluntária de Araguaína (TO).

Exemplos de solidariedade
Há 28 anos, a tocantinense Nilar Martins perdeu o pai por conta de um câncer. Sem conhecer o HA e impossibilitada de oferecer a ele um tratamento digno e de qualidade, ela decidiu abraçar a causa e ajudar outras pessoas. Há 3 anos, tornou-se coordenadora voluntária de Araguaína (TO) e passou a desenvolver um trabalho maravilhoso em prol da instituição. Nem os milhares de quilômetros de distância a impediram de participar do encontro.

“O primeiro motivo para me tornar coordenadora voluntária foi a oportunidade de ajudar pessoas. O segundo foi o fato de eu ter perdido meu pai por conta dessa doença que ainda mata tanta gente. E o terceiro é porque se trata de uma obra abençoada, que nos gratifica muito, enriquece a alma e transmite paz. É muito importante participar desse evento, afinal, como eu vou transmitir essa mensagem à população do meu estado, sem conhecer o trabalho desenvolvido pelo Hospital, me reciclar e acompanhar as novidades? Esses 1.700 km não são nada perto do conhecimento que eu estou levando para o meu Tocantins. É muito especial ser voluntária!”, declarou.

Otávio Fernandes é coordenador voluntário de Onda Verde (SP).

Otávio Fernandes também conheceu o Hospital de Amor por conta do pai. Após acompanhar seu tratamento e cura do câncer de próstata, ele sentiu que devia fazer algo para retribuir. “Eu pensei: o que eu posso fazer para agradecer esse hospital pelo atendimento oferecido ao meu pai. Hoje, já são 8 anos nessa estrada, trabalhando voluntariamente por amor. E eu não me canso! Comecei sozinho e agora conto com uma equipe de mais de 100 pessoas. É uma honra muito grande poder trabalhar em favor desse lugar abençoado”, finalizou o coordenador voluntário de eventos de Onda Verde (SP).

Os interessados em se tornar ‘coordenadores voluntários de eventos’ do Hospital de Amor podem encaminhar um e-mail para zardini@hcancerbarretos.com.br ou através do telefone (17) 3321-6607.

 

Primeira turma de voluntários da instituição durante palestras. Neste primeiro momento, o projeto piloto será realizado para atender as demandas da unidade infantojuvenil do HA.
As oficinas de Reiki são uma das atividades desenvolvidas no Programa de Voluntariado.

O voluntário é aquele indivíduo que, de forma livre, desinteressada e responsável, se compromete, de acordo com as suas aptidões e dentro do seu tempo livre, a realizar ações de voluntariado. Segundo a lei que regula a atividade, o trabalho voluntário deve beneficiar uma pessoa/organização/comunidade, assumindo uma postura proativa, comprometendo-se com o exercício da atividade a realizar e atuar em conformidade com a cultura e objetivos da organização beneficiária.

Sabendo que essa é uma prática comum em diversas instituições e, em sua maioria, bem-sucedida, o Hospital de Amor (HA) passou a contar com o apoio de uma iniciativa que irá contribuir com a organização de novas ações voluntárias direcionadas para as suas unidades. O “Programa de Voluntariado”, que é ligado ao novo departamento de Projetos Sociais do hospital, irá oferecer suporte em diversas áreas, que vão desde serviços administrativos, eventuais, até assistência e acompanhamento de pacientes.

De acordo com a assistente de projetos do novo setor, Ana Carolina Abdo, a implantação do projeto aconteceu por conta da percepção do crescimento de uma cultura de cidadania e solidariedade, onde as pessoas passaram a buscar espaços onde podem desenvolver um trabalho que vai além dos interesses próprios e que seja, também, enriquecedor de maneira cultural, espiritual e afetiva. “A procura da população para realizar um trabalho no Hospital Infantojuvenil, por exemplo, é muito grande e, apesar de sabermos que muitas coisas podem ser feitas, é necessário organização e planejamento. Para o voluntário desenvolver um bom trabalho, ele precisa ser orientado, treinado e amparado, e a instituição deve contar com uma equipe que ofereça esse suporte”, afirmou.

Com a mediação entre essas duas demandas e seguindo o mesmo contexto de humanização – uma das grandes características do Hospital de Amor – o Programa de Voluntariado conta com iniciativas voltadas especialmente aos pacientes, e não apenas à doença e/ou tratamento. “É um olhar para a família, para a manutenção do desenvolvimento social, econômico e cultural do paciente. Nosso objetivo é pensar em maneiras de como esses voluntários podem se inserir na entidade e quais ferramentas são necessárias para que isso ocorra. É claro, sempre sob comando de uma consultora que nos contextualizará sobre os melhores programas já existentes e nos orientará, de acordo com a nossa realidade, sobre a melhor maneira de desenvolvermos as ações”, contou Ana.

Projeto Piloto
No dia 25 de setembro, a primeira turma esteve na instituição e participou de palestras. Neste primeiro momento, o projeto piloto será realizado para atender as demandas da unidade infantojuvenil do HA. Os voluntários, que ocuparão as 20 vagas disponíveis, desenvolverão diversas atividades administrativas e sociais junto aos pacientes em tratamento e seus familiares.

Voluntários durante visita à unidade infantojuvenil do Hospital de Amor.

“A ideia do projeto piloto é perceber as principais necessidades do Hospital Infantojuvenil e conhecer o perfil do nosso voluntário, para saber onde ele se encaixa melhor. Desta forma, considerando esse ponto de partida, poderemos estudar novas possibilidades diante de tantos desafios no que diz respeito ao Hospital, alojamentos e casas de apoio, que é para onde pretendemos ampliar o nosso atendimento”, finalizou Ana Carolina.

Distribuição das atividades iniciais
Categoria: Apoio à administração e comunicação.
Vagas: Acolhimento de paciente; Ajudar a fazer sobremesas; Planilha de dados.

Categoria: Apoio ao paciente e família.
Vagas: Contador de história; Oficina de artesanato; Atividade de relaxamento; Auxiliar na brinquedoteca; Auxiliar na recepção; oficinas de Reiki; Apoio à família no pré e pós-óbito.

Categoria: Apoio à captação e desenvolvimento institucional.
Vagas: Suporte na organização e calendário de festividades.

Categoria: Apoio na gestão de voluntariado.
Vagas: Suporte nas organizações das atividades voluntárias.

Como fazer parte dessa corrente de amor?
As pessoas interessadas em se inscrever para o programa de voluntariado do Hospital de Amor podem entrar em contato através do e-mail ‘projetossociais@hcancerbarretos.com.br’, ou pelo telefone (17) 98210-0502. Depois desse passo, é agendada uma visita na unidade infantojuvenil e uma palestra, abordando as possibilidades de trabalho a ser desenvolvido. É válido reforçar que, neste primeiro momento, o programa está limitado à unidade infantojuvenil do HA, em Barretos (SP).


Publicado em 25 de set de 2018   |   Artigos, Destaques, Institucional, Captação de Recursos, Pacientes e Familiares