fbpx

Hospital de Amor recebe visita da primeira-dama, Michelle Bolsonaro

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição e alguns de seus principais projetos.

Uma visita especial marcou o Hospital de Amor neste dia 25 de outubro. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição (como a unidade infantojuvenil e o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrica -TMO), e alguns de seus principais projetos (como o de reabilitação, Bella Vita).

Entre os setores visitados, a primeira-dama conheceu o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico e o projeto de reabilitação, Bella Vita.

Após o almoço, Michelle se reuniu com centenas de pessoas, entre voluntários, diretores e colaboradores do HA, além de políticos e representantes, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, para fazer uma palestra sobre o Programa Pátria Voluntária, o qual preside.

Durante a cerimônia, o gerente de captação de recursos do Hospital de Amor, Luiz Antônio Zardini, falou sobre a importância do trabalho voluntário para o mundo e, especialmente, para os pacientes do hospital. “O voluntário é um visionário, pois ele consegue enxergar a fraternidade e o amor. Eles são presença de Deus junto aos pacientes, seja no hospital ou em suas residências. Afinal, não basta servir, é preciso amar!”, afirmou.

A coordenadora do departamento de Recursos Humanos da instituição, Renata Paschoal, explicou sobre os dois tipos de voluntariado que existem no HA (o que é conduzido pela Associação Voluntária de Combate ao Câncer – AVCC – e o que é gerenciado pelo departamento de Projetos Sociais da instituição) e suas diversas áreas de atuação.

Em seguida, a primeira-dama falou sobre a “Pátria Voluntária” e sua missão: fomentar a cultura do voluntariado do Brasil, contribuindo com um país mais justo, inclusivo e social. “Estou muito feliz em estar aqui e muito honrada em ser intitulada ‘Madrinha do projeto de reabilitação não oncológica Dream’, pois a reabilitação é tão importante quanto o tratamento. Muito obrigada!”, declarou Michelle.

Da esquerda para a direita: deputada federal, Silvia Chagas; presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata; prefeito municipal de Barretos (SP), Guilherme de Ávila; coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi; primeira-dama, Michelle Bolsonaro; deputada federal, Katia Sastre; e secretário de saúde de Araguaína (TO), Jean Coutinho.

Para comprovar isso e na tentativa de superar seus próprios limites, o Coral ‘Papo Furado’ – composto por pacientes laringectomizados, ou seja, que retiraram a laringe por causa do câncer – se apresentou e emocionou a todos, entoando a música ‘É preciso saber viver, do Titãs.

O rádio-oncologista e coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi, explicou sobre o trabalho de reabilitação do Hospital de Amor e enalteceu seu principal objetivo, que é oferecer aos pacientes condições dignas para se reinserir na sociedade, ser integrado e incluído. “Hoje a nossa instituição dá um grande passo, pois vamos construir o melhor centro de reabilitação não oncológica da América Latina, o ‘Dream’, que receberá o nome da nossa primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Grandes sonhos só se tornam realidade com pessoas que acreditam nele, por isso, não posso deixar de homenagear o prefeito Guilherme de Ávila; a deputada federal, Katia Sastre (responsável pela doação da ala dos surdos no novo centro); a deputada federal, Silvia Chagas; e o secretário de saúde de Araguaína, Jean Coutinho (representando o prefeito Ronaldo Dimas), que levará uma outra unidade deste centro para o estado do Tocantins. E como um grande sonho deve estar nas mãos de uma grande pessoa, convidamos a senhora Michelle Bolsonaro para ser a madrinha”, explicou o médico.

De acordo com o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, esse dia vai ficar escrito na história do HA. “Quem tem amor dentro do hospital, não limita seus sonhos, e quando o Dr. Daniel me desenhou esse projeto, eu senti que ele foi escolhido por Deus para fazer, com muita competência, o maior complexo de reabilitação da América Latina. E a Michelle nos mostrou que seu coração é igual ao nosso e nos acolheu com esse sonho. Muito obrigado! O Hospital de Amor tem o maior orgulho em tê-la no ‘quadro da família HA’”, finalizou.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

Na tarde desta sexta-feira, 5 de abril, o Hospital de Amor realizou mais um importante evento: a cerimônia de apresentação do Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico. O novo prédio conta com uma estrutura moderna e humanizada, quartos individuais para os acompanhantes, junto aos leitos dos pacientes, sistema de filtragem de ar em todos os espaços, além de uma unidade de terapia intensiva (UTI) dedicada. O centro, localizado em Barretos (SP) – anexo a unidade infantojuvenil do HA – atenderá crianças e adolescentes, de 0 a 19 anos, e terá capacidade de transplantar 70 pacientes por ano, reduzindo assim, o tempo de espera na fila do transplante do hospital, que hoje, chega a aproximadamente 10 meses.

Dr. Luiz Fernando Lopes é o diretor-médico do Hospital de Amor Infantojuvenil.

De acordo com o diretor-médico do Hospital de Amor Infantojuvenil, Dr. Luiz Fernando Lopes, no Brasil, o número de centros de transplantes de medula óssea (TMO) especializados na população pediátrica é pequeno. “Desde 2012, a nossa unidade infantojuvenil é a sede do Grupo Cooperativo Brasileiro de Síndromes Mielodisplásicas em Pediatria. Por conta disso, crianças e adolescentes de todo o país com suspeita de síndromes mielodisplásicas (SMD) – grupos raros de doenças pré-malignas, com risco de transformação para leucemia – ou leucemia mielomonocítica juvenil (LMMJ) – também uma doença rara, com características mieloproliferativas e displásicas, próprias da população pediátricas – são encaminhadas para o Hospital de Amor para a realização do diagnóstico e tratamento, que inclui o transplante de medula óssea”, explicou.

Antes da conquista do novo centro, a unidade contava com apenas 3 leitos para a realização do procedimento, sendo capaz de executar menos de 30 transplantes por ano. Com a inauguração do espaço, a unidade ganha 13 leitos, sendo 8 destinados para os transplantes e 5 para a terapia intensiva, além de serem utilizados também para o tratamento clínico dos pacientes com SMD e LMMJ. “Essa conquista, com certeza, irá salvar muitas vidas! Poderemos receber também para o transplante um número maior de crianças com leucemias e outras patologias, que muitas vezes falecem sem a oportunidade de tratamento em um serviço especializado, considerando-se o déficit de leitos de TMO no país”, afirmou Lopes.

A realização deste projeto, que irá beneficiar tantas famílias, só foi possível graças a generosa doação de alguns beneméritos e parceiros do Hospital de Amor, entre eles, a família Riscali, que também prestigiou a apresentação.

Segundo a coordenadora do Centro de Transplante de Medula Óssea, Dra. Neysimelia Costa Villela, carinhosamente conhecida como Dra. Neysi, a concretização desse sonho tem um impacto muito grande na vida de todos os pacientes, mas, especialmente, para os profissionais que atuam no Hospital de Amor Infantojuvenil e que, a partir de agora, poderão tratar crianças e adolescentes em tempo hábil, permitindo que elas consigam a reabilitação e a cura, e sigam uma vida feliz. “Esse era o nosso maior sonho, e hoje ele se realizou. Não tenho palavras para agradecer a todos que contribuíram”, declarou a médica.

O Ministro de Estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, conheceu a estrutura do Centro TMO Pediátrico.

Cerimônia
Quem também esteve presente na cerimônia de apresentação do Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico, foi: o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata; a presidente emérita da instituição, Dra. Scylla Duarte Prata; o Ministro de Estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; o Deputado Federal, Geninho; o Prefeito de Barretos, Guilherme de Ávila; o Procurador do Ministério Público do Trabalho da 15ª Região de Campinas, Dr. Ronaldo Lira (representando o Dr. Ronaldo Fleury); representantes da ALSAC (organização de arrecadação e conscientização do Hospital de Pesquisas St. Jude Children); médicos renomados vindos de países como Estados Unidos, Alemanha e Dinamarca; além de autoridades, diretores, médicos e colaboradores do HA e de demais instituições.

Para o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, é uma honra muito grande conseguir realizar esse projeto em um país tão injusto quando o assunto é saúde pública. “Hoje, nossos convidados, em especial o Ministro da Saúde, pôde ver as crianças e os adolescentes, vindos dos 26 estados do Brasil, em busca de um tratamento digno. Ele percebeu as dificuldades que a gente tem e o quanto nós queremos ajudar esse país. Por isso estamos aqui, comemorando mais esse êxito. É um motivo de muito orgulho ter uma equipe igual a que nós temos aqui, que acredita que vale a pena trabalhar por amor e nada mais do que amor. Todos com vocação de servir a Deus e ao nosso próximo, fazendo o melhor por ele”, finalizou Prata.

Assinatura do termo de compromisso que firmou a união do Ministério da Saúde e do Hospital de Amor.

Após conhecer a estrutura moderna e humanizada do novo centro de transplante e ver de perto o trabalho desenvolvido pelo Hospital de Amor, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ficou encantado com o tratamento de excelência, via Sistema Único de Saúde (SUS), oferecido pela instituição. “Nosso país luta e sempre lutou pelo desafio de se construir um Sistema Único de Saúde universal, para atender os brasileiros. Todo esse complexo apresentando aqui hoje, e que futuramente será inaugurado, possui custos extremamente elevados e é destinado para todas as pessoas. Viemos para assinar o termo de compromisso, para que consigamos estar prontos em relação aos orçamentos necessários. A intenção, é que as crianças diagnosticadas com câncer cheguem aos centros de excelência para seus tratamentos e que, ao entrarem, não encontrem o ‘gargalo’ da burocracia”, afirmou.

No evento, o Ministro Luiz Henrique e o presidente do HA, Henrique Prata, assinaram o termo de compromisso que firmou a união do Ministério da Saúde e do Hospital de Amor, com a finalidade de estipular metas para a concretização do plano de expansão da radioterapia do SUS, junto à Portaria que estabelece recursos do Bloco de Custeio das Ações e Serviços Públicos de Saúde a serem incorporados ao Grupo de Atenção de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar – MAC, do Estado de São Paulo e do município de Barretos (SP), cujo valor é R$ 3.164.666,27.

Coral “Acordes Vocais” e o trio “A Bela e os Tenores”.

Para abrilhantar ainda mais esse marco na trajetória do Hospital de Amor, o coral “Acordes Vocais” (grupo composto por pacientes, colaboradores do HA, além de barretenses), apresentou-se sob a regência da maestrina Angélica Amêndola de Oliveira Silva, e participação especial do trio “A Bela e os Tenores” (formado pelos cantores líricos Giovanna Maira, Jorge Durian e Armando Valsani).

Ao final, os participantes foram convidados para uma visita ao Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico.

Sobre o Hospital de Amor:
Excelência em oncologia, o Hospital de Amor (atual nome do Hospital de Câncer de Barretos) assumiu a liderança do ranking 2018 da Scimago Institutions Rankings (SIR), entre todos os centros de saúde do Brasil e da América Latina. O levantamento é uma ferramenta de reconhecimento internacional, que avalia a qualidade de instituições (públicas ou privadas) em todo o mundo, considerando os critérios: pesquisa, inovação e impacto social.

A instituição é historicamente reconhecida. Foi escolhida, em 2000, pelo Ministério da Saúde, como o melhor hospital público do país. Em 2011, tornou-se “instituição irmã” do MD Anderson Cancer Center (EUA), o maior centro de tratamento e pesquisa de câncer do mundo, e ainda recebeu um prêmio da AVON como “Campeão Mundial em Avanço na Área Médica no Combate ao Câncer de Mama”. Em 2012, assinou acordo com o Saint Jude Children´s Research Hospital e tornou-se “instituição gêmea”.

O Hospital de Amor foi o grande destaque da 4ª Edição do Prêmio “Melhores Hospitais”, projeto realizado pela Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo, realizado em dezembro de 2014. A entidade ganhou em três categorias: melhor hospital, internação e ambulatório. O principal objetivo da premiação é monitorar a qualidade de atendimento e a satisfação do usuário, reconhecer os bons prestadores, identificar possíveis irregularidades e ampliar a capacidade de gestão eficiente da saúde pública. Na categoria “Internação”, o Hospital de Amor liderou o ranking interior, com mais de 97% de aprovação. A instituição também teve um alto índice no quesito “Ambulatório” – 96,5% dos usuários disseram estar satisfeitos com o trabalho realizado.

O centro, localizado em Barretos (SP) – anexo a unidade infantojuvenil do HA – atenderá crianças e adolescentes, de 0 a 19 anos, e terá capacidade de transplantar 70 pacientes por ano, reduzindo assim, o tempo de espera na fila do transplante do hospital, que hoje, chega a aproximadamente 10 meses.

Publicado em 05 de abr de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Diagnóstico e Tratamento, Pacientes e Familiares
A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição e alguns de seus principais projetos.

Uma visita especial marcou o Hospital de Amor neste dia 25 de outubro. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, esposa do Presidente da República, Jair Bolsonaro, esteve em Barretos (SP) para conhecer várias áreas que compõem a estrutura da instituição (como a unidade infantojuvenil e o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrica -TMO), e alguns de seus principais projetos (como o de reabilitação, Bella Vita).

Entre os setores visitados, a primeira-dama conheceu o Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico e o projeto de reabilitação, Bella Vita.

Após o almoço, Michelle se reuniu com centenas de pessoas, entre voluntários, diretores e colaboradores do HA, além de políticos e representantes, no Centro de Eventos Dr. Paulo Prata, para fazer uma palestra sobre o Programa Pátria Voluntária, o qual preside.

Durante a cerimônia, o gerente de captação de recursos do Hospital de Amor, Luiz Antônio Zardini, falou sobre a importância do trabalho voluntário para o mundo e, especialmente, para os pacientes do hospital. “O voluntário é um visionário, pois ele consegue enxergar a fraternidade e o amor. Eles são presença de Deus junto aos pacientes, seja no hospital ou em suas residências. Afinal, não basta servir, é preciso amar!”, afirmou.

A coordenadora do departamento de Recursos Humanos da instituição, Renata Paschoal, explicou sobre os dois tipos de voluntariado que existem no HA (o que é conduzido pela Associação Voluntária de Combate ao Câncer – AVCC – e o que é gerenciado pelo departamento de Projetos Sociais da instituição) e suas diversas áreas de atuação.

Em seguida, a primeira-dama falou sobre a “Pátria Voluntária” e sua missão: fomentar a cultura do voluntariado do Brasil, contribuindo com um país mais justo, inclusivo e social. “Estou muito feliz em estar aqui e muito honrada em ser intitulada ‘Madrinha do projeto de reabilitação não oncológica Dream’, pois a reabilitação é tão importante quanto o tratamento. Muito obrigada!”, declarou Michelle.

Da esquerda para a direita: deputada federal, Silvia Chagas; presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata; prefeito municipal de Barretos (SP), Guilherme de Ávila; coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi; primeira-dama, Michelle Bolsonaro; deputada federal, Katia Sastre; e secretário de saúde de Araguaína (TO), Jean Coutinho.

Para comprovar isso e na tentativa de superar seus próprios limites, o Coral ‘Papo Furado’ – composto por pacientes laringectomizados, ou seja, que retiraram a laringe por causa do câncer – se apresentou e emocionou a todos, entoando a música ‘É preciso saber viver, do Titãs.

O rádio-oncologista e coordenador do projeto Bella Vita, Dr. Daniel Marconi, explicou sobre o trabalho de reabilitação do Hospital de Amor e enalteceu seu principal objetivo, que é oferecer aos pacientes condições dignas para se reinserir na sociedade, ser integrado e incluído. “Hoje a nossa instituição dá um grande passo, pois vamos construir o melhor centro de reabilitação não oncológica da América Latina, o ‘Dream’, que receberá o nome da nossa primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Grandes sonhos só se tornam realidade com pessoas que acreditam nele, por isso, não posso deixar de homenagear o prefeito Guilherme de Ávila; a deputada federal, Katia Sastre (responsável pela doação da ala dos surdos no novo centro); a deputada federal, Silvia Chagas; e o secretário de saúde de Araguaína, Jean Coutinho (representando o prefeito Ronaldo Dimas), que levará uma outra unidade deste centro para o estado do Tocantins. E como um grande sonho deve estar nas mãos de uma grande pessoa, convidamos a senhora Michelle Bolsonaro para ser a madrinha”, explicou o médico.

De acordo com o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, esse dia vai ficar escrito na história do HA. “Quem tem amor dentro do hospital, não limita seus sonhos, e quando o Dr. Daniel me desenhou esse projeto, eu senti que ele foi escolhido por Deus para fazer, com muita competência, o maior complexo de reabilitação da América Latina. E a Michelle nos mostrou que seu coração é igual ao nosso e nos acolheu com esse sonho. Muito obrigado! O Hospital de Amor tem o maior orgulho em tê-la no ‘quadro da família HA’”, finalizou.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

A cerimônia contou também com convidados surdos, que receberam interpretação simultânea em Libras.

Na tarde desta sexta-feira, 5 de abril, o Hospital de Amor realizou mais um importante evento: a cerimônia de apresentação do Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico. O novo prédio conta com uma estrutura moderna e humanizada, quartos individuais para os acompanhantes, junto aos leitos dos pacientes, sistema de filtragem de ar em todos os espaços, além de uma unidade de terapia intensiva (UTI) dedicada. O centro, localizado em Barretos (SP) – anexo a unidade infantojuvenil do HA – atenderá crianças e adolescentes, de 0 a 19 anos, e terá capacidade de transplantar 70 pacientes por ano, reduzindo assim, o tempo de espera na fila do transplante do hospital, que hoje, chega a aproximadamente 10 meses.

Dr. Luiz Fernando Lopes é o diretor-médico do Hospital de Amor Infantojuvenil.

De acordo com o diretor-médico do Hospital de Amor Infantojuvenil, Dr. Luiz Fernando Lopes, no Brasil, o número de centros de transplantes de medula óssea (TMO) especializados na população pediátrica é pequeno. “Desde 2012, a nossa unidade infantojuvenil é a sede do Grupo Cooperativo Brasileiro de Síndromes Mielodisplásicas em Pediatria. Por conta disso, crianças e adolescentes de todo o país com suspeita de síndromes mielodisplásicas (SMD) – grupos raros de doenças pré-malignas, com risco de transformação para leucemia – ou leucemia mielomonocítica juvenil (LMMJ) – também uma doença rara, com características mieloproliferativas e displásicas, próprias da população pediátricas – são encaminhadas para o Hospital de Amor para a realização do diagnóstico e tratamento, que inclui o transplante de medula óssea”, explicou.

Antes da conquista do novo centro, a unidade contava com apenas 3 leitos para a realização do procedimento, sendo capaz de executar menos de 30 transplantes por ano. Com a inauguração do espaço, a unidade ganha 13 leitos, sendo 8 destinados para os transplantes e 5 para a terapia intensiva, além de serem utilizados também para o tratamento clínico dos pacientes com SMD e LMMJ. “Essa conquista, com certeza, irá salvar muitas vidas! Poderemos receber também para o transplante um número maior de crianças com leucemias e outras patologias, que muitas vezes falecem sem a oportunidade de tratamento em um serviço especializado, considerando-se o déficit de leitos de TMO no país”, afirmou Lopes.

A realização deste projeto, que irá beneficiar tantas famílias, só foi possível graças a generosa doação de alguns beneméritos e parceiros do Hospital de Amor, entre eles, a família Riscali, que também prestigiou a apresentação.

Segundo a coordenadora do Centro de Transplante de Medula Óssea, Dra. Neysimelia Costa Villela, carinhosamente conhecida como Dra. Neysi, a concretização desse sonho tem um impacto muito grande na vida de todos os pacientes, mas, especialmente, para os profissionais que atuam no Hospital de Amor Infantojuvenil e que, a partir de agora, poderão tratar crianças e adolescentes em tempo hábil, permitindo que elas consigam a reabilitação e a cura, e sigam uma vida feliz. “Esse era o nosso maior sonho, e hoje ele se realizou. Não tenho palavras para agradecer a todos que contribuíram”, declarou a médica.

O Ministro de Estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, conheceu a estrutura do Centro TMO Pediátrico.

Cerimônia
Quem também esteve presente na cerimônia de apresentação do Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico, foi: o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata; a presidente emérita da instituição, Dra. Scylla Duarte Prata; o Ministro de Estado da Saúde, Luiz Henrique Mandetta; o Deputado Federal, Geninho; o Prefeito de Barretos, Guilherme de Ávila; o Procurador do Ministério Público do Trabalho da 15ª Região de Campinas, Dr. Ronaldo Lira (representando o Dr. Ronaldo Fleury); representantes da ALSAC (organização de arrecadação e conscientização do Hospital de Pesquisas St. Jude Children); médicos renomados vindos de países como Estados Unidos, Alemanha e Dinamarca; além de autoridades, diretores, médicos e colaboradores do HA e de demais instituições.

Para o presidente do Hospital de Amor, Henrique Prata, é uma honra muito grande conseguir realizar esse projeto em um país tão injusto quando o assunto é saúde pública. “Hoje, nossos convidados, em especial o Ministro da Saúde, pôde ver as crianças e os adolescentes, vindos dos 26 estados do Brasil, em busca de um tratamento digno. Ele percebeu as dificuldades que a gente tem e o quanto nós queremos ajudar esse país. Por isso estamos aqui, comemorando mais esse êxito. É um motivo de muito orgulho ter uma equipe igual a que nós temos aqui, que acredita que vale a pena trabalhar por amor e nada mais do que amor. Todos com vocação de servir a Deus e ao nosso próximo, fazendo o melhor por ele”, finalizou Prata.

Assinatura do termo de compromisso que firmou a união do Ministério da Saúde e do Hospital de Amor.

Após conhecer a estrutura moderna e humanizada do novo centro de transplante e ver de perto o trabalho desenvolvido pelo Hospital de Amor, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ficou encantado com o tratamento de excelência, via Sistema Único de Saúde (SUS), oferecido pela instituição. “Nosso país luta e sempre lutou pelo desafio de se construir um Sistema Único de Saúde universal, para atender os brasileiros. Todo esse complexo apresentando aqui hoje, e que futuramente será inaugurado, possui custos extremamente elevados e é destinado para todas as pessoas. Viemos para assinar o termo de compromisso, para que consigamos estar prontos em relação aos orçamentos necessários. A intenção, é que as crianças diagnosticadas com câncer cheguem aos centros de excelência para seus tratamentos e que, ao entrarem, não encontrem o ‘gargalo’ da burocracia”, afirmou.

No evento, o Ministro Luiz Henrique e o presidente do HA, Henrique Prata, assinaram o termo de compromisso que firmou a união do Ministério da Saúde e do Hospital de Amor, com a finalidade de estipular metas para a concretização do plano de expansão da radioterapia do SUS, junto à Portaria que estabelece recursos do Bloco de Custeio das Ações e Serviços Públicos de Saúde a serem incorporados ao Grupo de Atenção de Média e Alta Complexidade Ambulatorial e Hospitalar – MAC, do Estado de São Paulo e do município de Barretos (SP), cujo valor é R$ 3.164.666,27.

Coral “Acordes Vocais” e o trio “A Bela e os Tenores”.

Para abrilhantar ainda mais esse marco na trajetória do Hospital de Amor, o coral “Acordes Vocais” (grupo composto por pacientes, colaboradores do HA, além de barretenses), apresentou-se sob a regência da maestrina Angélica Amêndola de Oliveira Silva, e participação especial do trio “A Bela e os Tenores” (formado pelos cantores líricos Giovanna Maira, Jorge Durian e Armando Valsani).

Ao final, os participantes foram convidados para uma visita ao Centro de Transplante de Medula Óssea Pediátrico.

Sobre o Hospital de Amor:
Excelência em oncologia, o Hospital de Amor (atual nome do Hospital de Câncer de Barretos) assumiu a liderança do ranking 2018 da Scimago Institutions Rankings (SIR), entre todos os centros de saúde do Brasil e da América Latina. O levantamento é uma ferramenta de reconhecimento internacional, que avalia a qualidade de instituições (públicas ou privadas) em todo o mundo, considerando os critérios: pesquisa, inovação e impacto social.

A instituição é historicamente reconhecida. Foi escolhida, em 2000, pelo Ministério da Saúde, como o melhor hospital público do país. Em 2011, tornou-se “instituição irmã” do MD Anderson Cancer Center (EUA), o maior centro de tratamento e pesquisa de câncer do mundo, e ainda recebeu um prêmio da AVON como “Campeão Mundial em Avanço na Área Médica no Combate ao Câncer de Mama”. Em 2012, assinou acordo com o Saint Jude Children´s Research Hospital e tornou-se “instituição gêmea”.

O Hospital de Amor foi o grande destaque da 4ª Edição do Prêmio “Melhores Hospitais”, projeto realizado pela Secretaria do Estado de Saúde de São Paulo, realizado em dezembro de 2014. A entidade ganhou em três categorias: melhor hospital, internação e ambulatório. O principal objetivo da premiação é monitorar a qualidade de atendimento e a satisfação do usuário, reconhecer os bons prestadores, identificar possíveis irregularidades e ampliar a capacidade de gestão eficiente da saúde pública. Na categoria “Internação”, o Hospital de Amor liderou o ranking interior, com mais de 97% de aprovação. A instituição também teve um alto índice no quesito “Ambulatório” – 96,5% dos usuários disseram estar satisfeitos com o trabalho realizado.

O centro, localizado em Barretos (SP) – anexo a unidade infantojuvenil do HA – atenderá crianças e adolescentes, de 0 a 19 anos, e terá capacidade de transplantar 70 pacientes por ano, reduzindo assim, o tempo de espera na fila do transplante do hospital, que hoje, chega a aproximadamente 10 meses.

Publicado em 05 de abr de 2019   |   Artigos, Destaques, Institucional, Diagnóstico e Tratamento, Pacientes e Familiares